Conecte-se conosco

Economia

Preço da gasolina sobe pela quarta semana seguida no Brasil; diesel recua discretamente

Preço máximo do etanol registrado na bomba foi de R$ 6,99, enquanto o da gasolina atingiu R$ 7,21. Diesel ficou 0,1% mais barato.

Publicado

em

Após três altas consecutivas, o preço do óleo diesel sofreu uma ligeira queda recente. Em contrapartida, os consumidores brasileiros continuam sentindo a gasolina e o etanol pesarem no bolso. Os dois combustíveis mais consumidos pelos cidadãos aumentaram novamente.

Leia mais: Recebeu o auxílio sem merecer? Devolução do valor pode ser em dobro

Os dados são de uma pesquisa da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Publicado na última sexta-feira (27), o relatório mostra que o preço médio do diesel na bomba é de R$ 4,6 o litro. A queda, representa 0,17% a menos na comparação com a semana anterior. 

Gasolina e etanol disparam

Por outro lado, a gasolina comum registrou aumento de 0,45% e atingiu média de R$ 5,98 por litro. Sabe-se que em várias cidades o combustível passa dos R$ 7.

A última semana foi a quarta consecutiva a apresentar valorização da gasolina. Estudos demonstram que os preços podem aumentar ainda mais nos primeiros dias de setembro. Com isso, o preço médio poderá passar de R$ 6 por litro.

Por sua vez, o etanol também registrou alta, a maior de todos os combustíveis. O acréscimo foi de 1,45% do preço anterior, fazendo o etanol na bomba custar uma média de R$ 4,56. Da mesma forma que a gasolina, o biocombustível completou a quarta semana seguida de alta.

Todos acima de R$ 6

Como exposto anteriormente, a gasolina é o combustível mais caro dentre os três. Segundo a ANP, o valor máximo registrado no Brasil foi de R$ 7,219 o litro. O etanol chegou a custar R$ 6,999 no valor máximo direto na bomba dos postos.

Na comparação, o óleo diesel teve a máxima em R$ 6,18. Na semana anterior, o maior preço encontrado foi de R$ 6,35. A ANP deve continuar emitindo relatórios a fim de acompanhar o andamento dos preços.

A desvalorização cambial do real, somada à oscilação dos preços do petróleo são os principais fatores de encarecimento. Alguns especialistas apontam para período de estagnação no valor da gasolina, enquanto outros apostam no aumento contínuo. 

Publicidade
Comentários

MAIS ACESSADAS