Conecte-se conosco

Ações, Units e ETF's

Ação da B3 é “joia da coroa do mercado de capitais brasileiro”, avalia Safra

O banco elevou em 8,8% estimativa de receita líquida, no ano de 2020, indo para R$ 7,7 bilhões. Já em 2021, o avanço é de 11,6%, chegando a R$ 8,1 bilhões.

Publicado

em

O Banco Safra reavaliou as projeções para a B3 (B3SA3), incluindo no modelo de investimento os resultados do segundo trimestre de 2020, panoramas macroeconômicos atualizados e preço-alvo contínuo para o final de 2021. 

Para a ação da “joia da coroa do mercado de capitais brasileiro”, os analistas Luis Azevedo e Silvio Dória reforçaram a recomendação de outperform (desempenho superior à média do mercado) e aumentaram o preço-alvo de R$ 54 para R$ 69. 

Segundo o banco, a mudança do mercado acionário no país continuará amparando a visão positiva para a bolsa de valores brasileira. “Acreditamos que a B3 deve permanecer como um dos principais nomes para capturar o boom do mercado de capitais brasileiro, sustentado por taxas de juros baixas, fluxo positivo de investidores locais para renda variável e forte pipeline de IPOs“, destacaram Azevedo e Dória.

Configurando como o único player do segmento no Brasil, a B3 usufruiu o momento de intensa migração de recursos de renda fixa para renda variável, o que deve acarretar em ampla receita e lucratividade. O Safra elevou em 8,8% a estimativa da receita líquida, no ano de 2020, indo para R$ 7,7 bilhões. Já em 2021, o avanço é de 11,6%, chegando a R$ 8,1 bilhões. Assim, o lucro recorrente previsto para 2020 e 2021 expandiu em, respectivamente, 8,4% e 10,3%. 

O banco revisou o volume médio diário negociado (ADTV) deste ano, aumentando o montante de R$ 28 bilhões a R$ 29 bilhões. Isso, em função da recuperação significativa do valor de mercado dos ativos listados e aos números altos de turnover velocity. Em 2021, a perspectiva de ADTV é de R$ 32 bilhões, ante R$ 27 bilhões.

Publicidade
Comentários

Ações, Units e ETF's

Conheça as 30 maiores pagadoras de dividendos em 2020

Analistas fizeram um levantamento de resultados em 2020, de acordo com números de 2019.

Publicado

em

Dividendos

Analisar dividendos é importante para os investidores que desejam aplicar pensando em viver de renda. Eles representam o percentual de lucros que a companhia distribui entre os acionistas, como uma espécie de remuneração. Assim, se tiver comprado ação de uma empresa que paga dividendos, o investidor possui direito a grana extra.

Em algumas situações, o dinheiro é pago mensalmente. Já em outras, os dividendos são disponibilizados uma vez a cada trimestre, semestre ou até mesmo por ano. Dessa forma, o período de liberação dependerá dos critérios da empresa. Mas esse não deve ser o único item a ser avaliado ao determinar as melhores e maiores pagadoras de dividendos.

“A carteira de investimentos em dividendos olha muito para o longo prazo, porque você vai buscar ganhar com o lucro que a empresa distribui, e não necessariamente com a valorização dela” destaca o analista de investimentos da Rico, Thiago Salomão.

Portanto, ao decidir por investir em dividendos, é importante selecionar empresas consolidadas, que distribuem bons dividendos e permanecem com a aplicação por longo tempo. 

Veja a lista com as 30 maiores pagadoras de dividendos de 2019:

Empresa

Setor 

Média Div Yld (inic)

5 anos em %

Div Yield (inic)

12 meses Div + JCP

em %

Retorno 12 meses

com DIV e JCP

em %

Cyrela Realt (CYRE3)

Construção civil 5,27 11,04

113,29

BBSeguridade (BBSE3)

Previdência e seguros 7,57 10,14

36,61

Petrobras BR (BRDT3)

Petróleo gás e biocombustíveis 6,97 10,01

30,09

Sid Nacional (CSNA3)

Siderurgia e metalurgia

2,71 9,37

38,30

Itausa (ITSA4)

Intermediários financeiros 6,66 9,00

7,71

Qualicorp (QUAL3)

Serviços médico-hospitalares análises e diagnósticos 6,51 8,36

225,08

MRV (MRVE3)

Construção civil 5,94 7,94

52,12

Telef Brasil (VIVT4)

Telecomunicações 5,87 7,68

30,22

Smiles (SMLS3)

Diversos 6,79 7,55

-15,55

ItauUnibanco (ITUB4)

Intermediários financeiros 5,56 7,48

-3,46

Taesa (TAEE11)

Energia elétrica 10,93 7,34

30,23

BR Malls Par (BRML3)

Exploração de imóveis 2,23 7,05

37,41

Santander BR (SANB11)

Intermediários financeiros 7,43 5,89

-12,02

CCR SA (CCRO3)

Transporte 4,44 5,45

34,84

Bradesco (BBDC3)

Intermediários financeiros 4,47 5,38

-5,12

Cemig (CMIG4)

Energia elétrica 6,24 5,25

15,02

Bradesco (BBDC4)

Intermediários financeiros 4,80 5,25

-10,90

Bradespar (BRAP4)

Mineração 5,43 4,97

44,48

Cielo (CIEL3)

Serviços financeiros diversos 3,62 4,77

-29,99

Klabin S/A (KLBN11)

Madeira e papel 3,90 4,71

20,38

Fleury (FLRY3)

Serviços médico-hospitalares análises e diagnósticos 5,52 4,71

53,39

Brasil (BBAS3)

Intermediários financeiros 5,30 4,66

-5,67

Btgp Banco (BPAC11)

Intermediários financeiros 5,87 3,93

131,79

Engie Brasil (EGIE3)

Energia elétrica 6,47 3,76

21,40

Eletrobras (ELET6)

Energia elétrica 2,40 3,59

1,96

B3 (B3SA3)

Serviços financeiros diversos 4,39 3,58

64,63

Hypera (HYPE3)

Comércio e distribuição 2,87 3,57

29,73

Petrobras (PETR4)

Petróleo gás e biocombustíveis 1,63 3,50

13,01

Tim Part S/A (TIMP3)

Telecomunicações 2,39 3,44

48,59

Irbbrasil Re (IRBR3)

Previdência e seguros 4,50 3,26

24,36

Informações com base em estudo de analistas da Rico (19/02/2020).

Continue lendo

Ações, Units e ETF's

PicPay se prepara para oferta inicial de ações na Bolsa

Fintech teve crescimento impulsionado em 2020, em razão da pandemia de Covid-19, que estimulou o uso de serviços financeiros digitais.

Publicado

em

PicPay

Diante do contexto competitivo no setor bancário, o PicPay aquece para ingressar na lista de companhias de tecnologia que devem abrir capital em 2021. A carteira digital foi difundida no Brasil por possibilitar transferências instantâneas entre contas de bancos distintos e vem constantemente atualizando as suas soluções financeiras.

Segundo o jornal O Estado de São Paulo, a fintech ainda não formalizou o contrato com o sindicato responsável pela estruturação de sua oferta. Entretanto, a empresa já deu início aos acordos.

O PicPay expandiu aceleradamente em 2020, principalmente depois do começo do isolamento social, imposto pela pandemia de Covid-19. Como consequência, foram impulsionados os serviços financeiros digitais. 

A carteira digital foi fundada em 2012 por um trio de empreendedores de Vitória, no Espírito Santo. Em 2019, a companhia foi comprada pelo Banco Original, da J&F, que também gere a JBS.

Continue lendo

Ações, Units e ETF's

Itaúsa (ITSA4) vai emitir debêntures para comprar Liquigás

Publicado

em

Itaúsa

A Itaúsa (ITSA4) vai emitir R$ 1,3 bilhão em debêntures, de acordo com documento enviado ao mercado nesta última quinta-feira (10).

A empresa informou que o valor será utilizado para viabilizar a compra da Liquigás, no qual os recursos não utiliados utilizados na compra será para recomposição do capital de giro.

COMUNICADO AO MERCADO

3ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES NÃO CONVERSÍVEIS EM AÇÕES

Comunicamos que o Conselho de Administração da ITAÚSA S.A. (“Companhia”), em reunião realizada nesta data, aprovou a 3ª emissão de debêntures nãoconversíveis em ações, no montante de R$ 1,3 bilhão, que serão utilizados,majoritariamente, para aporte na Copagaz Distribuidora de Gás S.A., de forma aviabilizar a aquisição da Liquigás Distribuidora S.A., sendo os recursosremanescentes utilizados para recomposição do capital de giro da Companhia.São Paulo (SP), 10 de dezembro de 2020.

ALFREDO EGYDIO SETUBAL
Diretor de Relações com Investidores

Continue lendo

MAIS ACESSADAS