Conecte-se conosco

Economia

Argentina pode pedir recursos adicionais ao FMI em meio a renegociações

País poderia receber do FMI um empréstimo entre 3 bilhões e 5 bilhões de dólares.

Publicado

em

A Argentina pode pedir recursos extras ao Fundo Monetário Internacional (FMI) no âmbito das negociações entre o país e órgão para renegociar um acordo de 2018, disse nesta terça-feira Sergio Chodos, representante argentino no FMI.

Em entrevista à Rádio La Red de Washington, Chodos afirmou que o governo poderia concordar em receber um novo valor, mas disse que não será um montante “exorbitante”.

A Argentina já recebeu cerca de 44 bilhões de dólares do FMI devido a um empréstimo feito em 2018, o qual estão renegociando agora. Para Chodos, “é absolutamente necessário” novo acordo seja fechado antes de julho de 2021.

“É verdade que podem haver necessidades um pouco maiores, que poderiam chegar a ocorrer. Mas não consigo imaginar algo que seja muito exorbitante em comparação a antes. A intenção é sair, não voltar a entrar”, explicou.

O peso argentino amarga depreciação no mercado paralelo devido às incertezas econômicas que rondam o país, o que aumentou a defasagem com a cotação da moeda no mercado oficial e pressionou ainda mais sua desvalorização.

Ronda no mercado um boato de que o país poderia receber do Fundo um empréstimo entre 3 bilhões e 5 bilhões de dólares para recuperar a confiança dos investidores.

Para Joaquín Candia, analista da Rava Stock Market, a entrada de novos recursos “pode gerar alguma confiança no mercado, já que se encontra aguardando sinais de um programa econômico e preferencialmente ortodoxo para poder fazer frente à forte crise que atravessa o país”.

Continue lendo
Publicidade
Comentários