Conecte-se conosco

Investimentos

Carteira recomendada: 5 melhores ações para investir em janeiro de 2021

Em compilado de 15 corretoras, ações do Banco do Brasil e Vivo tiveram destaque para pagamento de dividendos neste ano.

Publicado

em

Ações recomendadas

Com foco nos dividendos para 2021, as corretoras começaram a recomendar as carteiras de ações. Assim, ao agrupá-las, alguns ativos se destacam por serem recorrentes nas indicações dos analistas.

O estudo dos relatórios divulgados recentemente, por 15 instituições, localizou 109 recomendações que mencionam 41 ações distintas. Essas foram compiladas desde as mais indicadas até as que tiveram apenas uma recomendação.

O documento conta com o relatório das corretoras Ágora, Ativa Investimentos, Banco Safra, BTG Pactual, Eleven, Elite, Empiricus, Genial, Guide, Mirae Asset, MyCAP, Necton, Nova Futura, Planner e Terra Investimentos.

Na conclusão, a seleção aponta 5 melhores ações recomendadas para janeiro de 2021:

  1. BB Seguridade (BBSE3): 8 indicações;
  2. Engie Brasil (EGIE3): 7 indicações;
  3. Taesa (TAEE11): 7 indicações;
  4. Vivo (VIVT3, VIVT4): 7 indicações;
  5. EDP Brasil (ENBR3): 6 indicações.

Entre as justificativas para recomendação, segundo o BTG Pactual, a BB Seguridade é uma excelente alternativa junto aos bancos. A ação possui alto pagamento de dividendos, baixo risco do segmento, alavancagem menor e clareza de resultados do próximo um ano.

Na perspectiva do Banco Safra, a Engie Brasil possui preferência por conta da reduzida exposição aos impactos do novo coronavírus. Também, com a perspectiva de crescimento por conta da aquisição da transportadora de gás TAG, da Petrobras.

Publicidade
Comentários

Ações, Units e ETF's

IPO: moldalmais traça estratégia para financiar aquisições e expandir crédito

Operação tem como objetivo captar recursos para ampliar os investimentos em tecnologia, marketing e aquisição de negócios, além de aumentar a oferta de crédito.

Publicado

em

Modalmais

O banco digital e plataforma de investimentos modalmais oficializou nesta quarta-feira, 24, o registro de pedido de oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). Com isso, a instituição, que tem como nome societário Banco Modal, pretende captar recursos para ampliar os investimentos em tecnologia, marketing e aquisição de negócios, além de aumentar a oferta de crédito.

Ademais, o Modal Controle, que é o principal sócio da companhia, irá vender sua participação no negócio, sendo que a oferta será acompanhada por um grupo de acionistas pessoas físicas.

A operação será coordenada pelo Credit Suisse, Bank of America e Itaú BBA. Atualmente, além da oferta da modalmais, há mais 37 pedidos de registro de IPO na lista da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Continue lendo

Ações, Units e ETF's

Ibovespa recua 2,7% com exterior avesso ao risco e reagindo aos balanços

Perto das 17h20, o principal índice da B3 marcava 112.566 pontos, próximo da mínima do dia

Publicado

em

O índice Ibovespa acelerava a queda, recuando 2,68%% na tarde desta quinta-feira (25), em linha com o exterior mais avesso ao risco e reagindo à temporada de balanços local, com Ultrapar (UGPA3) pesando na ponta vermelha.

Perto das 17h20, o principal índice da B3 marcava 112.566 pontos, próximo da mínima do dia.

“Piora do clima nos mercados externos e temores relacionados ao quadro fiscal doméstico pressionam o Ibovespa, que tem forte queda de 2,95% e fecha a quinta-feira nos 112.256 pontos. Já o dólar sobe 1,72% e encerra a R$ 5,514, maior cotação desde 5 de novembro”. (BTG Pactual)

Lá fora, a alta nos rendimentos dos títulos de dívida dos EUA, uma reação à expectativa de maior inflação no país que poderia levar a um aumento das taxas de juros mais rápido que o esperado, derruba os papéis de tecnologia e outros considerados de maior risco, levando os índices junto.

A queda no número dos pedidos por seguro-desemprego da semana passada, divulgada nesta manhã, ajuda a impulsionar a percepção de uma melhora econômica mais acelerada no país.

Por aqui, a realização de lucros de algumas empresas que subiram com força esta semana por conta dos respectivos balanços ajudava a derrubar o Ibovespa, com Ultrapar, WEG (WEGE3) e GPA (PCAR3) e entre as maiores quedas.

Do outro lado, os papéis da Multiplan (MULT3) e da Qualicorp (QUAL3) eram os únicos a subir.

Ibovespa recua 2,7% com exterior avesso ao risco e reagindo aos balanços

Bolsa de valores de São Paulo

Ibovespa – Dólar

O dólar teve firme alta ante o real nesta quinta-feira, dia em que o Banco Central interveio duas vezes no mercado de câmbio, com as operações locais replicando um rali da moeda norte-americana no exterior em meio à escalada das taxas de juros de títulos soberanos dos Estados Unidos, movimento que deprime ativos de risco e ameaça a recuperação econômica global.

O dólar spot subiu 1,62%, a 5,5096 reais na venda. É o maior patamar desde 5 de novembro de 2020 (5,5455 reais).

A moeda manteve oscilações discretas pela manhã até cerca de 11h40, quando começou a ganhar força conforme a alta dos yields no exterior ganhava ímpeto. Às 13h20, com o dólar já em 5,50 reais, o BC anunciou o primeiro leilão do dia, na forma de oferta de venda de dólares à vista, colocando 920 milhões de dólares.

A cotação desacelerou a valorização, mas não demorou para voltar a tomar fôlego. Às 15h37, o dólar bateu a máxima da sessão (5,5393 reais, alta de 2,17%). No mesmo minuto, o BC anunciou a segunda oferta de dólar spot do dia, com venda efetiva de 615 milhões de dólares.

No total, a autoridade monetária colocou 1,535 bilhão de dólares nessa modalidade, com liquidação em 1º de março. É o maior valor de venda a ser liquidado no mesmo dia desde a liquidação de 2,175 bilhões de dólares em moeda à vista em 28 de abril do ano passado.

Continue lendo

Ações, Units e ETF's

Petrobras apresenta resultados com efeitos não recorrentes e XP mantém venda

Na teleconferência, Roberto Castello Branco usou camiseta com a frase “mind the gap”

Publicado

em

A XP Investimentos reiterou a recomendação de venda para a Petrobras (PETR4), apesar da petroleira ter apresentado balanço considerado forte por boa parte do mercado no quarto trimestre de 2020.

Isso porque para a gestora, os números da companhia vieram com diversos efeitos não recorrentes, e que não refletem o cenário atual.

“Vale ressaltar que o Ebitda Ajustado no período foi de R$31,7 bilhões, em linha com nossa estimativa de R$30,7 bilhões por uma diferença de 3,0%, mas, menos 5,8% abaixo do consenso de mercado de R$ 33,6 bilhões”, informou.

E disse mais: “no mesmo período, a Petrobras registrou um lucro de R$ 59,9 bilhões, incomparavelmente acima da nossa estimativa de lucro de R$ 2,0 bilhões e expectativa do consenso de mercado de Lucro Líquido de R$9,9 bilhões.”

Já a dívida líquida, elencou, foi de R$328,3 bilhões, uma redução de -2,2% em relação ao terceiro trimestre de 2020 (R$373,5 bilhões).

Na sequência, a relação Dívida Líquida / EBITDA ajustado no período foi de 2,22x, também uma redução em relação ao nível de 2,33x do terceiro trimestre de 2020. Tal redução de endividamento pode ser considerada positiva por investidores.

“Mantemos recomendação [de Venda] com preços-alvo de R$24 por ação para PETR4 e PETR3.”, frisou.

Essar Group faz oferta por Petrobras

Petrobras: mind the gap

Na teleconferência realizada na manhã desta quinta-feira (25) com analistas para comentar os últimos resultados da Petrobras, Roberto Castello Branco, presidente da estatal, utilizou uma camiseta com a frase “mind the gap” numa referência ao metrô de Londres. Na tradução literal, significa “cuidado com o vão”.

Ele explicou que a frase na camiseta está relacionada ao nome dos planos estratégicos da empresa de 2020 a 2024 e de 2021 a 2025. A mensagem, no entanto, também pode ser entendida como recado para o futuro da companhia após sua saída.

“Resolvemos nos comparar com o que há de melhor no mercado. E nosso compromisso é de ‘mind the gap’: fechar a diferença de performance que nos separa das melhores empresas do mundo”, disse Castello Branco.

Na mesma transmissão, o executivo enfatizou que não existe separação entre as finanças e as operações da Petrobras e afirmou que são as empresas que geram riquezas para o país, não o Estado.

Veja PETR4 na Bolsa:

Continue lendo

MAIS ACESSADAS