Conecte-se conosco

Ações, Units e ETF's

Cias&Cifras | Debêntures: Petrobras estima pagar US$ 35 bi até 2025; ISA CTEEP R$ 1,5 bi

Cias&Cifras | Debêntures: Petrobras estima pagar US$ 35 bi até 2025; ISA CTEEP R$ 1,5 bi

Publicado

em

A Petrobras (PETR4) pretende distribuir até US$ 30 bilhões a  US$ 35 bilhões em dividendos aos seus acionistas nos próximos cinco anos.

De acordo com dados do Plano de Negócios de 2021/25, a petroleira também estima arrecadação no mesmo valor com a  venda de novos ativos no mesmo período.

O Plano de Negócios 2021/25 foi apresentado nesta segunda-feira pela direção da companhia ao mercado em evento virtual chamado Petrobras Day.

Petroleira

Conforme o documento, a petroleira estima investimentos da ordem de US$ 55 bilhões nos próximos cinco anos, uma redução de 27% em relação ao plano anterior de 2020/24 que previa US$ 75 bilhões.

Em outubro, a companhia mudou sua política de distribuição de dividendos, permitindo distribuição mesmo em anos nos quais apresentasse prejuízo.

Mudança

Ainda segundo o documento, a mudança vai permitir também o pagamento de valores maiores do que o mínimo previsto em lei, quando sua dívida estiver abaixo dos US$ 60 bilhões.

De acordo com a diretora financeira da Petrobras, Andrea Almeida, o maior volume de dividendos a serem pagos aos acionistas deve ocorrer a partir de 2023, uma vez que nos anos anteriores a maior parte dos recursos será destinada ao pagamento da dívida da companhia para atingir o patamar de US$ 60 bilhões.

Castello Branco

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, disse que espera concluir a venda de oito refinarias até o final do próximo ano. Até o fim do mês de dezembro, a companhia espera receber as propostas de oferta vinculantes para as refinarias Repar, do Paraná, e Refap, no Rio Grande do Sul.

> Transmissão Paulista vai emitir debêntures

A Transmissão Paulista (TRPL4) anunciou, nesta terça-feira (1), que irá emitir R$ 1,6 bilhão em debêntures.

De acordo com o documento enviado ao mercado, afirma que os os debêntures, não conversíveis em ações, de espécie quirografária e em duas séries, serão divididos no montante de R$ 800 milhões da primeira série e R$ 800 milhões para a segunda série.

As debêntures da 1ª série terão prazo de 8 anos contado da data de emissão e as da 2ª série terão prazo de 23 anos e 6 meses.

> Multiplan (MULT3): conselho aprova recompra de ações

O conselho de administração da Multiplan (MULT3) aprovou nesta segunda-feira (30) recompra de até 7,5 milhões de ações da companhia, informou a empresa gestora de shopping centers e empreendimentos imobiliários.

Segundo a Reuters, o papel encerrou nesta segunda-feira cotado a R$ 22,67, o que leva o valor da operação a até R$ 170 milhões. O programa de recompra terá duração de 18 meses.

Easynvest

A Easynvest trocou as ações da Gerdau (GGBR4) para dar entrada nos ativos da Multiplan (MULT3) em sua carteira recomendada de dezembro.

De acordo com o documento enviado ao mercado, o portfólio de 10 ações rendeu 13,66% no mês, enquanto o Ibovespa ficou em alta de 17,69%.

A aposta da corretora é na recuperação da Multiplan após a quarentena. “Setor extremamente impactado pela crise e com preços descontados. A empresa atua nos segmentos de shopping, imobiliário e pega a retomada do consumo com a expectativa de vacinas e normalização das atividades em 2021”, afirmou a empresa.

ALSO3 tem shoppings reabertos

> M. Dias Branco passa a compor a carteira do Índice ESG

A M. Dias Branco (MDIA3), maior empresa de massas e biscoitos do país, foi listada na 16ª carteira do ISE B3, anunciada nesta terça-feira pela B3.

A nova carteira teórica do ISE B3 será uma referência para os investidores a partir do dia 4 de janeiro e valerá até 30 de dezembro de 2021.

O ISE é uma ferramenta para análise comparativa da performance das empresas listadas na B3 em requisitos relacionados a sustentabilidade corporativa:  eficiência econômica, equilíbrio ambiental, justiça social e governança corporativa.

O ISE B3 reúne 46 ações de 39 companhias pertencentes a 15 setores. Juntas, somam R$ 1,8 trilhão em valor de mercado, 38% do total do valor das companhias com ações negociadas na B3, com base no fechamento de 25 de novembro último. O valor equivale a 37,62% do total das companhias negociadas na bolsa brasileira.

Publicidade
Comentários

Ações, Units e ETF's

Itaúsa (ITSA4) paga R$ 0,02 por ação em juros sobre o capital próprio adicionais até abril

Considerando a retenção de 15% do Imposto de Renda na fonte, o valor pago por ação passará a ser de R$ 0,01768.

Publicado

em

Itaúsa

O Conselho de Administração da Itaúsa (ITSA4) comunicou na última segunda-feira, 18, em fato relevante, que foi aprovada a declaração de juros sobre o capital próprio adicionais no valor de R$ 0,0208 por ação. De acordo com o documento, os valores serão repassados aos acionistas até o dia 30 de abril de 2021.

Vale destacar que, considerando a retenção de 15% do Imposto de Renda na fonte, o valor pago por ação passará a ser de R$ 0,01768, exceto para acionistas pessoas jurídicas comprovadamente imunes ou isentos. Ademais, esse valor será pago com base na posição final acionária final de 22 de janeiro, e a partir do dia seguinte (23 de janeiro), as ações serão negociadas como “ex-JCPs” (Juros sobre Capital Próprio).

A Itaúsa é a holding que controla o Banco Itaú. Entre seus principais investimentos, além do próprio Itaú Unibanco, que representa 90% de seus ativos, estão aplicações em empresas de produção de madeira e papel, calçados, transporte de gás natural, entre outras.

Continue lendo

Ações, Units e ETF's

Conheça as 30 maiores pagadoras de dividendos em 2020

Analistas fizeram um levantamento de resultados em 2020, de acordo com números de 2019.

Publicado

em

Dividendos

Analisar dividendos é importante para os investidores que desejam aplicar pensando em viver de renda. Eles representam o percentual de lucros que a companhia distribui entre os acionistas, como uma espécie de remuneração. Assim, se tiver comprado ação de uma empresa que paga dividendos, o investidor possui direito a grana extra.

Em algumas situações, o dinheiro é pago mensalmente. Já em outras, os dividendos são disponibilizados uma vez a cada trimestre, semestre ou até mesmo por ano. Dessa forma, o período de liberação dependerá dos critérios da empresa. Mas esse não deve ser o único item a ser avaliado ao determinar as melhores e maiores pagadoras de dividendos.

“A carteira de investimentos em dividendos olha muito para o longo prazo, porque você vai buscar ganhar com o lucro que a empresa distribui, e não necessariamente com a valorização dela” destaca o analista de investimentos da Rico, Thiago Salomão.

Portanto, ao decidir por investir em dividendos, é importante selecionar empresas consolidadas, que distribuem bons dividendos e permanecem com a aplicação por longo tempo. 

Veja a lista com as 30 maiores pagadoras de dividendos de 2019:

Empresa

Setor 

Média Div Yld (inic)

5 anos em %

Div Yield (inic)

12 meses Div + JCP

em %

Retorno 12 meses

com DIV e JCP

em %

Cyrela Realt (CYRE3)

Construção civil 5,27 11,04

113,29

BBSeguridade (BBSE3)

Previdência e seguros 7,57 10,14

36,61

Petrobras BR (BRDT3)

Petróleo gás e biocombustíveis 6,97 10,01

30,09

Sid Nacional (CSNA3)

Siderurgia e metalurgia

2,71 9,37

38,30

Itausa (ITSA4)

Intermediários financeiros 6,66 9,00

7,71

Qualicorp (QUAL3)

Serviços médico-hospitalares análises e diagnósticos 6,51 8,36

225,08

MRV (MRVE3)

Construção civil 5,94 7,94

52,12

Telef Brasil (VIVT4)

Telecomunicações 5,87 7,68

30,22

Smiles (SMLS3)

Diversos 6,79 7,55

-15,55

ItauUnibanco (ITUB4)

Intermediários financeiros 5,56 7,48

-3,46

Taesa (TAEE11)

Energia elétrica 10,93 7,34

30,23

BR Malls Par (BRML3)

Exploração de imóveis 2,23 7,05

37,41

Santander BR (SANB11)

Intermediários financeiros 7,43 5,89

-12,02

CCR SA (CCRO3)

Transporte 4,44 5,45

34,84

Bradesco (BBDC3)

Intermediários financeiros 4,47 5,38

-5,12

Cemig (CMIG4)

Energia elétrica 6,24 5,25

15,02

Bradesco (BBDC4)

Intermediários financeiros 4,80 5,25

-10,90

Bradespar (BRAP4)

Mineração 5,43 4,97

44,48

Cielo (CIEL3)

Serviços financeiros diversos 3,62 4,77

-29,99

Klabin S/A (KLBN11)

Madeira e papel 3,90 4,71

20,38

Fleury (FLRY3)

Serviços médico-hospitalares análises e diagnósticos 5,52 4,71

53,39

Brasil (BBAS3)

Intermediários financeiros 5,30 4,66

-5,67

Btgp Banco (BPAC11)

Intermediários financeiros 5,87 3,93

131,79

Engie Brasil (EGIE3)

Energia elétrica 6,47 3,76

21,40

Eletrobras (ELET6)

Energia elétrica 2,40 3,59

1,96

B3 (B3SA3)

Serviços financeiros diversos 4,39 3,58

64,63

Hypera (HYPE3)

Comércio e distribuição 2,87 3,57

29,73

Petrobras (PETR4)

Petróleo gás e biocombustíveis 1,63 3,50

13,01

Tim Part S/A (TIMP3)

Telecomunicações 2,39 3,44

48,59

Irbbrasil Re (IRBR3)

Previdência e seguros 4,50 3,26

24,36

Informações com base em estudo de analistas da Rico (19/02/2020).

Continue lendo

Ações, Units e ETF's

PicPay se prepara para oferta inicial de ações na Bolsa

Fintech teve crescimento impulsionado em 2020, em razão da pandemia de Covid-19, que estimulou o uso de serviços financeiros digitais.

Publicado

em

PicPay

Diante do contexto competitivo no setor bancário, o PicPay aquece para ingressar na lista de companhias de tecnologia que devem abrir capital em 2021. A carteira digital foi difundida no Brasil por possibilitar transferências instantâneas entre contas de bancos distintos e vem constantemente atualizando as suas soluções financeiras.

Segundo o jornal O Estado de São Paulo, a fintech ainda não formalizou o contrato com o sindicato responsável pela estruturação de sua oferta. Entretanto, a empresa já deu início aos acordos.

O PicPay expandiu aceleradamente em 2020, principalmente depois do começo do isolamento social, imposto pela pandemia de Covid-19. Como consequência, foram impulsionados os serviços financeiros digitais. 

A carteira digital foi fundada em 2012 por um trio de empreendedores de Vitória, no Espírito Santo. Em 2019, a companhia foi comprada pelo Banco Original, da J&F, que também gere a JBS.

Continue lendo

MAIS ACESSADAS