Conecte-se conosco

Empresas

Cielo celebra cessão de direitos relacionados à plataforma Bitz, do Bradesco

Transação de R$21,9 mi

Publicado

em

CIEL3

A Cielo celebrou cessão de direitos relacionados à plataforma Bitz, do Bradesco, conforme fato relevante encaminhado ao mercado.

De acordo com o documento, trata-se de operação do aplicativo de carteira digital, e a Cielo desenvolveu uma plataforma que permite o processamento de carteiras digitais.

“Os Softwares objeto da cessão foram desenvolvidos e customizados a partir desta plataforma. A plataforma original permanece de propriedade da Cielo. Os Softwares, que atendem exclusivamente à Bitz, e vinham sendo utilizados sob licenciamento, serão transferidos à Bitz em caráter definitivo, com todos os seus direitos de uso relacionados”, disse.

E acrescentou: “em contrapartida, a Bitz pagará à Companhia o montante total de R$21,9 milhões. A transação foi realizada em observância às normas legais e regulamentares aplicáveis no âmbito da Companhia, incluindo as previstas no Estatuto Social e na Política de Transações com Partes Relacionadas e Demais Situações Envolvendo Conflito de Interesses, tendo sido aprovada pelo Conselho de Administração da Companhia em deliberação com a participação apenas dos seus membros independentes.”

Cielo

Cielo: 2TRI21

A companhia reportou lucro líquido consolidado de R$180,4 milhões no segundo trimestre deste ano, crescimento de 32,8% sobre o ganho recorrente reportado no trimestre anterior.

Conforme relatório, no mesmo trimestre do ano passado, a companhia teve prejuízo de R$ 75,2 milhões.

De acordo com nota da Cielo, foi o terceiro trimestre consecutivo de lucro líquido na comparação com os três meses anteriores.

Se levar em conta os eventos não recorrentes do primeiro trimestre, que fez o lucro atingir R$ 241, 3 milhões, o ganho do período seguinte recuou 25,2%.

Já no comparativo com igual trimestre de 2020, o resultado foi impulsionado pela melhora em todas as unidades de negócios, com destaque para a Cielo Brasil (negócio de adquirência no Brasil) e Cateno (gestão de contas de pagamento).

A Cielo está listada na bolsa brasileira (B3) sob o ticker CIEL3.

Veja o documento:

Cielo celebra cessão de direitos relacionados à plataforma Bitz, do Bradesco

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Empresas

Vale: Juiz autoriza Samarco a fazer repasses para a Fundação Renova

Caso Brumadinho

Publicado

em

Crédito: O Globo

O juiz da recuperação judicial (RJ) da mineradora Samarco autorizou a companhia a fazer os repasses para a Fundação Renova. A informação é do Broadcast do Estadão.

A iniciativa do juiz contrariou pedido dos credores que queriam a suspensão das transferências.

Pela decisão, a obrigação da Samarco com a Renova não faz parte das dívidas previstas no processo de recuperação judicial.

Antes, a obrigação vinha sendo cumprida pelos acionistas da Vale e BHP. Agora, deve ser assumida pela Samarco, segundo o juiz.

Porém, o magistrado ressalta que o reconhecimento de que as obrigações com a Renova são da Samarco, e não dos acionistas, é “provisória” e que deverá ser melhor discutida mais à frente.

Vale

Na última semana a administração judicial da Samarco enviou à 2ª Vara Empresarial da Comarca de Belo Horizonte pedido de prorrogação, por mais 180 dias, do prazo de deliberação do processo de recuperação judicial da mineradora.

Vale lembrar que a empresa entrou em recuperação judicial em abril, listando dívidas da ordem de R$ 50 bilhões.

Segundo o Valor Econômico, a administração judicial da Samarco também apoiou o pedido da mineradora para postergar as datas da assembleia geral de credores, previstas para 20 e 27 de outubro. Mas solicitou que a assembleia seja convocada apenas para deliberar sobre a constituição de seu comitê, que é um pedido dos credores.

Brumadinho

As despesas com a tragédia do rompimento da barragem de Brumadinho devem consumir até US$ 3,2 bilhões (R$ 16,9 bilhões, no câmbio atual) do caixa da Vale (VALE3) neste ano.

As projeções são da própria mineradora, que divulgou nesta manhã a estimativa (guidance) para o desembolso de caixa em 2021.

A Vale está listada na bolsa brasileira (B3) sob o ticker VALE3.

Continue lendo

Empresas

Moody’s concede upgrade à nota de crédito da Petrobras

De “Ba2“ para “Ba1”

Publicado

em

A agência de classificação de risco Moody’s concedeu upgrade à nota de crédito da Petrobras, conforme documento encaminhado ao mercado pela petroleira.

De acordo com a companhia, a Moody’s elevou sua nota de crédito em 1 nível, de “Ba2“ para “Ba1”, com perspectiva estável.

Também disse que a agência também elevou o rating intrínseco da companhia em 1 nível, de “ba2” para “ba1”.

E acrescentou que com este upgrade a Petrobras é classificada um nível acima do governo brasileiro, o que, segundo a Moody’s, decorre do perfil de crédito superior da companhia, incluindo a comprovada resiliência em condições econômicas e de negócios adversas.

Petrobras

Ainda de acordo com o documento, o Diretor Executivo Financeiro e de Relacionamento com Investidores da Petrobras Rodrigo Araujo Alves considera que “o upgrade mostra o reconhecimento da Moody’s aos esforços para melhorar nossas finanças e otimizar operações. Lembrando que em 2015 tínhamos uma dívida superior a US$ 130 bilhões, desconsiderando arrendamentos. Se os incorporarmos, estamos falando de mais de US$ 150 bilhões de dívida bruta. No 2T21, esse número foi reduzido para US$ 64 bilhões, o que representa uma redução da ordem de US$ 90 bilhões, equivalente ao valor de mercado de várias empresas de grande porte. Toda essa trajetória é sustentada por uma estratégia consistente, um portfólio resiliente e ações para tornar a Petrobras uma empresa cada vez mais forte”.

Moody’s

A Moody’s destacou que a decisão pela elevação da nota da Petrobras foi baseada principalmente no histórico de melhorias em seu desempenho operacional e financeiro, que resultaram em sólidas métricas de crédito. Adicionalmente, a agência considera que a disciplina operacional e financeira continuarão a favorecer a geração de caixa e a estrutura de capital e que outros fatores como a boa liquidez, o perfil confortável de amortizações e o amplo acesso a mercados de capitais globais também foram importantes para o upgrade.

A companhia está listada na bolsa brasileira (B3) sob o ticker PETR4.

Veja o documento:

Moody’s concede upgrade à nota de crédito da Petrobras

Continue lendo

Bancos

Bradesco e Enel X fecham acordo para construção de 9 usinas de energia solar

Geraçao distribuída

Publicado

em

Crédito: Veja

O Bradesco e a Enel X firmaram contrato para o desenvolvimento e construção de nove usinas fotovoltaicas de geração distribuída nos estados do Rio de Janeiro, Ceará e Goiás.

De acordo com a instituição financeira, com capacidade instalada total de 11 MWpm as plantas serão responsáveis por gerar energia limpa para mais de 300 agências do Bradesco nos três estados.

Também disse que o acordo foi estabelecido pelo prazo de 10 anos, com possibilidade de prorrogação do prazo contratual.

E acrescentou que o projeto de geração distribuída da Enel X para o Bradesco reafirma o compromisso sustentável de ambas as empresas, uma vez que vai evitar a emissão anual de cerca de 12 mil toneladas de CO², o que corresponde à neutralização que seria obtida a partir do plantio de cerca de 86 mil árvores.

Bradesco

Ainda de acordo com a instituição financeira, as plantas estão sendo instaladas nos municípios de Quixeré, no Ceará; Buriti Alegre, em Goiás; e Seropédica e Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro.

Ao todo, serão 18.550 painéis solares, distribuídos em uma área total de 246.431 metros quadrados. A previsão é que as usinas iniciem as operações em junho de 2022.

“Em 2020, assumimos o compromisso de, a partir do fim do mesmo ano, ter 100% das operações do Bradesco abastecidas por energia de fontes renováveis. Com esse objetivo já conquistado, nos tornamos uma das primeiras grandes instituições financeiras no mundo a completar a transição”, explica Adelmo Romero Perez Junior, Diretor do Departamento de Patrimônio do Bradesco. Essa parceria reafirma a preocupação do banco com as mudanças climáticas e está em linha com o esforço de se tornar uma empresa cada vez mais sustentável”.

​“O acordo com o Bradesco demonstra a competitividade deste modelo de negócio. A construção de usinas solares de geração distribuída é um dos focos da Enel X no Brasil e nos ajuda em nossa missão de auxiliar empresas de todos os portes e segmentos a atingirem suas metas de descarbonização, em linha com a relevância e a urgência da agenda ESG”, afirma Francisco Scroffa, Responsável da Enel X no Brasil. “Oferecemos aos nossos clientes soluções tecnológicas que garantem uma gestão inteligente e sustentável do consumo energético, com foco no controle de custos, previsibilidade e redução de riscos”.

Geração distribuída

A Enel X, por meio da linha de negócios e-Industries, oferece o serviço de geração distribuída para empresas, permitindo que geradores privados realizem a troca da energia produzida com a rede elétrica.

Por meio desta e de outras soluções integradas em energia, é possível reduzir a conta de energia de forma significativa e contribuir para a sustentabilidade do sistema elétrico ao utilizar uma fonte renovável de energia, auxiliando clientes comerciais e industriais na jornada da transição energética.

Após a instalação, a economia é imediata e os painéis duram por mais de 25 anos. Ao todo, a Enel X possui cerca de 13,2 MWp em sistemas de geração distribuída solar instalados no Brasil.

Contexto de mercado

O Brasil está na lista dos dez países que mais instalaram sistemas de energia solar no mundo em 2020 e em primeiro lugar na América Latina com 3,15 gigawatts em novos empreendimentos no ano passado. Dessas instalações, 80% são consideradas de pequeno porte, com placas solares em telhados para o atendimento da demanda de clientes residenciais e pequenas empresas. Segundo a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), nos próximos dez anos, a mini e a microgeração distribuídas podem ultrapassar 40 gigawatts (GW) no Brasil.

Continue lendo

MAIS ACESSADAS