Conecte-se conosco

Economia

Cinco estratégias simples para organizar as finanças pessoais

Com dicas simples e efetivas, é possível ter o controle das finanças e não ficar refém do dinheiro.

Publicado

em

Quem não tem um bom controle financeiro acaba gastando sem poder e, consequentemente, se enrolando em dívidas. Por isso, é essencial administrar bem as finanças e fazer um planejamento do quanto é gasto. Nesse sentido, confira algumas estratégias que vão ajudar a melhorar o seu relacionamento com o dinheiro. 

Poupe um pouquinho todo mês

É imprescindível que todo mundo construa uma poupança. Nesse caso, quanto mais cedo melhor. O primeiro passo é definir uma parte da renda que deve ser guardada todos os meses. A princípio, não precisar ser muito, o recomendado é que essa quantia esteja entre 10% e 30% de todos os ganhos mensais. 

Tenha uma reserva 

Imprevistos podem acontecer a qualquer momento. Portanto, é essencial reservar uma parte da renda mensal para criar um fundo de emergência, que vai servir para situações de saúde, consertos urgentes, entre outros. Além disso, tendo essa reserva, não é necessário recorrer aos empréstimos em casos de eventualidades.

Descubra quanto é gasto por mês

Esforçar-se para manter um registro de tudo que é gasto é uma estratégia fundamental, visto que só é possível planejar as finanças, sabendo todas as despesas. Assim, anote sempre quanto é direcionado para saúde, contas da casa, cartões de crédito, lazer, entre outros. Mesmo que o valor gasto não seja significante frente aos outros, é importante manter registrado para saber a quantia exata e se planejar conforme esse valor. 

Elimine gastos desnecessários 

Se a renda mensal é menor ou próxima do que está sendo gasto, é necessário ser criterioso quanto ao orçamento e verificar a possibilidade de fazer cortes. Para isso, é preciso estabelecer uma lista de prioridades, por exemplo, gastos com lazer talvez possam ser reduzidos ou trocados. É importante priorizar aquilo que é essencial, como moradia saúde e alimentação. 

Claro, as atividades de entretenimento são tão importantes quanto às citadas acima, mas é fundamental dosar e não ser um refém do consumismo. Sempre avalie um gasto antes de fazê-lo.

Invista o que foi poupado 

Não adianta poupar uma quantia se ela ficar parada. É importante aplicar para fazer o dinheiro render. Diante do cenário atual, há diversos investimentos que aceitam baixos aportes iniciais. 

Para investidores mais agressivos, há aplicações mais arriscadas, como as ações, por exemplo. Para os mais conservadores, é recomendado optar por aplicações mais seguras, como o CDB e o Tesouro Direto. 

Continue lendo
Publicidade
Comentários