Conecte-se conosco

Criptomoedas

Corretora Crypto.com demite 260 funcionários

O universo das criptomoedas está passando por uma baixa significativa afetando diretamente várias empresas: confira!

Publicado

em

O mercado de criptomoedas está passando por uma crise faz alguns meses, no mínimo. De fato, devido à grande taxa inflacionária, com ênfase nos Estados Unidos da América devido à dinâmica do dólar, as criptomoedas vem passando por baixas significativas praticamente todos os dias.

Veja também: Criptomoedas e seus mitos

Nesse sentido, a Crypto.com anunciou que irá demitir 260 pessoas, aproximadamente 5% de seus funcionários corporativos, na medida em que os mercados voltados a essa área continuam ainda demasiadamente, conforme aponta o CEO da empresa, Kris Marszalek.

Dessa forma, em uma série de tweets que foram feitos no dia 10 de junho de 2022, o CEO da empresa descreveu que as demissões foram feitas devido ao momento atípico que o mercado vem passando, nomeando de “difícil e necessária” para “garantir o crescimento contínuo e sustentável no longo prazo”.

Desse modo, Kris Marszalek. também fez uma referência à atual queda que o mercado está passando, fazendo uma alusão ao bear market de 2018 e o “foco no desenvolvimento” da empresa durante o “inverno cripto” entre os anos de 2018 e 2019.

Por conseguinte, levando em consideração esse período, o valor do Bitcoin havia tido uma queda que beira os 65%, caindo de sua alta recorde de quase 20 mil dólares registrada em dezembro de 2017, baixando para 7 mil em fevereiro de 2018.

Iremos continuar avaliando a melhor maneira de otimizar nossos recursos para nos posicionarmos como os mais fortes desenvolvedores durante o ciclo de queda para nos tornarmos os maiores vencedores durante o próximo ciclo de alta”, afirmou Marszalek.

À vista disso, no dia 13 de junho de 2022, a Crypto.com configura-se como a 16ª maior corretora de criptomoedas do mundo, em termos de volume “spot”, ou de negociações que são feitas à vista, processando cerca de 1,3 bilhões de dólares somente no último ano.

Publicidade
Comentários

MAIS ACESSADAS