Conecte-se conosco

Fundos Imobiliários - FII's

Deseja investir em imóvel residencial para alugar? Agora você tem fundos

Mercado de fundos imobiliários (FIIs) já atraiu mais de um milhão de investidores no Brasil.

Publicado

em

Fundos Imobiliários - FIIs

Em meio ao cenário da pandemia de Covid-19, o mercado imobiliário tem conquistado recorde de vendas e financiamentos, em função da redução da taxa básica de juros, Selic, a mínima histórica de 2% ao ano. Com isso, os empreendimentos passaram a ser objeto de desejo dos investidores, que procuram ativos com melhor rentabilidade, assim como os consumidores buscam um imóvel de maior valor, que ficou mais em conta. 

E é possível investir em imóveis com os fundos imobiliários (FIIs), os quais já atraíram mais de um milhão de investidores no Brasil. Com a opção de aplicação em imóveis se conquista renda com aluguéis, aliando pluralidade e liquidez. Porém, até o momento, o mercado residencial, com a intenção de conceber renda mensal com aluguel, havia ficado na parte externa do radar de fundos. Mas só até o momento.

Hoje, existem ao menos três fundos que objetivam gerar renda com aluguéis de imóveis residenciais. Esses são o Housi (HOSI11), Luggo (LUGG11) e Rio Bravo Renda Residencial (RBRS11). Também, o JFL Living pretende lançar a primeira emissão de cotas.

O fundo Rio Bravo Renda Residencial (RBRS11) é o mais recente, tendo feito a sua emissão pioneira em 22 de setembro, abrangendo quase mil cotistas. Em fevereiro deste ano, houve o IPO do fundo da Housi (HOSI11), abarcando cerca de dois mil cotistas. Já o fundo Luggo (LUGG11) realizou o IPO em dezembro de 2019, no período anterior a pandemia, e já inclui 4,2 mil cotistas. 

Anterior a esses FIIs já haviam, pelo menos, 20 fundos que aplicavam no mercado residencial. Porém, a atenção era voltada para o desenvolvimento dos lançamentos, exercendo parceria com as construtoras, que, assim que vendidas as unidades, saíam do investimento. Desse modo, o intuito era lucrar com a venda e, especialmente, a velocidade de venda.

Continue lendo
Publicidade
Comentários