Conecte-se conosco

Bancos

Grandes bancos brasileiros têm maior queda no lucro em 21 anos

Lucro do Bradesco, Itaú, Banco do Brasil e Santander referente ao ano passado caiu 24,4% ante 2019.

Publicado

em

Itaú, Banco do Brasil e Bradesco

Os lucros dos quatro principais bancos brasileiros somaram R$ 61 milhões em 2020, menos 24,4% em comparação com 2019 e o maior retrocesso em 21 anos, de acordo com um estudo divulgado na quarta-feira, 17. Considerando a correção monetária pela inflação, a queda aumenta para 26,6%, visto que em 2019 o lucro nominal conjunto dos bancos Bradesco, Itaú, Banco do Brasil e Santander foi de R$ 81,5 milhões, o melhor resultado desde 1994.

As estatísticas foram divulgadas pela Economática. A consultora apontou que o Itaú teve o melhor resultado entre os quatro no ano passado, com lucro anual de R$ 18,9 milhões, seguido do Bradesco, com R$ 16,5 milhões. O Santander ficou em terceiro lugar, com lucro de R$ 13,4 milhões e o Banco do Brasil finalizou em quarto, com lucro de R$ 12,6 milhões.

O estudo analisou também o retorno sobre o patrimônio, que é o resultado do lucro líquido dividido pelo patrimônio líquido médio. Em 2020, esse índice gerou percentual de 12.06% para os quatro bancos, o menor valor registrado desde 1995, quando marcou 10,56%.

Os quatro maiores bancos do Brasil tiveram lucro afetado pela pandemia de covid-19, além do forte aumento das provisões que o setor teve de reservar para cobrir dívidas de difícil cumprimento. Segundo as últimas projeções de economistas e do Governo, o Brasil sofreu uma contração da sua economia próxima a 4,5% em 2020.

Bancos

Clientes da Caixa podem acessar portal de serviços do governo pelo aplicativo

Além da Caixa, Banco do Brasil, Bradesco, Banrisul e BRB também estão integrados ao Portal Gov.br.

Publicado

em

Caixa Econômica Federal (CEF)

Mais de 47 milhões de usuários da Caixa Econômica Federal podem acessar serviços digitais oferecidos pelo governo utilizando a mesma senha do aplicativo do banco. Os serviços são do Portal de Serviços Públicos do Governo Federal (www.gov.br). Além da União, 11 estados, 74 municípios e o Distrito Federal estão integrados à plataforma. 

Atualmente, 93 milhões de pessoas estão cadastrados no gov.br. Entre os principais serviços disponíveis estão o Meu INSS, carteira digital de trânsito, carteira de trabalho digital, saque do abono salarial e pedido de seguro-desemprego. 

Nos estados e municípios que aderiram ao Portal, o usuário pode acessar o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), além de taxas de limpeza e de iluminação pública. 

Atualmente, o Banco do Brasil, Banrisul, Bradesco e BRB disponibilizam o acesso aos serviços através dos aplicativos. Na semana passada, o Sicoob, uma instituição financeira cooperativa, também passou a oferecer acesso ao portal. 

A Secretaria de Governo Digital do Ministério da Economia, responsável pela plataforma gov.br, indica que o acesso por meio do aplicativo é seguro. Com a integração, o governo tem acesso apenas ao nome completo, CPF, e-mail e telefone do usuário. 

Como acessar

Ao acessar sites ou aplicativos governamentais que permitam a autenticação através da opção gov.br, o usuário será redirecionado a uma tela que apresentará o item “Bancos Credenciados”. Ao acioná-lo e escolher uma das opções, o cliente será direcionado ao ambiente do sistema cooperativo, onde informará suas credenciais de acesso e receberá uma mensagem no aplicativo.

Após esse processo, o correntista deve aprovar o compartilhamento dos dados pessoais. Por fim, o usuário será direcionado ao serviço que acessou originalmente já identificado.

Continue lendo

Bancos

Pedir e renegociar empréstimos em bancos públicos e privados ficou mais fácil

Medida provisória estabelece dispensa de apresentação de documentos para solicitar empréstimo. Confira a lista completa.

Publicado

em

Empréstimo - crédito

Publicada no Diário Oficial da União no dia 10 de fevereiro, a Medida Provisória 1.028/2021 facilita o pedido de empréstimos para minimizar os problemas econômicos causados pela pandemia de covid-19. 

Com a MP, instituições financeiras públicas e privadas estão dispensadas de exigirem documentos como a comprovação de quitação de tributos federais e de regularidade com o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) no momento de contratar ou renegociar empréstimos. A dispensa que vai até o dia 30 de junho de 2021 vale para pessoas físicas e jurídicas. 

A liberação de documentos e consultas só não poderá ser aplicada em caso de operações que têm os recursos do FGTS como fonte. Além disso, os empréstimos e renegociações não poderão ser feitos com quem possui dívida com a Seguridade Social. 

A MP também exige que os bancos públicos e privados encaminhem a relação das renegociações e contratações de operações de crédito que envolvam recursos públicos, indicando os beneficiários, valores e prazos envolvidos. Os documentos devem ser enviados à Receita Federal e à Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional.

Confira a lista de documentos que estão dispensados nas solicitações de empréstimo:

  • Comprovação de quitação de tributos federais;
  • Certidão negativa de inscrição na dívida ativa da União;
  • Certidão de quitação eleitoral;
  • Comprovante de regularidade com FGTS;
  • Comprovante de regularidade na entrega da Relação Anual de Informações Sociais (Rais);
  • Comprovação de pagamento do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (ITR) (para tomadores de empréstimo rural);

Continue lendo

Bancos

PicPay dá mais um passo para se firmar como marketplace financeiro com crédito pessoal

Com mais de 40 milhões de usuários cadastrados, funciona como um canal de distribuição para esses produtos e serviços financeiros

Publicado

em

PicPay

O PicPay agora passa a oferecer crédito pessoal na sua plataforma com o objetivo de se consolidar como um marketplace financeiro. O pontapé foi dado para uma base de 14 milhões de clientes elegíveis. A expectativa é integrar outros serviços e modalidades à prateleira do super app ao longo do ano.

“O usuário do PicPay tem uma alta demanda de produtos de crédito e enxergamos que eles são complementares ao nosso portfólio de serviços financeiros. Além de ser um produto importante para o negócio, a oferta está em linha com o momento do mercado de concessão em alta e de taxas mais atrativas”, diz Frederico Trevisan, head de Crédito e Cartões do PicPay.

Vagas de emprego PicPay

PicPay

Com mais de 40 milhões de usuários cadastrados e sem o risco da operação, o PicPay funciona como um canal de distribuição para esses produtos e serviços financeiros. A interação dentro da plataforma e a alta capacidade de inteligência artificial do super app permite que a oferta do crédito pré-aprovado seja mais assertiva e aderente ao usuário, facilitando assim a conversão. Além disso, toda a gestão operacional é feita pelo próprio PicPay, otimizando e reduzindo custos das instituições que concedem o crédito.

Se por um lado, a venda de empréstimos na plataforma agiliza a vida dos parceiros, do lado do tomador, ela encurta caminhos e facilita a utilização dos recursos. A partir do momento em que o cliente contrata e recebe o dinheiro na plataforma, ele já pode usá-lo para pagar boletos, realizar transferências, consumir e fazer render o que está parado na conta. Até o pagamento das parcelas pode ser feito no próprio app.

“Quando o cliente consegue ter o cartão vinculado à carteira, consumir e ainda ter empréstimo em um lugar só, o PicPay se consolida como a principal wallet dele”, resume Trevisan.

App

Além da facilidade de ter um app “tudo em um”, à medida que outros players se integram à plataforma, a tendência é que gere uma competitividade natural que proporcione taxas mais baixas e condições melhores para os usuários do PicPay. Desse modo, a iniciativa também é um passo em direção ao Open Banking, que tem a promessa de ampliar e baratear a oferta de produtos financeiros para consumidores e empresas.

Como contratar:

  • O primeiro passo para ter acesso ao crédito pessoal na plataforma é baixar o app do PicPay. Caso o cliente tenha uma oferta pré-aprovada, ele terá disponível o botão de crédito pessoal.
  • Durante o lançamento, o produto terá uma carência de 90 dias para o pagamento da primeira parcela. A ação vale até o fim de fevereiro.
  • As taxas variam de 1,99% a 7,99% ao mês e os prazos são de até 48 meses para quitação do empréstimo. Uma vez aprovado, o crédito é feito diretamente na conta do PicPay.

Continue lendo

MAIS ACESSADAS