Conecte-se conosco

Economia

Inflação alta concentra renda no setor de imóveis em SP

Casal com dois filhos só quitaria imóvel médio na Capital paulista após 25 anos

Publicado

em

Reflexo da concentração de renda alimentada pela inflação em disparada, estudo elaborado pela plataforma de inteligência de mercado Urbit mostra que apenas os 10% mais ricos têm condições de adquirir um imóvel no valor médio de R$ 600 mil na capital paulista.

Acessibilidade financeira – Esses dados resultam da criação de um índice cuja função é verificar a acessibilidade financeira dos imóveis em São Paulo, além de comparar a renda dos paulistanos com o preço dos apartamentos.

Limitações definidas – Outra conclusão da pesquisa é que, por exemplo, um casal com dois filhos e uma renda média terá condições de comprar um imóvel, no máximo, de R$ 190 mil, ao passo que uma pessoa apenas poderia adquirir o bem por R$ 110 mil. Em ambos os casos, é considerado como modelo de estudo um apartamento com apenas um dormitório. No caso do casal, a renda média mensal hipotética seria de R$ 3.887, e de R$ 2.390,93, no caso de apenas uma pessoa.

Uma vida – Outro dado interessante dá conta de que uma pessoa precisaria guardar o correspondente a 14 anos de salário para poder adquirir um imóvel de um quarto. Já o casal levaria 25 anos para atingir a mesma meta, no caso de um imóvel de três ou quatro quartos.

Preços vão subir – Durante evento virtual que serviu para a discussão do cenário econômico atual, assim como aspectos como financiamento e políticas habitacionais, o presidente da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), Luiz França, estimou que “o valor cobrado pelos imóveis em São Paulo ainda tem espaço para crescer”.

E a renda? – Ao afirmar que, “no médio e longo prazo, haverá correção no preço de imóveis no país”, França ressalva que isso, no entanto, “só vai ocorrer quando a renda das pessoas se elevar, conforme a economia voltar a se equilibrar e o poder aquisitivo acompanhar”.

Publicidade
Comentários

Economia

Sem o ICMS, como fica o preço da gasolina daqui para frente?

Acompanhe as últimas atualizações nos valores dos combustíveis e descubra se a isenção do tributo está fazendo a diferença nos preços.

Publicado

em

Combustível ICMS

Os estados e o Distrito Federal, na tentativa de conter os avanços nos preços dos combustíveis, optaram por congelar o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Agora, a incidência do tributo sobre o preço dos combustíveis é nula entre os período de 1º de novembro de 2021 e 31 de janeiro de 2022.

Leia mais: Faça as contas: Quanto custa um ano de combustível dos carros econômicos?

A ação, que busca suavizar a disparada de preços, não conseguirá segurar os futuros reajustes da gasolina e do diesel, por exemplo. O motivo está associado a um dos “motores” que causam esse aumento, neste caso, a desvalorização do real em relação ao dólar.

A alta acumulada da moeda chega a 7,82% sobre o real só este ano e, como ela está atrelada ao valor do petróleo, há chances de subida dos combustíveis mesmo com o ICMS zerado, fato visto no começo deste mês. No mês de outubro, a gasolina subiu 3,10%, seu maior impacto individual na inflação até então.

Mas e como está a gasolina hoje com o ICMS zerado?

Segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o preço médio da gasolina nos postos de todo o país apresentou estabilidade na última semana, com a média de R$ 6,752 sendo cobrada pelo litro. Em 2021, a alta acumulada do produto é de 49,48%.

No caso do diesel, o cenário da semana passada também foi estável nos preços, em que o litro foi comercializado na média de R$ 5,356. Já alta acumulada do produto é de 47,35%. O botijão de gás também foi outro que manteve o preço médio, custando cerca de R$ 102,27.

O único que apresentou subida foi o etanol, que aumentou 0,37% no mesmo período, custando em média R$ 5,414 e acumulando 70,25% de alta no ano.

Continue lendo

Economia

Quem tem aposentadoria especial pode seguir trabalhando?

Veja se é possível continuar na atividade depois de se aposentar.

Publicado

em

Aposentadoria para quem tem fibromialgia.

A aposentadoria especial é uma proteção para o trabalhador que expôs a saúde em risco diariamente. Por exemplo, aquele que trabalha com exposição ao frio, calor, ruído, eletricidade e outros. E aquelas profissões que envolvem perigos, como seguranças, policiais e bombeiros.

Leia mais: Adeco anuncia 2.642 vagas de emprego para todos os níveis; Inscreva-se

É uma maneira de compensar o trabalhador. Com a Reforma da Previdência, de 2019, a definição é de que atividades de risco baixo precisam de 25 anos de contribuição. De risco médio, 20 anos. E risco alto, 15 anos. Diante da Reforma, a idade mínima é de 60 anos para o segurado especial de risco baixo, 58 para médio e 55 anos de alto risco.

Dessa forma, a aposentadoria especial permite que o trabalhador se aposente antes do que faria por idade ou tempo de contribuição.

Aposentadoria especial

A aposentadoria especial busca compensar as exposições ao risco dos trabalhadores. Por isso, o questionamento de muitos profissionais é se podem se aposentar e continuar trabalhando. Dessa forma, como a aposentadoria especial vem justamente com a proposta de diminuir o tempo de exposição ao risco. Por isso, nem sempre é possível continuar trabalhando.

Esse tipo de aposentadoria é contrária à manutenção do emprego. Por isso não é possível se aposentar e continuar prestando o serviço por conta dos riscos. Mas, o aposentado especial pode continuar trabalhando em outras áreas, desde que as atividades não ofereçam riscos.

Esse é o entendimento do Superior Tribunal Federal (STF). Mudando a atividade profissional é possível manter a aposentadoria especial e ter um emprego ao mesmo tempo. A mesma regra vale para a aposentadoria por invalidez.

Para comprovar a aposentadoria especial os trabalhadores precisam apresentar documentos que comprovem a insalubridade do emprego. A exemplo do Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP) que precisa ser emitido pela empresa. Além de laudos técnicos.

Além disso, para as atividades antes de 1995 é preciso comprovar por meio de enquadramento em categoria considerada especial. Depois disso, a legislação ficou mais rigorosa e exige mais documentos de comprovação.

Continue lendo

Economia

Guide Investimentos cobre oferta da XP e lança CDB com rendimento de 310%

A Guide Investimentos está com uma promoção na Black Friday que oferece cupom de descontos e a facilidades para quem quer investir.

Publicado

em

Guide Investimentos divulgou a carteira recomendada

A Guide é uma plataforma que guia os clientes no mundo dos investimentos. Tanto que a última novidade é que a Guide cobriu a oferta da XP, lançando investimento de 310% do Certificado de Depósito Interbancário (CDI). Ou seja, 10% a mais do que é oferecido pela XP.

Leia mais: Enel (ENEL) anuncia investimento de R$ 31 bi no país, entre 2022 e 2024

Até 26 de novembro a promoção GuideNovember oferece promoções para quem deseja turbinar os investimentos. Quem abrir uma conta Guide nesse período pode começar investindo R$ 100.

De acordo com a Guide, a liquidez é diária e rende até 414% da poupança em três meses.

Investimento Guide

Para aproveitar a promoção de novembro da Guide Investimentos, o primeiro passo é baixar o aplicativo da Guide e abrir uma conta de investimentos.

Depois disso é preciso inserir o cupom de desconto da promoção deste mês de novembro, como consta no regulamento da campanha. Por último, pelo prazo de até 48 horas os novos clientes precisam transferir o valor mínimo de R$ 100.

Só é possível usar um cupom de desconto por CPF durante a promoção da Black Friday Guide. Para quem é novo no mundo dos investimentos, a Guide oferece assessoria durante todo o processo. Desde a abertura da conta até o momento de investir.

Além disso, quem abrir uma conta durante a Black Friday Guide aproveita ainda benefícios e presentes exclusivos da promoção de novembro. Todas as ofertas são garantidas usando o cupom de descontos #guide310.

Ainda de acordo com a Guide Investimentos, depois da abertura da conta os novos clientes tem o tempo máximo de 90 dias para começar a investir. No site é possível conferir todo o regulamento da promoção de novembro.

Para abrir uma conta na Guide é preciso ter 18 anos e CPF ativo. Para aproveitar as Black Friday os interessados não podem ter contas já abertas na Guide Investimentos. Ou seja, vale apenas para novos clientes.

Continue lendo

MAIS ACESSADAS