Conecte-se conosco

Bancos

Moedas digitais influenciam na política monetária, diz presidente do BC

Os rendimentos de títulos globais têm tido um rali

Publicado

em

Presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto disse que a atual conjuntura global de juros baixos, liquidez abundante e disponibilidade de vacinas faz o mercado precificar um aumento da inflação, mas minimizou risco de problemas decorrentes desse cenário.

“A gente, mais recentemente, teve alguns sinais de que o mundo enxerga que existem muitos programas de liquidez ao mesmo tempo”, disse Campos Neto em participação, por meio de vídeo gravado, em congresso organizado pela Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs).

“Você já começa a ver a luz no fim do túnel, em termos de vacinação, então isso tem criado aí um ambiente onde o mercado começa a precificar um aumento de inflação na frente, mas nada que crie um grande problema.”

Banco Central do Brasil

BC: Campos Neto

Segundo ele, os rendimentos de títulos globais têm tido um rali neste ano por temores de inflação no mundo, o que por sua vez tem abalado os mercados financeiros. Nesta terça, o BC divulgou a ata da última reunião do Copom, que, para analistas, trouxe uma linguagem mais dura com a inflação do que o comunicado da decisão de juros da semana passada.

Em sua fala à Abecs, Campos Neto também disse acreditar que a sociedade demanda uma recuperação pós-pandemia mais sustentável e inclusiva. Ele afirmou que as economias caminham para um mundo imerso em “muito mais tecnologia”, com mudanças nos padrões de consumo e produção.

“Se a gente pensar nas viagens que nós fazíamos para fazer apresentações e fazer eventos, provavelmente a gente ainda vai viajar, mas talvez não no padrão anterior, não sei, talvez vá existir um meio-termo porque a tecnologia se mostrou muito eficiente, fechando esse ‘gap’.”

Também destacou que a pandemia também foi uma propulsora do avanço da tecnologia de pagamentos, com mais pessoas precisando fazer pagamentos em casa.

Moeda Digital

Na esteira de discussões em curso por diversos banqueiros centrais, Campos Neto destacou que a autarquia já avançou em alguns debates acerca da criação de sua moeda digital, mas ressalvou que ainda há mais questionamentos que respostas referentes a esse processo.

“A gente entende que isso (criação de moedas digitais) tem várias consequências para a parte de política monetária, parte de meios de pagamento, inclusão financeira, mas acho que as grandes perguntas ainda estão no ar.”

“E é importante que, nesse processo de confecção da moeda digital, os países tenham moedas digitais que sejam homogêneas, ou seja, que sejam interoperáveis”, disse, mencionando que essas características permitirão o avanço na área de pagamento, bem como em operações financeiras para além das fronteiras, conhecidas pela expressão em inglês “cross border”.

Presidente do BC

Apesar de não entrar em detalhes, Campos Neto especificou que a autoridade monetária entende, no caso doméstico, que uma eventual moeda digital não deverá ser remunerada, sob o risco de “desintermediar” o sistema financeiro, mas ser “uma extensão da moeda física”.

O presidente do BC também disse que a autarquia tem avançado na discussão sobre o tema. “Não posso falar muito mais em relação ao que vem por aí, porque tem também outros projetos digitais que vêm junto com a moeda digital (e) que vão criar uma forte inovação nesse mercado, mas estamos caminhando nessa direção.”

BC

Em agosto de 2020, o BC formou um grupo de trabalho para discutir impactos de uma eventual emissão de moeda digital pela autoridade monetária.

À época, o BC afirmou que a chamada CBDC –“central bank digital currency” ou moeda digital de banco central– é diferente de uma criptomoeda sem garantia nacional, como bitcoin, por ser uma nova forma de representação da moeda já emitida pelo BC do país em questão –fazendo, portanto, parte da política monetária.

Principais bancos

Os principais bancos centrais do mundo estão avaliando a criação de moedas digitais que possam desempenhar um papel importante para tornar pagamentos internacionais mais rápidos e baratos em transações de grande escala e de consumidores.

Nos Estados Unidos, o chair do Federal Reserve (Fed, banco central do país), Jerome Powell, afirmou na segunda-feira que, apesar do atual desenvolvimento de pesquisa sobre o tema, o Fed não avançaria com planos para criação de uma moeda digital sem aprovação do Congresso norte-americano.

De acordo com Powell, a colaboração com a Iniciativa de Moeda Digital do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês) concentra-se nos riscos e benefícios de uma moeda digital, e não em criar um protótipo.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Bancos

Nubank lança assistente de pagamentos para contas recorrentes

Novidade do banco digital permite que o cliente automatize o pagamento de compromissos financeiros do dia a dia.

Publicado

em

Novo layout app Nubank

O Nubank tem uma novidade para quem tem compromissos financeiros recorrentes e quer mais facilidade para quitar essas contas em dia. O assistente de pagamentos do banco digital possibilita que o cliente com conta pessoal ou PJ cadastre suas dívidas mensais no débito automático.

Veja também: Mais crédito no cartão: Nubank realiza aumento de limite em massa

A nova função garante mais tranquilidade e segurança na hora de garantir que todas as contas recorrentes foram quitadas em dia. É mais fácil, prático e transparente em um mundo moderno e cheio de tarefas.

A fintech também anunciou que vai ampliar as funções do assistente de pagamentos em breve. O serviço está sendo disponibilizado aos poucos para os titulares de contas digitais no Nubank.

Até o momento, é possível colocar em débito automático boletos como água, luz, telefone, gás e internet. Basta cadastrar no aplicativo e ter saldo suficiente disponível na data pagamento.

Como colocar uma conta no débito automático?

Confira o passo a passo para ativar a nova funcionalidade:

  • Acesse o aplicativo do Nubank;
  • Na tela inicial do app, aperte a opção “Assistente de pagamentos”;
  • Toque no sinal de “+”, depois em “Pagamento”;
  • Escolha o tipo de pagamento e a empresa;
  • Clique em “Débito automático”;
  • Informe o código de débito automático (geralmente pode ser encontrado na fatura da conta);
  • Aperte em “Aceitar e enviar” e confirme com a senha.

O usuário ainda pode definir um valor para ser avisado caso a dívida fique muito alta. Essa opção fica disponível logo após informar o código de débito automático.

Continue lendo

Ações, Units e ETF's

CSN (CSNA3): BB Investimentos recomenda Compra com preço-alvo em R$46

Resultados excelentes em cenário favorável

Publicado

em

CSN (CSNA3): BB Investimentos recomenda Compra com preço-alvo em R$46

O BB Investimentos analisou o ativo CSN (CSNA3) em seu portfólio e optou por manter a recomendação de Compra com preço-alvo em R$ 46 por ação.

De acordo com a instituição financeira, o ano de 2021 tem sido bastante positivo para a companhia, que no primeiro semestre apresentou resultados excelentes, aproveitando-se do cenário favorável para os segmentos de siderurgia, mineração e cimentos, com recordes em diversos indicadores.

Também disse que a forte geração de caixa operacional e sua disciplina financeira e de capital levaram a uma redução substancial do seu nível de alavancagem financeira, atingindo antecipadamente suas metas previstas para o final de 2021, que considerávamos ambiciosas quando de sua divulgação.

CSN (CSNA3): BBB Investimentos recomenda Compra com preço-alvo em R$46

CSN

Ainda de acordo com o BB, a empresa deu importantes passos em direção às estratégias de crescimento e geração de valor estabelecidas pelo grupo, tais como a independência dos negócios – com o IPO da CSN Mineração – e a forte expansão no segmento de cimento – com a aquisição da Elizabeth Cimentos e a recém-anunciada aquisição da LafargeHolcim, que robusteceram a tese de investimento para a abertura de capital da CSN Cimentos.

“Apesar do cenário de cautela para mineração, com as fortes quedas de preços de minério de ferro, sobretudo pela desaceleração do ritmo da atividade siderúrgica na China, entendemos que as perspectivas são de bons resultados para a CSN nos próximos trimestres, sustentados pelos preços de aço elevados no mercado interno, bem como demanda aquecida no setor de cimento e margens ainda atrativas na mineração, em função dos baixos custos de produção da empresa frente aos pares internacionais”, destacou.

Veja CSNA3 na Bolsa:

CSN (CSNA3): BBB Investimentos recomenda Compra com preço-alvo em R$46

Continue lendo

Bancos

Banco do Brasil libera depósito de dinheiro em caixas do Banco24Horas

Clientes do BB podem utilizar os mais de 2,4 mil caixas eletrônicos do Banco24Horas para depositar dinheiro.

Publicado

em

Banco24Horas

A partir de agora, clientes do Banco do Brasil podem depositar dinheiro em caixas eletrônicos do Banco24Horas. Cerca de 145 milhões de brasileiros já utilizam as mais de 2,4 mil máquinas espalhadas por todo o país para oferecer mais comodidade e segurança.

Veja também: CNH Social abre 20 mil vagas; Veja com tirar a habitação de graça

Os valores podem ser depositados em espécie, sem a necessidade de usar envelopes. O processo leva poucos segundos e pode ser realizado por correntistas pessoa física ou jurídica. Para quem tem uma conta poupança na instituição, o serviço será liberado ainda neste semestre.

O débito em conta ocorre em tempo real, assim como a verificação das notas. Além dos depósitos, os clientes do BB que usam os caixas do Banco24Horas podem realizar saques, consultas de saldos, extratos, pagamento de contas e mais.

“Dentre os maiores bancos do país, o BB será o primeiro a disponibilizar este benefício para seus clientes no Banco24Horas, proporcionando maior comodidade, pois, além dos 8,5 mil recicladores próprios, ampliará o serviço em 2,4 mil caixas da TecBan, proporcionando ganho de eficiência operacional e a melhoria da experiência dos nossos clientes”, afirmou Euler Mathias, gerente geral da Unidade de Atendimento e Canais do BB.

Segundo Vitor Chiavelli, diretor de Desenvolvimento de Negócios e Relacionamento da TecBan, o Banco24Horas já era parceiro de lojas que depositam o dinheiro em espécie nos caixas eletrônicos da rede. O Banco do Brasil será o primeiro a oferecer o serviço para seus clientes.

“O depósito torna o ecossistema financeiro mais eficiente. Quanto mais pessoas usam, mais segurança e menor custo para todos. Isto é positivo para as instituições, para os clientes e para o meio ambiente. Pretendemos ampliar a disponibilidade deste serviço para mais instituições”, disse Chiavelli.

Os caixas eletrônicos habilitados com a função depósito podem ser localizados no aplicativo ou site do BB e no aplicativo do Banco24Horas.

Continue lendo

MAIS ACESSADAS