Conecte-se conosco

Ações, Units e ETF's

Movida (MOVI3): BTG revisa estimativas para incorporar últimos dados

A falta de veículos continua sendo o principal gargalo do crescimento

Publicado

em

O BTG Pactual (BPAC11) analisou o ativo Movida (MOVI3) em seu portfólio e optou por recomendar Compra com preço-alvo em R$ 27,00 por ação.

Isso porque o banco de investimentos revisou as estimativas para MOVI3 para incorporar os últimos dados da companhia.

O relatório elenca os últimos dados operacionais e financeiros da empresa, bem como sua contínua escassez de veículos, o que distorce preços de equilíbrio para carros, e a Incorporação da CS Frotas. Também a atualizações macro e da taxa de desconto.

“Em suma, estamos ajustando nossas estimativas para 2021E e 2022 da receita líquida em 6% e 27%, EBITDA em 112% e 137% e lucro líquido em 135% e 108%, respectivamente. Nosso novo preço-alvo utilizando fluxo de caixa descontado é R$ 27 (vs. R$ 25 / antes), implicando um potencial de 55%. Nos níveis atuais, vemos a MOVI3 sendo negociado em um atrativo 7,3x Preço / Lucro em 2022, desconto de 49% sobre a média do setor”, destacou.

Movida

Conforme o relatório do BTG, divulgado na tarde desta segunda (22), a divisão do RAC está se beneficiando do ambiente de demanda forte, que, juntamente com a maior taxa de juros, melhor mix e falta de veículos, está levando a um aumento nas tarifas (as tarifas RAC aumentaram 20% e 46% a/a durante o terceiro e segundo trimestre, respectivamente).

Por outro lado, a falta de veículos continua sendo o principal gargalo do crescimento para o segmento. “Olhando para o futuro, apesar do crescimento mais fraco, acreditamos que o maior rendimento por carro deve continuar a impulsionar a lucratividade na divisão. Quanto ao nosso modelo, estamos aumentando nossa receita líquida de RAC para 2021 e 2022, aumento de 27% e 42%, respectivamente. Nossas novas margens de EBITDA 21E e 22E são de 49% e 50%, respectivamente”, ressaltou.

Gestão de frotas

Ainda de acordo com o banco de investimentos, a divisão de frota continua com bom desempenho, sendo a Movida Zero Km o principal destaque do segmento, visto que os aluguéis diários mais que dobraram na base anual durante o terceiro trimestre.

“Esperamos que a Movida Zero Km continue impulsionando o crescimento da divisão, já que a o mercado de assinatura de automóveis ainda é pouco penetrado. Além disso, a Movida recentemente incorporou a CS Frotas (refletido parcialmente no 3º trimestre), o que também deve trazer crescimento para o segmento. Como escrevemos anteriormente, vemos esta transação como positiva e altamente sinérgica com a Movida, dando-lhe acesso ao lucrativo e crescente mercado de locação de veículos especiais, além de trazer crescimento de curto prazo em um momento de escassez de veículos novos. Quanto ao nosso modelo, estamos aumentando nossas estimativas em 2021 e em 2022 da receita líquida em 76% e 140%, respectivamente”, frisou.

Seminovos

Para o BTG, a divisão de seminovos está se beneficiando da escassez de automóveis no mercado automotivo, que continua a aumentar os preços médios de venda. “De acordo com nossas verificações, as montadoras esperam um aumento constante nos preços dos veículos novos perdurando no próximo ano, com mercado com normalização esperada apenas para o segundo semestre de 2022. Esse cenário deve continuar se refletindo em margens sólidas para a divisão, mesmo que a depreciação aumente. Como tal, estamos agora assumindo um total de veículos vendidos de 45 mil e 60 mil em 2021 e 2022, respectivamente (de 73 mil e 84 mil antes), com preços médios de venda de R$ 57 mil e R$ 60 mil para os mesmos períodos (de R$ 41 mil e R$ 42 mil antes). Nossa nova margem EBITDA é de 19% e 14% para 2021 e 2022, respectivamente, bem acima do 1% que tínhamos antes para 2021 e 2022”, concluiu.

Veja MOVI3 na bolsa:

Publicidade
Comentários

Ações, Units e ETF's

Ibovespa fecha em baixa de 0,87%, aos 101.915,45 pontos

O Ibov acumula perda de 1,53% em novembro, sendo menos 14,37% em 2021 e menos 6,41% em 12 meses.

Publicado

em

Crédito: Agência Brasil

O Ibovespa fechou a sessão desta terça-feira (30) em baixa de 0,87%, aos 101.915,45 pontos. O giro financeiro marcou R$ 46,9 bilhões.

O Ibov acumula perda de 1,53% em novembro, sendo menos 14,37% em 2021 e menos 6,41% em 12 meses

Em Nova York, o Dow Jones caiu 1,86% (34.483,92), o S&P 500 caiu 1,90% (4.566,95), e a Nasdaq caiu 1,55% (15.537,69).

Na Europa, Frankfurt caiu 0,89%; Londres caiu 0,44%; Paris caiu 0,55%; Madri caiu 0,98%; Stoxx 600 caiu 0,62% (464.36).

O dólar, por sua vez, fechou em alta de 0,46%, a R$ 5,6355, e os Treasuries, que são títulos do Tesouro norte-americano, ficou assim: o T-bond de 30 anos recuou a 1,7870% (1,8532%), o T-note de 2 anos subiu para 0,5470% (0,4843%), e o T-note de 10 anos caiu para 1,4380% (1,4979%).

Em relação aos juros futuros, após os ajustes, o DI para janeiro de 2023 caiu para 11,870% (de 11,896%); para janeiro de 2024 a 11,660% (11,723%); para janeiro de 2025 a 11,490% (11,595%); para janeiro de 2027 a 11,380% (11,573%); para janeiro de 2029 a 11,410% (11,582%); e para janeiro de 2031 a 11,380% (11,572%).

Foto divulgação

Ibovespa: empresas

  • Confira as 3 maiores altas do dia 30, segundo a Eleven Financial:

    📈#CCRO3 +6,95% (R$ 12,31)
    📈#YDUQ3 +4,35% (R$ 21,83)
    📈#BBAS3 +3,34% (R$ 31,84)

  • Confira as 3 maiores baixas do dia 30:

    📉#LWSA3 -10,09% (R$ 13,19)
    📉#CASH3 -9,12% (R$ 2,99)
    📉#CVCB3 -6,39% (R$ 13,62)

Caged

O Caged mostrou uma geração de 253.083 empregos formais em outubro. No ano, o saldo é positivo em 2,645 milhões de empregos. Já o levantamento referente a outubro ficou abaixo da mediana das estimativas (260 mil), que variavam entre 206.121 e 470.065

Ibovespa: commodities

Do lado das commodities, o barril do WTI para janeiro caiu 5,39% na Nymex, para US$ 66,18, enquanto o Brent para fevereiro perdeu 5,45% na ICE, para US$ 69,23 o barril.

O cobre, por sua vez, recuou com incertezas sobre impacto da Ômicron na demanda por commodities. Na Comex, dezembro caiu 2,23%, a US$ 4,2780/libra-peso; na LME, contrato de 3 meses tinha baixa de 1,40%, a US$ 9.458,50/t.

Já o contrato de ouro para fevereiro, que se tornou o mais líquido na Comex, caiu 0,49%, para US$ 1.776,50 por onça-troy.

Coronavírus

Levantamento do consórcio de imprensa mostra que o Brasil registrou na segunda-feira (29) 114 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, com o total de óbitos chegando a 614.428 desde o início da pandemia.

Assim, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias ficou em 227. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -7% e aponta tendência de estabilidade.

Continue lendo

Ações, Units e ETF's

BTG coloca no mercado seu 1º fundo de índice de ações de commodities do país

Atualmente, as commodities representam 65% das exportações brasileiras

Publicado

em

O BTG colocou no mercado seu primeiro fundo de índice de ações de commodities do país. Trata-se do ETF BTG Pactual Teva Ações Commodities Brasil Fundo de Índice (CMDB11), que replica o índice Teva Ações Commodities Brasil, negociado em bolsa.

O movimento se dá em parceria com a Teva Indices, e o ETF reúne 29 empresas brasileiras de commodities responsáveis por 97% das exportações do setor.

Segundo o BTG, o ETF é composto por empresas que atuam em mineração e metalurgia, alimentos de carnes e derivados, papel e celulose, açúcar e álcool, extração de petróleo e produção agrícola.

Sócio e head de renda variável da BTG Pactual Asset Management, Will Landers disse que o Brasil é um dos maiores produtores e exportadores de commodities no mundo, que segue com tendência de alta puxada pela recuperação da demanda internacional.

Ele ressaltou que o ETF CMDB11 nasce como ótima alternativa doméstica para diversificar os investimentos, apostando em um setor atrelado à economia global, com receita dolarizada.

Colheita de soja

BTG – Commodities

De acordo com o BTG, entre julho de 2016 e outubro de 2021 o índice acumulou uma performance de 254,4% ante 98,2% do Ibovespa no mesmo período. Atualmente, as commodities representam 65% das exportações brasileiras. No mercado global, o Brasil representa 50% do comércio mundial de soja, 13,4% da produção global de carnes e 4% da produção de petróleo.

Continue lendo

Ações, Units e ETF's

Ânima (ANIM3) consolida posicionamento em educação médica, diz XP

A companhia anunciou que a DNA Capital investirá R$1 bi na Inspirali

Publicado

em

A XP Investimentos analisou o ativo Ânima Educação (ANIM3) em seu portfólio e optou por reiterar a recomendação de Compra.

De acordo com a corretora, a companhia anunciou que a DNA Capital investirá R$ 1 bilhão na Inspirali, a vertical de faculdades de medicina, por uma participação de 25%.

Também disse que a transação visa acelerar os esforços de expansão da Inspirali e fortalecer seu ecossistema.

E acrescentou que a Inspirali se tornará uma empresa independente para que a transação prossiga e, ao fazer isso, pode destravar valor ao separar os dois negócios – educação não-médica e educação médica.

“Por fim, a transação ajudará a Ânima em seus esforços de desalavancagem, trazendo a dívida líquida/EBITDA pró-forma para 2,8x (considerando os números do 3T21)”, destacou.

Ânima

Em relação à Ânima, o EV atual da companhia por vaga na escola de medicina é de R$ 3,7 milhões, enquanto o da Afya – outra empresa de faculdades de medicina – é de R$ 3,6 milhões.

“No entanto, é importante destacar que Ânima não é uma companhia puramente de faculdades de medicina, sendo que apenas 37% do seu EBITDA de 9M21 derivou da Inspirali. Consequentemente, nossa visão é que uma avaliação por soma das partes poderá revelar mais valor”, rtessaltou.

E disse mais: “a Ânima apresentou um endividamento líquido (excluindo arrendamentos) de R$ 3,1 bilhões no 3T21, sendo que R$ 2 bilhões desse valor serão alocados na Inspirali no momento da reorganização (consulte a Figura 2). A transação deve trazer a dívida líquida/EBITDA pró-forma para 2,8x (excluindo arrendamentos).”

Veja ANIM3 na Bolsa:

Continue lendo

MAIS ACESSADAS