Conecte-se conosco

Mundo

Novo lockdown desagrada australianos e gera onda de frustação

Premiê Scott Morrison tem sido criticado duramente pela população do país continental por conta da campanha de vacinação lenta.

Publicado

em

Depois de registrar cerca de 800 novos caso de Covid-19 na última semana, a Austrália está sob novo lockdown. Cerca de 13 milhões de pessoas, o que corresponde a metade da população australiana, devem atender medidas restritivas de circulação cada vez menos populares no país.

Diante do retorno das regras de isolamento, muitos cidadãos demonstraram frustração e raiva, principalmente diante do fato de outros países, como o Reino Unido e Estados Unidos, estarem reabrindo o comércio e locais públicos.

Leia mais: FGTS: Covid-19 permite auxílio-doença e saque do Fundo? Saiba mais aqui

Mas um ponto precisa ser levado em consideração. Enquanto a vacinação nos países mencionados está avançada, na Austrália, até agora, menos de 14% da população recebeu algum imunizante contra o coronavírus.

O índice, inclusive, é um dos mais baixos entre os países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que inclui em sua maioria países considerados desenvolvidos.

Vacinação lenta

Por conta da campanha de vacinação lenta, o premiê Scott Morrison tem sido criticado duramente pela população australiana. Em resposta, Morrison declarou que “nenhum país conseguiu responder 100% à pandemia”.

Um novo surto de contaminações reacendeu na cidade mais populosa do país, Sydney. Mais de 1,5 mil pessoas foram infectadas nas últimas semanas. Outros 100 casos foram identificados nesta quarta-feira, 21. Cabe salientar que a cidade está sob lockdown há quatro semanas.

Autoridades australianas reforçam que o processo de eliminar totalmente a transmissão local do coronavírus até que a maioria da população esteja vacinada pode ser demorado, podendo levar meses de restrições. Rumores apontam que as medidas restritivas devam ser estendidas até setembro.

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.