Conecte-se conosco

Bancos

O Bmg e sua estratégia na guerra dos bancos digitais

No quarto trimestre de 2020, o número de clientes da conta digital atingiu 2,6 milhões

Publicado

em

O Bmg e sua estratégia na guerra dos bancos digitais

Na guerra dos bancos digitais, o mineiro Bmg está ‘comendo pelas beiradas’. Sem alarde e de forma discreta, a instituição financeira da família Pentagna Guimarães está conseguindo crescer o número de clientes de forma acelerada, aproveitando sua forte presença no crédito consignado. A informação é do Neofeed.

Conforme o portal, no quarto trimestre de 2020, o número de clientes da conta digital atingiu 2,6 milhões. Há um ano, eram 834 mil. “Os dados de janeiro e fevereiro deste ano mostram que a abertura de contas segue forte”, disse Ana Karina Bortoni, CEO do Bmg, em entrevista ao NeoFeed.

O Bmg e sua estratégia na guerra dos bancos digitais

Bmg

Ainda de acordo com o portal, nos últimos três meses do ano passado, o Bmg conseguiu abrir uma quantidade recorde de 12,4 mil contas digitais por dia útil, um crescimento de 77% sobre o período anterior. No terceiro trimestre, a média era de 7,6 mil. O segredo? O velho e bom crédito consignado, uma das marcas registradas do banco.

Explica-se: 52% dessa base de contas digitais são de clientes que contam com o cartão de crédito consignado ou fizeram um empréstimo consignado – 9% vêm das parcerias com times de futebol (Corinthians, Vasco e Atlético Mineiro) e 39% do que Bortoni chama de “mar aberto”, onde a disputa por novos clientes é sangrenta com os principais bancos digitais do mercado.

Banco

É para essa base de clientes tradicionais que o Bmg quer aumentar o cross sell, oferecendo uma conta digital gratuita com serviços que vão do tradicional marketplace, passando por uma assinatura de telefonia celular, através do recém-lançado Bmg chip, até crédito pessoal e investimentos. “Queremos atacar o mercado com serviços e crédito”, diz Bortoni. “Só o produto de crédito não é suficiente.”

No caso do marketplace, o Bmg conta com 200 lojas parceiras, que dão cashback para as compras realizadas com cartões do Bmg tanto no débito como crédito. Lançado em novembro de 2020, ele já movimentou mais de R$ 1 milhão por mês.

Plataformas

Em relação a telefonia celular, no modelo de operadora virtual, o banco oferece planos que começam em R$ 19,90 e vão até R$ 39,90 – é necessário abrir uma conta digital. O Bmg também fez uma parceria com a Creditas, para criar um marketplace de crédito com garantia.

No total, o Bmg, que tem um patrimônio líquido de R$ 4,1 bilhões e índice de Basileia de 17,8%, conta com 5,2 milhões de clientes. Só de cartões de crédito consignados são 4,4 milhões, o que indica ainda um potencial grande de migração dessa base para a conta digital do banco mineiro. “O Bmg tem um público cativo que são os consignados. E essa base de dados tem um grande valor”, afirma Alexandre Chaia, professor do Insper e da plataforma educacional Finted.

A questão que se coloca é se isso será suficiente para manter o crescimento e, principalmente, ser rentável. “O Bmg está tombando os clientes atuais, mas o que eles acrescentam?”, comenta uma fonte do setor financeiro. “Será que eles vão conseguir vender mais produtos para esse cliente, que já está endividado?” Nesse sentido, ganhar escala passa a ser fundamental.

Você pode gostar
Continue lendo
Publicidade
1 Comentário

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.