Conecte-se conosco

Imposto de Renda - IRPF

Receita paga hoje o 4º lote da restituição do IRPF; Confira melhores opções para investir

Em valor recorde, assim como no nos lotes anteriores, penúltimo lote de restituição do IR paga R$ 5,7 bilhões, beneficiando 4,5 milhões de contribuintes.

Publicado

em

IRPF

Nesta segunda-feira, 31, a Receita Federal paga o quarto lote de restituição do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (IRPF). Serão depositados R$ 5,7 bilhões para 4,5 milhões de contribuintes, no banco informado na entrega da declaração. O último lote de restituição do IR será creditado em 30 de setembro.

Dos valores referentes a esse penúltimo lote, cerca de R$ 249 milhões serão creditados aos que possuem prioridade legal, como idosos, pessoas com deficiência física ou mental ou moléstia grave, e contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério. Outros 4,4 milhões contribuintes não prioritários, que enviaram a declaração até 19 de junho, também farão jus aos recursos.

Portanto, caso esteja endividado, o dinheiro da restituição pode ser priorizado para liquidar as dívidas. Sob posse das quantias, tente renegociar um desconto para pagamento à vista, ou ao menos uma parcela delas. Liquide os serviços de água e luz, além dos empréstimos com juros altos.

Agora, se houver controle financeiro e as parcelas de financiamento ou contas estiveram programadas no orçamento, é possível pensar em investir. Mas vale lembrar, cada pessoa deve entender as suas necessidades antes de dar o primeiro passo nos investimentos. 

Em primeiro lugar, é necessário criar uma reserva de emergência. O indicado é fazer um fundo de emergência, de três a seis meses de renda. Os melhores investimentos para esse caso são os que dispõem de liquidez, já que permitem que o resgate do dinheiro seja feito em qualquer hora, e com pouca volatilidade, para não haver rentabilidade negativa. Existem como opções o Tesouro Direto, os fundos DI ou os Certificados de Depósitos Bancários (CDBs). 

Aos que já possuem uma reserva de emergência, é possível ir atrás de rentabilidades maiores. Com o objetivo financeiro definido, é permitido realizar aplicações com prazos mais longos. Nessa circunstância, se você puder deixar o dinheiro aplicado por mais tempo e estiver disposto a correr mais riscos, pode fazer o investimento em fundos multimercados ou fundos de ações.

Publicidade
Comentários

Imposto de Renda - IRPF

Bolsonaro quer elevar isenção do Imposto de Renda para R$ 3 mil em 2022

Valor para isenção do IR deve passar a valer em 2022. Presidente havia prometido terminar o mandato isentando todos com renda de até R$ 5 mil.

Publicado

em

Paulo Guedes e Bolsonaro

Nesta quinta-feira, 14, o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) alegou querer aumentar a isenção do Imposto de Renda (IR) para trabalhadores cuja renda mensal seja de até R$ 3 mil. No entanto, o valor poderá valer a partir do próximo ano. 

A tabela do IR em 2021 não deve ser alterada, por conta da crise econômica impulsionada pela pandemia de Covid-19. 

O presidente alegou que deseja terminar o mandato com isenção de IR para todas as pessoas que recebem até R$ 5 mil. Porém, ele reconhece ser inviável. 

“Vamos tentar pelo menos em 2022 passar para 3 mil”, afirmou Bolsonaro, em uma transmissão on-line nas redes sociais. “Não conseguimos levar adiante a mudança da tabela do Imposto de Renda por causa da pandemia”, acrescentou.

Até o momento, são isentos do IR pessoas com renda mensal de até R$ 1.903,98. 

Continue lendo

Imposto de Renda - IRPF

Veja a lista das doenças que garantem isenção do Imposto de Renda 2021

Direito é assegurado aos aposentados e pensionistas do INSS, por meio do art. 6º da Lei 7.713/88.

Publicado

em

Imposto de Renda 2021

Uma doença pode trazer muito desgaste físico, emocional e financeiro. Isso porque há altas despesas com exames, médicos, medicamentos e outras coisas. Em alguns casos, é preciso até mesmo de outra pessoa ou profissional para auxiliar com atividades básicas. 

E ainda que seja pago o plano de saúde, existem doenças graves que não possuem cobertura de muitas coisas. Isso, além dos gastos já previstos. 

Para auxiliar com isso, algumas enfermidades oferecem isenção no Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (IRPF). O direito é garantido aos aposentados ou pensionistas do INSS, sendo assegurados pela Lei 7.713/88 (art. 6º). 

Quais são as doenças que oferecem isenção no IR 2021?

Confira a seguir quais as enfermidades que lhe dão direito a ser isento do tributo federal:

  • portadores de moléstia profissional;
  • tuberculose ativa;
  • alienação mental;
  • esclerose múltipla;
  • neoplasia maligna;
  • cegueira;
  • hanseníase;
  • paralisia irreversível e incapacitante;
  • cardiopatia grave;
  • doença de Parkinson;
  • espondiloartrose anquilosante;
  • nefropatia grave;
  • hepatopatia grave;
  • estados avançados da doença de Paget (osteíte deformante);
  • contaminação por radiação;
  • Síndrome da imunodeficiência adquirida (Aids).

Como solicitar isenção do IR 2021 por doença?

O contribuinte deve procurar o serviço médico oficial da União, estado ou município e solicitar um laudo pericial atestando a doença grave. O documento deve descrever a data em que a enfermidade foi contraída e o prazo de validade, caso a doença possa ser controlada. 

Sob posse da documentação, basta ir até ao INSS comprovar a enfermidade. E se tudo estiver correto, logo após será anexado o dado ao sistema da Receita Federal, alegando que o contribuinte está isento da declaração, em decorrência de doença grave.

Continue lendo

Imposto de Renda - IRPF

MEI será obrigado a declarar o Imposto de Renda 2021?

Microempreendedores individuais estão isentos de pagamento do IRPJ, mas algumas condições os tributam no IRPF.

Publicado

em

Imposto de Renda - Malha Fina

O Imposto de Renda (IR) é um tributo a ser pago pelos contribuintes para o governo federal. O seu valor dependerá dos rendimentos declarados, sendo que quanto maior a renda proporcional é o imposto devido, assim como também é com o oposto. E isso independe do tipo de atuação, sejam autônomos, empresários e profissionais formais etc.

Existem dois tipos de IR, o Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) e o Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ). O IRPF incide sobre o rendimento de pessoas que apresentem renda igual ou superior a R$ 28.559,70, de acordo com a tabela de 2020 (a tabela de 2021 ainda foi divulgada). No caso do IRPJ, os valores são sobre a renda das empresas e organizações. 

Porém, a Lei Complementar n° 128, de 19 de dezembro de 2008, estabeleceu que o MEI está isento de tributos federais. Entre eles, estão excluídos o Imposto sobre os Produtos Industrializados (IPI), Programa de Integração Social (PIS), Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e o IRPJ. Assim, o MEI fica isento da Declaração do IRPJ não do IRPF. Isso quer dizer que caso o empreendedor tenha rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 durante o calendário-base, também de acordo com a tabela de 2020, ele precisa enviar a declaração. 

Além dessa condição, o MEI tem obrigatoriedade de declarar o IRPF nos seguintes casos:

  • Tenha posse ou propriedade de bens ou direitos com valor total superior a R$ 300 mil;
  • Possua receita bruta de atividade rural igual ou acima de R$ 142.798,58;
  • Seja residente no Brasil a partir de qualquer mês do ano e que tenha permanecido até 31 de dezembro de 2020;
  • Detenha rendimentos tributados direto na fonte ou isentos superiores a R$ 40 mil;
  • Dispôs de recebimento de capital ou operações em mercados futuros, alienação de bens, na Bolsa de Valores, entre outros, em qualquer período do ano. 

Continue lendo

MAIS ACESSADAS