Conecte-se conosco

Ações, Units e ETF's

Toro Investimentos divulga carteira recomendada para setembro

BIDI4, BLAU3 e outros

Publicado

em

Toro Investimentos

A Toro Investimentos divulgou sua carteira recomendada de ativos para setembro. O portfólio traz Inter (BIDI4), Blau Farmacêutica (BLAU3), BTG Pactual (BPAC11), BR Partners (BRBI11), CCR (CCRO3), YDUQS (YDUQ3), Mosaico (MOSI3), MRV (MRVE3), PetroRio (PRIO3), e Tupy (TUPY3).

A gestora destacou que novamente o Ibovespa encerra o mês em queda, chegando a perder a região dos 115 mil pontos e fechando próximo aos 119 mil.

Dentre os índices de ações destacamos o índice IMOB (Índice Imobiliário), que chegou a cair mais de 8% no mês, mas teve uma importante recuperação no final de agosto, puxado principalmente pelo setor de construção civil.

No início do mês de agosto o COPOM (Comitê de Política Monetária), elevou a taxa básica de juros da economia brasileira (SELIC) de 4,25% para 5,25% ao ano. A alta de um ponto percentual é motivada pela aceleração da inflação.

Toro Investimentos

Também disse que dentro deste aspecto, a inflação oficial do país, calculada pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), veio levemente acima das estimativas do mercado em julho, sendo pressionada, principalmente, pelo avanço nos preços da energia elétrica em meio à crise hídrica vivenciada no Brasil.

No cenário externo, os investidores permanecem atentos para os dados de inflação dos Estados Unidos, com o indicador PCE (Índice de Preços de Gastos com Consumo), principal referência de preços utilizada pelo FED (Federal Reserve), em linha com as estimativas do mercado no mês de julho.

“Dentro deste contexto, tivemos a realização do simpósio de Jackson Hole, onde Jerome Powell, presidente do Banco Central dos EUA, reforçou que a Instituição acredita que o avanço da inflação é temporário, sinalizando ainda que as discussões sobre quando iniciar a redução do atual programa de compra de títulos prosseguem em aberto”, destacou.

E acrescentou que Powell também informou que o FED mantém seu objetivo de levar a economia norte-americana novamente ao pleno emprego, enquanto avaliam os impactos da propagação da variante delta sobre a retomada econômica.

Confira a tese

  • BIDI4

No final do mês de agosto o Banco Inter (BIDI4) realizou um movimento que chamou atenção do mercado, uma nova aquisição. Com o objetivo de iniciar suas atividades financeiras nos EUA, ampliar sua oferta de produtos financeiros e integrar novidade a sua plataforma, o Inter anunciou a compra da Fintech americana USEND, que atua no mercado de câmbio e serviços financeiros. Além de ampliar sua linha de negócios, a compra da fintech americana será importante no processo de internacionalização do Banco digital. Acreditamos que esses fatores podem continuar destravando preço ao longo do mês de setembro e por isso recomendamos compra em BIDI4.

  • BLAU3

As ações da Blau Farmacêutica (BLAU3) tiveram sua estreia na B3 no final do mês de abril e desde então temos observado uma importante evolução em seus preços. A companhia atua na fabricação de medicamentos próprios para diversas classes terapêuticas, buscando atuar no desenvolvimento de novos produtos, possibilitando o crescimento futuro da companhia. Além disso, a Farmacêutica  ainda detém posição de liderança nacional no segmento institucional de medicamentos de alta complexidade e se favorece de uma elevada barreira de entrada neste aspecto, considerando tanto questões regulatórias, quanto particularidades relacionadas à produção. Diante desses aspectos e do viés positivo dos preços, recomendamos compra para BLAU3 no mês de setembro.

  • BPAC11

O BTG Pactual (BPAC11) possui um portfólio diversificado de produtos e serviços e uma estratégia que consegue atender diversas linhas de negócios e diferentes classes. O crescimento da adesão de novos clientes à plataforma BTG+ e o nível de adaptação do Banco às possíveis mudanças de mercado reforçam ainda mais a nossa tese de compra do ativo. Um ponto importante é a estratégia do BTG em aumentar sua participação no Banco Pan, fazendo com que a empresa aumente sua exposição à classe média, enquanto o BTB foca nas classes A e B. Esse movimento deve trazer resultados significativos nos números da companhia.

* BRBI11

No mês de agosto BR Partners (BRBI11) fez sua estreia na nossa carteira recomendada tendo em vista o posicionamento estratégico da companhia, que se divide em diferentes linhas de negócio, tais como: Investment Banking, Mercado de Capitais, Sales & Trading e Investimentos. O ativo começou a ser negociado na B3 a pouco mais de dois meses  desde então tem apresentado uma importante evolução em seus preços, reflexo da percepção dos investidores frente à atuação da companhia no segmento de serviços financeiros mais sofisticados. Ainda sobre a recomendação de compra do mês passado, BRBI11 conseguiu atingir nosso alvo estimado (R$ 28,15) e o recuo dos preços até a região dos R$ 25,00 nos leva a acreditar em uma nova oportunidade de compra para o mês de setembro.

  • CCRO3

A CCR (CCRO3) é uma das mais expressivas empresas de concessão de infraestrutura da América Latina. No âmbito da mobilidade urbana, a Empresa é sócia de concessões de metrô, de barcas e do VLT. Além disso, a Empresa atua em operações aeroportuárias, detendo concessões em Belo Horizonte, Curaçao, Costa Rica e também no Equador. Como a companhia depende diretamente do nível de aquecimento da economia para ampliar o fluxo de passageiros, do qual parte de seus negócios é dependente, a pandemia a COVID-19 acabou trazendo reflexos nos números da empresa, especialmente no ano de 2020. Todavia observamos um alívio em seus resultados do segundo trimestre de 2021, reflexo da retomada, ainda que lenta. Fazendo uma análise de preço, CCRO3 apresenta um cenário de inflexão e é possível que, essa inflexão nos preços indique um início de retomada do movimento comprador para o papel.

  • YDUQ3

YDUQS (YDUQ3) esteve presente em nossa carteira recomendada do mês passado, e nossa tese de compra foi baseada no cenário de forte desconto que os preços das ações sofreram, reflexo da pandemia da COVID-19. O segmento precisou se adaptar ao processo de digitalização da educação e de fato foi o que a dona do Ibmec fez, ajustando-se a essa tendência, ampliando sua base de alunos do segmento EaD, o que resultou no grande aumento do faturamento desta linha de negócios. Além da ampliação do cenário digital, o processo de vacinação da população adulta e o retorno às aulas presenciais pode trazer ainda mais incremento aos números da Companhia, e por isso mantemos compra no ativo no mês de setembro.

  • MOSI3

Considerada a maior plataforma digital nacional de conteúdo e originação de vendas para o comércio eletrônico, a Mosaico (MOSI3) é proprietária dos sites Zoom, Buscapé e Bondfaro. Recentemente, a Empresa implementou, em parceria com o BTG Pactual, uma plataforma de cashback, além de pretender lançar um marketplace nos canais eletrônicos da Instituição Financeira, o que também colabora para o seu posicionamento no comércio eletrônico nacional. Fazendo uma análise de preço, desde a sua estreia na Bolsa as ações da MOSI3 apresentaram um importante desconto, e as ações que antes eram negociadas na região dos R$ 40,00 hoje operam próximo aos R$ 13,00. Tendo em vista o posicionamento no comércio eletrônico nacional e do forte espaço que este segmento tem para crescer no Brasil enxergamos MOSI3 como uma boa oportunidade de compra no mês de setembro diante do cenário de desconto nos preços e do posicionamento estratégico da companhia.

  • MRVE3

As ações do setor de construção civil foram exageradamente penalizadas com o cenário de aumento de juros no Brasil, mas esse cenário de desconto nos preços posicionou ativos como MRV (MRVE3) em patamares bem atrativos, tendo em vista os bons fundamentos da empresa. Olhando para os últimos resultados divulgados pela empresa, a MRV apresentou forte desempenho operacional, com geração de caixa e um recorde na criação de caixa da companhia. Analisando o índice que a MRV participa, o IMOB (Índice Imobiliário), observamos que, entre os índices de ações, este é o que apresenta mais espaço para recuperação no ano de 2021.

  • PRIO3

O modelo de negócios da PetroRio (PRIO3), que inclui aquisição e revitalização de campos maduros, sem exposição a riscos de exploração, é um bom investimento para exposição direta ao petróleo e com potencial de expansão. Além disso, essa combinação de negócios que vai de fusões até novas aquisições, tem se mostrado bem sucedida no sentido de trazer sinergias dentro do portfólio da companhia. O anúncio da compra da embarcação OSX-3, juntamente com a aquisição de  80% no Campo Tubarão Martelo deve chamar a atenção do mercado para as ações da PRIO3, visto que, as duas transações irão permitir a integração entre os campos de Polvo, já operado pela PetroRio, e Tubarão Martelo, uma vez que trata-se da primeira iniciativa de uma empresa privado no país para a otimização de campos maduros.

  • TUPY3

A Tupy (TUPY3) tem se beneficiado do atual cenário de desvalorização cambial, já que a maior parte da sua receita vem do exterior. Sendo assim, o resultado da Empresa é favorecido pela conversão em reais dos preços de seus produtos. Além disso, observamos uma recuperação gradual no volume físico de vendas, destacando-se a boa performance de todos os segmentos da Companhia. Acreditamos que a companhia continuará sua trajetória de retomada da performance ao longo dos próximos trimestres, assim como fez nos números apresentados no último trimestre. Fazendo uma análise de preço, após um desconto observado entre os meses de maio até agosto, identificamos um cenário de retomada dos preços e por isso recomendamos compra em TUPY3 no mês de setembro.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ações, Units e ETF's

Hotmart e Ebanx preparam IPOs na Nasdaq

Empresas brasileiras registram forte crescimento e presença internacional

Publicado

em

Crédito: Folha UOL

Motivados pela temporada efervescente de lançamento de ações nos Estados Unidos, as brasileiras Hotmart e Ebanx também planejam realizar as respectivas ofertas iniciais (IPOs) na maior bolsa de tecnologia do mundo, a norte-americana Nasdaq.

Renome mundial – Desde o início do ano, a Hotmart prepara sua IPO, que deverá levantar US$ 400 milhões, sob a supervisão dos pesos-pesados JP Morgan, Morgan Stanley e Goldman Sachs, além de ser conduzida por investidores de renome mundial, como a gestora General Atlantic e o fundo soberano de Cingapura GIC.

Aporte da Advent – Já o Ebanx, que deverá fazer sua IPO somente no início do ano que vem (ainda sem estimativa de valores para a operação), recebeu, em junho último, aporte de US$ 430 milhões do fundo de private equity Advent.

Valor similar – Celebrizada por responder pelos pagamentos da empresa de streamig Spotify, a Ebanx poderá captar um valor similar ao da Hotmart. Só em 2020, a paranaense Ebanx, presente em 15 países da América Latina, processou 145 milhões de transações.

Forte crescimento – A posição de destaque de ambas as companhias brasileiras decorre do ‘forte crescimento obtido nos últimos anos, inclusive com operações importantes fora do Brasil’.

Vez do Nubank – Avaliado em torno de US$ 50 bilhões, o Nubank também está perto de listar suas ações, o que deve ocorrer entre outubro e novembro.

Nada a declarar – A Hotmart, por sua vez, informou, em nota, que a empresa “não tomou (ainda) nenhuma decisão, nem tem previsão de anunciar um movimento nesse sentido”.

Continue lendo

Ações, Units e ETF's

Ibovespa fecha em baixa de 2,07%, aos 111.439,37 pontos

O dólar encerrou em alta de 0,32%, a R$ 5,2821

Publicado

em

Crédito: Suno

O Ibovespa fechou a sessão desta sexta-feira (17) em baixa de 2,07%, aos 111.439,37 pontos, com volume de R$ 44,6 bilhões.

O dólar, por sua vez, encerrou em alta de 0,32%, R$ 5,2821, com exterior e Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), entre a mínima de R$ 5,2524 e máxima de R$ 5,3474.

Conforme o BTG Pactual, o Ibov foi influenciado pela baixa das commodities, bem como pelo desempenho negativo das bolsas lá fora e aumento de imposto no Brasil.

Em Nova York, o Dow Jones caiu 0,48%, aos 34.582,90 pontos, e o S&P 500 recuou 0,92%, aos 4.432,74. O Nasdaq caiu 0,91%, aos 15.043,97.

Segundo analistas, os mercados europeus seguiram NY de perto e, diante do mau humor de Wall Street, aprofundaram baixas.

Já na Europa, o Stoxx caiu 0,96%, aos 461.48). Em Frankfurt, a bolsa recuou 1,05%. Em Londres, caiu 0,93%. Em Paris, recuou ,79%. Madri subiu 0,40%.

Ibovespa: entre altas e baixas

Confira as 3 maiores altas do Ibovespa de hoje, segundo a Eleven Financial:
📈#VIVT3 +1,45% (R$ 42,11)
📈#MGLU3 +1,22% (R$ 16,57)
📈#NTCO3 +1,14% (R$ 48,10)

Confira as 3 maiores baixas do Ibovespa de hoje:
📉#BIDI11 -7,02% (R$ 60,01)
📉#GGBR4 -6,82% (R$ 24,60)
📉#GOAU4 -5,59% (R$ 11,48)

Crédito: Suno Research

Coronavírus

Levantamento do consórcio de imprensa mostra que o Brasil registrou na quinta-feira (16) 637 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, com o total de óbitos chegando a 589.277 desde o início da pandemia.

Assim, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias ficou em 582 –acima da marca de 500 pelo terceiro dia seguido. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -7% e aponta tendência de estabilidade pelo segundo dia, após 22 dias seguidos em queda.

Também disse que o número de casos registrados em 24 horas, de 35.128, é o maior em quase um mês, mas isso se deve à inserção de uma só vez de mais de 22 mil casos represados por parte de São Paulo, após ajuste no sistema de notificações.

Continue lendo

Ações, Units e ETF's

CSN (CSNA3): BB Investimentos recomenda Compra com preço-alvo em R$46

Resultados excelentes em cenário favorável

Publicado

em

CSN (CSNA3): BB Investimentos recomenda Compra com preço-alvo em R$46

O BB Investimentos analisou o ativo CSN (CSNA3) em seu portfólio e optou por manter a recomendação de Compra com preço-alvo em R$ 46 por ação.

De acordo com a instituição financeira, o ano de 2021 tem sido bastante positivo para a companhia, que no primeiro semestre apresentou resultados excelentes, aproveitando-se do cenário favorável para os segmentos de siderurgia, mineração e cimentos, com recordes em diversos indicadores.

Também disse que a forte geração de caixa operacional e sua disciplina financeira e de capital levaram a uma redução substancial do seu nível de alavancagem financeira, atingindo antecipadamente suas metas previstas para o final de 2021, que considerávamos ambiciosas quando de sua divulgação.

CSN (CSNA3): BBB Investimentos recomenda Compra com preço-alvo em R$46

CSN

Ainda de acordo com o BB, a empresa deu importantes passos em direção às estratégias de crescimento e geração de valor estabelecidas pelo grupo, tais como a independência dos negócios – com o IPO da CSN Mineração – e a forte expansão no segmento de cimento – com a aquisição da Elizabeth Cimentos e a recém-anunciada aquisição da LafargeHolcim, que robusteceram a tese de investimento para a abertura de capital da CSN Cimentos.

“Apesar do cenário de cautela para mineração, com as fortes quedas de preços de minério de ferro, sobretudo pela desaceleração do ritmo da atividade siderúrgica na China, entendemos que as perspectivas são de bons resultados para a CSN nos próximos trimestres, sustentados pelos preços de aço elevados no mercado interno, bem como demanda aquecida no setor de cimento e margens ainda atrativas na mineração, em função dos baixos custos de produção da empresa frente aos pares internacionais”, destacou.

Veja CSNA3 na Bolsa:

CSN (CSNA3): BBB Investimentos recomenda Compra com preço-alvo em R$46

Continue lendo

MAIS ACESSADAS