Conecte-se conosco

Empresas

Via, ex-Via Varejo, anuncia emissão de R$1 bi em debêntures

Controladora da Casas Bahia e Ponto

Publicado

em

Via Varejo

A Via, ex-Via Varejo, anunciou a emissão de R$ 1 bilhão em debêntures, conforme comunicado encaminhado ao mercado.

De acordo com o documento, o movimento foi aprovado pelo conselho e diz respeito a debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie quirografária, em até três séries.

Assim, serão emitidos um milhão de debêntures na data de emissão, observado que a quantidade de debêntures a ser emitida para cada uma das séries será definida em Sistema de Vasos Comunicantes, após a conclusão do Procedimento de Bookbuilding.

Conforme o sistema de vasos comunicantes, a quantidade de debêntures emitida em cada uma das séries deverá ser abatida da Quantidade Total de Debêntures indicada acima, definindo a quantidade a ser alocada na outra série, de forma que a soma das Debêntures alocadas em cada uma das séries efetivamente emitida deverá corresponder à Quantidade Total de Debêntures objeto da Emissão.

(Blank Headline Received)

Via

Ainda de acordo com a empresa, não haverá quantidade mínima ou máxima de debêntures ou valor mínimo ou máximo para alocação entre as séries, sendo que qualquer uma das séries poderá não ser emitida.

O valor nominal unitário das debêntures será de R$ 1 mil, na data de emissão, e elas serão objeto de distribuição pública com esforços restritos, sob o regime de garantia firme de colocação para o montante de R$ 1 bilhão, com a intermediação de determinada instituição financeira integrante do sistema de distribuição de valores mobiliários, que atuará como coordenador líder.

Também disse que sobre o Valor Nominal Unitário ou saldo do Valor Nominal Unitário das Debêntures, conforme o caso, incidirão juros remuneratórios correspondentes à variação acumulada de 100% das taxas médias diárias do DI – Depósitos Interfinanceiros de um dia, “over extra grupo”, expressas na forma percentual ao ano, base 252 Dias Úteis, calculadas e divulgadas diariamente pela B3.

A companhia está listada na bolsa brasileira (B3) sob o ticker VVAR3.

Veja o documento:

Via, ex-Via Varejo, anuncia emissão de R$1 bi em debêntures

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Automobilística

Toyota lança programa de carros por assinatura com preços a partir de R$ 2,6 mil

Planos possibilitam o aluguel de carros pelo prazo de 12 a 24 meses, com possibilidade de compra ao final do contrato.

Publicado

em

Carros

A Toyota lançou nesta quinta-feira, 23, o “Kinto One Personal”, seu novo programa de carros por assinatura no Brasil. O serviço passa a integrar o portfólio da Kinto, braço da fabricante japonesa com presença em 40 países ao redor do mundo.

Leia mais: 5 carros usados vendidos por preço maior do que na tabela Fipe em agosto

Além da novidade, a empresa oferece mais dois serviços: o Kinto One Fleet, voltado para frotas corporativas e atendimento de empresas; e o Kinto Share, um aluguel de carros de curto prazo (entre 1 e 30 dias).

A contratação deve ser feita pela internet ou em uma das concessionárias da Toyota espalhadas pelo país. Todo o processo de preenchimento de dados, acompanhamento e assinatura de contrato pode ser feito previamente no site da Kinto.

Para se cadastrar, o cliente precisa informar seus dados pessoais e enviar fotos e CNH. Ele pode pagar seu carro por assinatura com cartão de crédito, Pix ou boleto.

Carro por assinatura

Essa modalidade, conhecida como carsharing, vem se consolidando no Brasil nos últimos dois anos. De acordo com a Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (Abla), a expectativa das empresas que oferecem o serviço é de chegar ao final de 2022 com 160 mil carros contratados.

Ao invés de comprar um carro, o cliente aluga o veículo por um, dois ou mesmo três anos. Ao fim do contrato, o consumidor pode renovar sua assinatura com o mesmo modelo ou outro, ou ainda comprar o carro alugado.

Continue lendo

Empresas

BK Brasil: Morgan Stanley eleva participação acionária

Vai efetivar o diretor vice-presidente

Publicado

em

Burger King

O Burguer King Brasil informou que o Morgan Stanley elevou participação, e que também pretende efetivar seu diretor vice-presidente, conforme documentos encaminhados ao mercado.

De acordo com a companhia, em 21 de setembro de 2021 o Morgan Stanley aumentou sua participação acionária para patamar superior a 10% das ações, se qualificando como detentora de participação relevante no capital social da empresa.

Também disse que a participação societária detida pelo Morgan Stanley alcançou 29.005.961 ações ordinárias, representando 10,5% das ações de emissão.

Participação no Burger King

BK Brasil

Em outro documento, disse que recebeu comunicado da Atmos Capital Gestão de Recursos informando que em 22 de setembro de 2021 reduziu sua participação acionária para patamar inferior a 10% das ações da companhia, se qualificando como detentora de participação relevante no capital social.

Também disse que a participação societária detida pela Atmos Capital Gestão de Recursos Ltda alcançou 27.230.633 milhões de ações ordinárias, representando 9,89% das ações de emissão.

E acrescentou que a Atmos, com exceção das ações indicadas acima, não detém quaisquer outros valores mobiliários ou derivativos relacionados ou referenciados em ações de emissão da Companhia.

Vice-presidente

Conforme a empresa, o Conselho de Administração deliberou eleger Gabriel Magalhães da Rocha Guimarães para o cargo de Diretor Vice-Presidente Financeiro e de Relações com Investidores, de modo que deixa de assumir a posição estatutária interinamente e passa a ocupá-la de modo efetivo.

Continue lendo

Empresas

Atacadão projeta que sua unidade atacarejo vai atingir R$60 bi em vendas

Big e Maxxi

Publicado

em

Cartão Atacadão

O Atacadão projeta que sua unidade atacarejo vai atingir R$ 60 bilhões em vendas até ofinal deste ano, conforme fato relevante encaminhado ao mercado.

De acordo com o documento, também projeta atingir R$ 100 bilhões em vendas brutas no exercício social que se encerrará em 31 de dezembro de 2024.

Também disse que a companhia ratifica que os números acima mencionados são exclusivamente relacionados à Unidade Atacadão e são baseados na taxa de crescimento anual composta (CAGR) histórica da Unidade Atacadão, de 15% ao ano, verificada entre os anos de 2017 e 2020.

Grupo Big

Atacadão

Ainda de acordo com o documento, a companhia ressalta que o número mencionado no item acima inclui o faturamento de 2020 da unidade de atacarejo do Grupo BIG Brasil S.A., conduzida sob a marca “Maxxi”, cuja aquisição está sujeita à aprovação da autoridade concorrencial brasileira.

“Vale destacar que informações sobre perspectivas de negócios, projeções e metas financeiras são meras previsões, baseadas nas expectativas atuais da administração, as quais dependem das condições do mercado em geral, do cenário econômico brasileiro e do setor em que a companhia atua”, destacou.

E acrescentou que eventuais mudanças na percepção ou nos fatores descritos acima podem fazer com que os resultados efetivos sejam diferentes daqueles previstos nas estimativas aqui apresentadas.

A companhia está listada na bolsa brasileira (B3) sob o ticker CRFB3.

Veja o documento:

Atacadão projeta que sua unidade atacarejo vai atingir R$60 bi em vendas

Continue lendo

MAIS ACESSADAS