Conecte-se conosco

Economia

Aposentadoria feminina recua na pandemia para o menor patamar desde 2015

Participação das mulheres no total de aposentadorias concedidas por tempo de contribuição recua durante a pandemia.

Publicado

em

Aposentadoria mulher

O número total de aposentadorias concedidas a mulheres por tempo de contribuição teve queda de 5,3% em 2020, saindo de 40,5% em 2019 para 35,2% no ano passado. Esse é o nível mais baixo já registrado desde 2015 (34,5%), segundo pesquisa do economista Rogério Nagamine Costanzi publicada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Já os homens se aposentaram mais no ano passado, passando de 59,5% em 2019 para 64,8% em 2020. O principal motivo dessa discrepância, segundo um técnico do governo consultado pelo site Valor Econômico, é a perda de emprego formal durante a pandemia, que foi maior entre as mulheres.

A crescente participação feminina nas aposentadorias durante os últimos anos foi resultado da melhora da escolaridade, o que gerou uma participação maior desse grupo no mercado de trabalho. De acordo com Nagamine, esse fator é fundamental para entrada no mercado de trabalho formal.

“Apesar dessa predominância masculina na ATC [aposentadoria por tempo de contribuição], cabe destacar que está ocorrendo um incremento expressivo do sexo feminino na concessão dessa espécie de benefício que reflete os avanços das mulheres no mercado formal, que, por sua vez, devem ser decorrentes da melhora da escolaridade das mulheres acima daquela observada para os homens”, explicou o economista.

Ainda segundo a fonte do governo “a tendência é de aumento da participação da mulher”, tendo em vista as expectativas de melhora do mercado de trabalho após o fim da crise sanitária.

Leia mais: Reajuste dos benefícios INSS em 2021; Como solicitar revisão?

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.