Conecte-se conosco

Investimentos

Bolsa brasileira (B3) sofre retirada bilionária de investidores estrangeiros

Já foram sacados mais de R$15 bi

Publicado

em

Ibovespa fecha em alta no fim de sessão volátil com noticiário intenso

Os estrangeiros, que vinham retornando com força ao mercado de ações brasileiro (Bolsa) desde novembro, engataram uma nova retirada desde meados de fevereiro, quando o presidente Jair Bolsonaro trocou Roberto Castello Branco pelo general Joaquim Silva e Luna na presidência da Petrobras.

De acordo com o Estadão, a decisão, anunciada em 19 de fevereiro, foi motivada pela insatisfação de Bolsonaro com os aumentos nos preços dos combustíveis, e é apontada por analistas como o ponto de virada no apetite dos estrangeiros pelo mercado acionário brasileiro (Bolsa).

Desde então, R$ 15,9 bilhões em recursos estrangeiros foram retirados da Bolsa brasileira, a B3. Só em março, saíram R$ 4,6 bilhões. A título de comparação, em janeiro, houve aporte de R$ 23,5 bilhões.

Petrobras (PETR4) e pandemia influenciam estrangeiros a saque bilionário da Bolsa

Vista externa da B3, a bolsa de valores de São Paulo

Bolsa: Petrobras

Conforme o jornal, apenas no caso da Petrobras, que está entre as empresas mais negociadas do mercado brasileiro e é demandada por estrangeiros, o valor de mercado caiu de R$ 354,7 bilhões, antes da troca na presidência, para cerca de R$ 309 bilhões.

Para a Bolsa como um todo, além do fator Petrobras, a expectativa de que a reabertura completa da economia vai demorar alguns meses leva os estrangeiros a seguirem na defensiva e em compasso de espera. Entre outros fatores, de acordo com gestores, eles estão de olho no ritmo da vacinação contra a covid-19, ainda visto como lento.

Estrangeiros

Ainda de acordo com o periódico, a troca no comando da petroleira acendeu um sinal amarelo junto aos estrangeiros. Ronaldo Patah, estrategista de investimentos da gestora de patrimônio UBS Consenso, considera que houve um grande impacto da demissão de Roberto Castello Branco na decisão dos estrangeiros de aportar ou não no Brasil. “Vimos um choque negativo de confiança, com o fluxo virando de positivo para negativo naquela semana”, aponta.

Você pode gostar
Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.