Conecte-se conosco

Ações, Units e ETF's

Bolsa oscila ao longo do dia, mas sobe no final

Em Nova York, o índice Dow Jones encerrou com alta de 0,15%, aos 29.483 pontos e o Nasdaq com avanço de 0,87%, aos 11.904 pontos.

Publicado

em

bolsa-alta-touro-urso

Depois de oscilar entre altas e baixas, a Bolsa brasileira se firmou em terreno positivo. O movimento foi puxado pelas ações de bancos, Petrobras e Vale, enquanto os papéis do setor de proteína fizeram pressão de baixa, impedindo um avanço maior do índice. O Ibovespa encerrou com valorização de 0,63%, aos 106.790 pontos. Ao longo da sessão, o índice atingiu a mínima de 105.545 pontos e a máxima de 106.972 pontos. O giro financeiro somou R$ 29,1 bilhões. No mês, o ganho acumulado é de 13,66%.

Hoje o mercado ficou dividido entre a empolgação com anuncio da eficácia das vacinas contra o coronavíris, que vem sendo mostrado desde a semana passada, e a preocupação com o crescente número de infecções registradas na Europa e nos Estados Unidos. Ontem, o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, anunciou que todas as escolas públicas irão fechar por conta do avanço do covid-19. A cidade foi considerada o epicentro da doença no primeiro semestre.

A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, também demonstrou preocupação com o aumento de casos de coronavírus no mundo e seus efeitos na economia durante discurso ao Parlamento Europeu. “Espera-se que a economia da zona do euro seja gravemente afetada pelas consequências do rápido aumento das infecções e pelas novas medidas de restrição”, disse. Lagarde também afirmou que as medidas monetárias adotadas pela instituição têm sido bem sucedidas e que seguirão sendo as principais ferramentas.

Para o economista chefe da Órama Investimentos, Alexandre Espírito Santo, a recente alta do índice é atribuída a volta dos investidores estrangeiro que, no auge da crise, saíram em massa do país. Santo avalia, no entanto, que o movimento reflete a vitória do democrata Joe Biden, nos EUA, e o anuncio das vacinas, que levaram os investidores a analisarem que o cenário é de  dólar mais fraco e, com isso, há oportunidades para países emergentes, como o Brasil. “Os estrangeiros vieram com muita força nos últimos tempos. Nosso mercado estava atrasado em relação aos EUA e aconteceu a alta”, explica.

Santo pondera ainda que, diante dos grandes desafios que o Brasil precisa enfrentar, o investidor estrangeiro pode preferir migrar para emergentes mais preparados, como a Ásia. “O País tem tantos desafios pela frente. Será que o estrangeiro vai preferir comprar aqui em detrimento de países asiáticos, que estão muito mais preparados do que nós?”, questiona o profissional, lembrando que hoje o governo ainda não conseguiu votar o Orçamento, que a relação Dívida/PIB é de quase 100% e o déficit no ano está em 16%.

Do lado corporativo, Petrobras e Vale encerraram o dia com ganhos de 1,06% e 1,70%, respectivamente.

Os bancos também tiveram ficaram no terreno positivo. Itaú subiu 0,38%, Bradesco avançou 0,28%, Banco do Brasil registrou alta de 1,19% e Santander, +1,23%.

Já Marfrig, BRF e Minerva, empresas do setor de proteínas acabaram em queda: 2,83%, 2,57% e 1,77%, respectivamente.

Em Nova York, o índice Dow Jones encerrou com alta de 0,15%, aos 29.483 pontos e o Nasdaq com avanço de 0,87%, aos 11.904 pontos.

 

 

Continue lendo
Publicidade
Comentários