Conecte-se conosco

Ações, Units e ETF's

Cena política pesa e Ibovespa fecha com pequena queda

Em Nova York, o Dow Jones encerrou praticamente estável, +0,01% e o Nasdaq avançou 1,21%

Publicado

em

O Ibovespa até que tentou acompanhar o bom humor no exterior, mas a cena política pesou e o índice oscilou entre altas e baixas ao longo do dia. No final, o indicador doméstico encerrou com leve recuo de 0,05%, aos 100.219 pontos. O Ibovespa variou entre a mínima de 99.646 pontos e a máxima de 100.949 pontos. O giro financeiro somou R$ 21,954 bilhões.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que está proibido falar de Renda Brasil no seu governo e que dará o “cartão vermelho” para quem vier com proposta de congelamento de aposentadoria e corte de auxílio para idosos e deficientes. “Isso é um devaneio de alguém que está desconectado com a realidade”, afirmou.

Logo depois da fala do presidente, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o “cartão vermelho” não era para ele. A afirmação reduziu um pouco o pessimismo dos negócios, já que os investidores começaram a cogitar a possível saída do ministro do governo.

Para o economista da Órama Investimentos Alexandre Espírito Santo, a decisão de não dar continuidade ao Renda Brasil é positiva. “Eu acho isso bom, não tinha dinheiro para um novo plano. Ainda existe o risco de romper o teto fiscal mas, se fosse um novo plano, acredito que teríamos mais dificuldade, com o Bolsa Família a gente consegue ir voltando aos trilhos. Nesse aspecto, é menos pior mas, os riscos existem de todos lados”, pondera.

Santo ressalta ainda que as reformas administrativa e tributária precisariam ser feitas ainda esse ano, o que poderia contribuir para tirar um pouco a pressão sobre a questão do teto fiscal. No entanto, ele não acredita que isso possa acontecer. “Não estou conseguindo ver isso acontecer até o final do ano, temos uma eleição pela frente. A gente deve virar o ano sem as reformas e isso é ruim, vamos entrar 2021 já com pressão para furar o teto dos gastos”, avalia, acrescentando ainda que a reforma administrativa economizaria de R$ 10 bilhões a R$ 12 bilhões por ano. “É pouco, mas seria uma boa sinalização para o mercado”.

Do lado corporativo, as ações da Minerva registraram forte alta (+4,13%) após anunciar seu plano para vender a fatia da subsidiária Athenas Foods.

Petrobras caiu 0,37%, após operar em alta na esteira do petróleo no exterior e também refletindo a notícia de que começou a negociar com a SBM Offshore para contratar o afretamento da plataforma FPSO, unidade flutuante que produto, armazena e transfere petróleo, Almirante Tamadará, para ser instalada em Búzios, na Bacia de Santos.

Vale foi na contramão do minério de ferro e fechou com valorização de 0,92%.

Ser Educacional e Yduqs encerraram com queda de 3% e  0,73%, respectivamente. As duas empresas parecerem que vão disputar os ativos brasileiros da Laureate.

No meio da tarde o Dow Jones desacelerou os ganhos e até chegou a operar no vermelho, refletindo a queda das ações do setor financeiro e da Apple. A gigante do setor de tecnologia anunciou o lançamento do pacote de serviços e o novo hardware. Os bancos caíram à espera da decisão do Federal Reserve (Fed, BC dos EUA), amanhã.

O Dow Jones encerrou praticamente estável, +0,01%, aos 27.995 pontos e o Nasdaq avançou 1,21%, aos 11.190 pontos.

Continue lendo
Publicidade
Comentários