Conecte-se conosco

MEI

Como fazer um fluxo de caixa para MEI

Publicado

em

Fluxo de Caixa MEI

Aqui, já tratamos de como fazer uma planilha de fluxo de caixa, lembra? Pois bem, essa é a ferramenta imprescindível para controlar suas entradas e saídas, mantendo a saúde financeira de seu negócio.

Mas, afinal, o que é o fluxo de caixa? Como o MEI pode fazer um fluxo de caixa? É complicado? A seguir, você verá que trata-se de uma operação importante e de fácil execução, que poderá ser colocada em prática desde o início de seu empreendimento.

O que é um fluxo de caixa?

O fluxo de caixa é, literalmente, o fluxo, o caminho do capital no caixa de uma empresa. Explicando de forma mais simples, corresponde ao que foi recebido e o que foi gasto durante um tempo determinado.

Como fazer um bom fluxo de caixa?

O primeiro passo é distinguir o que são as saídas e as entradas do seu caixa. Vejamos:

  • Entradas: tudo o que você recebe com suas vendas e prestacao de servicos. Lembre-se de registrar isso, de forma detalhada, diariamente.
  • Saídas: são todos os valores gastos com despesas, outras saídas e fornecedores. As despesas são seus gastos administrativos, como internet, papelaria, telefone, água, luz, etc. Como o próprio nome já diz, gastos com fornecedores são os custos provenientes das compras junto aos parceiros. Por fim, as outras despesas são aquelas obtidas com pagamentos de títulos, prestações, etc.

Separando a origem destes valores, você chegará ao resultado do período que, nada mais é, que o produto da soma das entradas e, em seguida, reduzir das saídas.

Como faço para calcular o lucro?

Sabendo como fazer o fluxo de caixa, é a hora de saber se seu negócio está dando lucros ou trazendo prejuízos. Para isso, você precisará calcular o lucro, ou seja, aquilo que “sobra”após a redução de seus gastos.

O cálculo dos lucros deve ser obtido após uma análise criteriosa de tudo o que seu negócio registrou como gastos, mesmo que de menor valor. No final, identifique se o valor obtido com todos os pagamentos recebidos é maior ou menor que o montante total das despesas.

Caso o resultado seja inferior às despesas, seu empreendimento está tendo prejuízos. Se, pelo contrário, o montante recebido seguir superior, mesmo após deduzidos todos os gastos, a conta final indica que você está tendo lucro.

Estou tendo prejuízos, e agora?

Calma, pois, nem tudo está perdido! Identificando essa situação no início, é possível reverter e passar a ter lucro. Veja como:

  • reduzir despesas: lembra quando comentamos sobre a análise de todas as despesas, mesmo as menores? Pois bem, verifique onde sua empresa está gastando mais e o que é possível cortar.
  • alterar valores de serviços e produtos: a lei da concorrência reza que ganha o cliente quem apresenta o menor preço. De fato, mesmo que a margem de lucro do seu produto seja pequena, isso pode ser compensado pelo maior volume de venda. Mas, é preciso ter cuidado e bom senso na hora de precificar seu trabalho. Mesmo que o reajuste de preços seja a última alternativa, verifique se não está vendendo barato demais o seu produto.
  • aumente o volume de vendas ou serviços: quem não aparece não é lembrado! Quanto mais visível a sua marca, mais você venderá e, com isso, passará a ter lucros. Se o capital está curto para investir em propaganda paga, vá atrás de meios mais baratos, como as redes sociais e o infalível boca a boca.

Do que se trata o fluxo de caixa projetado?

Ao pedir um empréstimo junto a instituições financeiras, elas pedem um documento chamado “fluxo de caixa projetado”. Isso nada mais é do que a projeção de lucros e despesas do seu negócio.

A contração de empréstimos, inclusive, exige que o microempreendedor saiba controlar o que precisa pagar e receber nos próximos meses. Afinal, estará assumindo um compromisso financeiro que não deve ser deixado de lado.

Mas, o fluxo de caixa projetado não é importante, apenas, se o MEI vai pedir um empréstimo. Esse procedimento é essencial para a própria organização do negócio, pois, com ele, contas futuras estarão previstas e inseridas nas próximas despesas, assim como futuros recebimentos.

Suponhamos que sua empresa adquiriu um equipamento a prazo cuja primeira parcela vencerá em 60 dias. Insira essa despesa no fluxo de caixa projetado, a fim de reservar um valor específico para sua quitação.

Outra finalidade para a qual as projeções fazem a diferença diz respeito à articulação entre o tempo de recebimento dos clientes e o prazo para pagamento de fornecedores. É necessário que haja um equilíbrio para não haver hiatos em seu caixa.

Frisamos que é imprescindível que o MEI tire  um tempo, diariamente, para o preenchimento dessa planilha. Qualquer despesa ou recebimento deve ser registrado, além da cuidadosa análise de sua planilha. Só assim você conseguirá manter seu negócio funcionando de forma saudável.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Economia

MEI: teto de ganhos anuais foi ampliado para R$ 130 mil; já está valendo?

Texto da medida também autoriza o empreendedor a contratar até dois empregados formais. Atualmente, é permitido apenas um.

Publicado

em

O Senado Federal aprovou um Projeto de Lei Complementar (PLP) que amenta o valor do teto de ganhos de quem é Microempreendedor Individual (MEI). A quantia passará de R$ 81 mil para R$ 130 mil. Agora, o PLP segue para a Câmara dos Deputados, onde também será apreciado.

Leia mais: É MEI? Veja como conseguir empréstimo de até R$ 20 mil pelo BNDES

O texto da medida, de autoria do senador Jayme Campos (DEM-MT), também autoriza o MEI a contratar até dois empregados formais. Atualmente, é permitido apenas um.

Além disso, na nova regra, caso um dos funcionários ou os dois se afastarem por motivos legais, o MEI poderá realizar uma nova contratação. Neste cenário, o MEI conseguirá contratar o número de colaboradores equivalente aos que estão desligados da empresa, mesmo que temporariamente.

Com apenas uma emenda acrescida, o senador Marcos Rogério (DEM-RO), relator da proposta, também se mostrou favorável a sua aplicação.

“A importância da figura do microempreendedor individual para a economia, para a geração de empregos, para a redução do trabalho informal e para a garantia de trabalho e renda de inúmeras famílias é amplamente reconhecida”, esclarece Marcos Rogério, citando os artigos 170 e 179 da Constituição, que prevê tratamento favorecido às empresas de pequeno porte.

A quantidade de empresas abertas pela modalidade de microempreendedores individuais cresceu no país no decorrer de 2020. Dados do Mapa de Empresas, do Ministério da Economia, referente ao terceiro quadrimestre do ano passado, mostram que, do total de 3.359.750 empresas abertas neste período, 2.663.309 eram MEIs. Na prática, isso representa um crescimento de 8,4% em relação ao percentual do ano de 2019.

Continue lendo

MEI

O que falta para o novo limite de R$ 130 mil para MEI começar a valer?

Microempreendedores Individuais poderão ter o limite de faturamento anual ampliado para R$ 130 mil em breve.

Publicado

em

Cerca de 11 milhões de pessoas atualmente se enquadram na categoria de microempreendedor individual (MEI). A modalidade simplifica de abertura de empresas foi criada para formalizar os trabalhadores autônomos do país, garantindo direitos trabalhistas e previdenciários.

Leia mais: Custo da cesta básica aumentou em 13 das 17 capitais pesquisadas, aponta Dieese

Ao abrir um MEI, o cidadão recebe um CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica) e passa a ter facilidades na contratação de crédito. Além disso, o empreendedor se torna segurado do INSS.

Atualmente, é preciso ter faturamento anual de R$ 81 mil para se enquadrar na categoria, ou seja, uma média mensal de R$ 6.750,00 reais de renda bruta. Também é possível contratar um funcionário com remuneração de um salário mínimo ou equivalente ao piso salarial de sua categoria.

O que deve mudar?

O Projeto de Lei Complementar (PLP) 108/2021, aprovado no Senado Federal, prevê a ampliação do limite para R$ 130 mil por ano a partir de 2022. O MEI também poderá contratar até dois funcionários, e não somente um. Confira as principais mudanças do projeto:

MEI hoje MEI a partir de 2022
Limite de faturamento anual de R$ 81 mil Limite de faturamento anual de R$ 130 mil
Faturamento médio mensal de até R$ 6.750 Faturamento médio mensal de até R$ 10.833
Limite de contratação de um funcionário Limite de contratação de dois funcionários

O investimento em produtos e insumos até o momento deve ser de até 80% da receita anual, cerca de R$ 5.400 por mês. Com a proposta, o valor passará para R$ 8.866,40.

A mudança vai permitir que empreendedores que estão reduzindo sua empresa possam migrar de categoria e diminuir o volume de impostos pagos.

Quando o projeto entrará em vigor?

Aprovada pelo Senado, a proposta ainda depende do aval da Câmara dos Deputados e da sanção presidencial para entre em vigor. Devido ao grande apoio parlamentar ao texto, é possível que a medida seja aprovada ainda nas próximas semanas.

Continue lendo

MEI

MEI: Quando entra em vigor o novo limite de faturamento de R$ 130 mil?

Com a nova mudança do teto para R$ 130 mil a média mensal passará a ser de R$ 10.833.

Publicado

em

Finanças MEI

A partir do ano que vem, o Microempreendedor Individual (MEI) poderá ter um novo limite de faturamento da categoria. Se hoje em dia está na margem dos R$ 81 mil, o valor deve ser ampliado para R$ 130 mil.

Leia mais: Veja 5 carros econômicos, com consumo próximo de 16 km/l na cidade

Isso porque o Projeto de Lei que muda o teto de faturamento da categoria está avançando no Congresso Nacional e inclusive já foi até mesmo aprovado pelo Senado Federal. O PL nº 108, de 2021, atualmente está em trâmite no Congresso Nacional e está em estágio avançado para a aprovação.

Como o MEI funciona atualmente?

Hoje, o Microempreendedor Individual pode faturar até R$ 81 mil por ano, entre os meses de janeiro e dezembro, onde pode ter uma média máxima de faturamento mensal de R$ 6.750.

No entanto, com a nova mudança do teto para R$ 130 mil, a média mensal passará a ser de R$ 10.833.

O valor mensal não é fixo, ou seja, a empresa pode faturar aproximadamente isso conforme cada mês, no entanto, não poderá superar o teto anual.

Além disso, atualmente o MEI só pode contar com um funcionário, já com a nova mudança poderá contratar até dois funcionários em seu CNPJ, onde os funcionários poderão receber um salário mínimo cada, ou o piso salarial da categoria profissional.

Outra mudança trazida pelo Projeto de Lei é que em caso de afastamento de um ou de ambos os funcionários, o MEI poderá contratar novas pessoas.

Entenda quais serão os novos limites

Com a aprovação do Projeto de Lei, para se formalizar como MEI será necessário:

– Ter faturamento anual de até R$ 130 mil, ou seja, com uma média mensal de R$ 10.833,33;
– Não ser sócio, administrador ou titular de outra empresa;
– Ter no máximo 2 funcionários contratados;
– Exercer uma das mais de 450 atividades permitidas.
– Trabalhadores CLT também podem abrir uma MEI para exercer atividade paralela, mas, caso sejam demitidos, perdem o direito ao seguro-desemprego.

Se o projeto passar por todas as instâncias, a previsão é que as novas regras entrem em vigor em janeiro de 2022. E se a contribuição do MEI atualmente segue um modelo simplificado, onde o Microempreendedor se enquadra no Simples Nacional para ter uma carga reduzida através do sistema de recolhimento único.

Hoje, o MEI contribui mensalmente com valores entre R$ 56 e R$ 61, que variam conforme a atividade do CNPJ.

Continue lendo

MAIS ACESSADAS