Conecte-se conosco

Economia

Decisão de política monetária no Brasil e nos EUA dita o ritmo dos negócios

Investidores seguem monitorando a cena política após declarações do presidente Bolsonaro.

Publicado

em

Hoje o dia deve ser de cautela, com os investidores esperando a decisão dos bancos centrais do Brasil e dos Estados Unidos. Às 9h04, o Ibovespa registrava ganho de 0,34%, aos 100.742 pontos.

Os investidores acreditam que tanto o Comitê de Política Monetária (Copom) como o Federal Reserve (Fed, BC dos EUA) irão manter a taxa de juro inalterada, a expectativa é com o comunicado que será divulgado após o anúncio da decisão.

Na véspera, a cena política voltou a pesar sobre os negócios e o índice doméstico apresentou volatilidade. O presidente Jair Bolsonaro descartou o Renda Brasil e disse que vai continuar com o Bolsa Família. Ele também afirmou que daria o “cartão vermelho” para quem apresentar proposta de congelamento de aposentadoria e corte de auxílio para idosos e deficientes. “Isso é um devaneio de alguém que está desconectado com a realidade”, declarou Bolsonaro.

As afirmações trouxeram incertezas e os investidores começaram a cogitar a saída do ministro da Economia, Paulo Guedes, do governo. Guedes logo se posicionou e disse que o “cartão vermelho” não era para ele.

Para o economista da Órama Investimentos Alexandre Espírito Santo, a decisão de não dar continuidade ao Renda Brasil é positiva, pois as chances de romper o teto fiscal com esse novo programa são maiores. “Eu acho isso bom, não tinha dinheiro para um novo plano. Ainda existe o risco de romper o teto fiscal, mas se fosse um novo plano acredito que teríamos mais dificuldade”, pondera Alexandre.

Além das decisões dos BCs, os investidores também estarão atentos às divulgações de indicadores aqui e lá fora.

Há pouco, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) informou que o Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) subiu 4,34% em setembro, ante 2,53% em agosto. Com o resultado, o acumulado no ano passa para 13,98% e, em 12 meses, para 17,03%. O Índice de Preços ao Produtor (IPA) avançou para 5,99% em setembro, contra 3,38% em agosto.

À tarde será conhecido o resultado parcial do fluxo cambial.

Nos EUA, serão conhecidos o desempenho do varejo em agosto, os estoques das empresas e o fluxo de capital estrangeiro no país, ambos de julho. Além disso, saem os estoques semanais de petróleo bruto e derivados.

Em Nova York, o índice futuro Dow Jones registrava alta de 0,48%, aos 28.943 pontos.

Continue lendo
Publicidade
Comentários