Conecte-se conosco

Política

Executivo e Congresso discutem auxílio de 400 reais para caminhoneiros

O Governo Federal está numa tentantiva de mitigar os impactos econômicos que o Brasil vem sofrendo. Confira aqui!

Publicado

em

Não é novidade para ninguém que o Brasil está passando por uma das maiores crises de sua história. De fato, fatores como a pandemia e, mais recentemente, o conflito entre Rússia e Ucrânia contribuíram diretamente para essa problemática.

Veja também: Inflação obriga as pessoas a devolver imóveis financiados

Evidentemente, o poder de compra da população caiu drasticamente, o preço dos alimentos sobe a cada dia e os combustíveis estão ficando cada vez mais caros devido à adesão do Plano de Paridade Internacional de preços adotado pelo governo Temer, inclusive, mantido pelo governo de Jair Messias Bolsonaro.

No entanto, em meio a esse cenário caótico, uma proposta acabou ganhando força entre os ministros do governo de Bolsonaro, bem como entre as lideranças do Congresso Nacional: a criação de um auxílio de 400 reais mensais direcionando a caminhoneiros autônomos, além da ampliação do auxílio vale-gás, tanto no escopo quanto no valor, conforme apontam os integrantes do Parlamento e do Executivo.

Nesse sentido, ambas as propostas seriam incluídas na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que está em discussão no Senado. Essa PEC, em tese, foi idealizada visando diminuir o preço dos combustíveis por meio da redução do ICMS.

Além disso, é importante salientar que essa PEC surge como um meio de driblar as restrições impostas pela lei eleitoral que proíbe a criação e ampliação de programas em anos eleitorais.

Não obstante, essa PEC foi anunciada no início deste mês pelo presidente Bolsonaro, como forma de compensar parcialmente os estados para zerar o ICMS do óleo diesel. De acordo com muitos especialistas, essa proposta não irá afetar significativamente o preço dos combustíveis, bem como, futuramente, irá impactar diretamente o orçamento dos municípios e Estados em relação à saúde, segurança e educação.

Publicidade
Comentários

MAIS ACESSADAS