Conecte-se conosco

Curiosidades

Expo Mandioca: shows cancelados por suspeitas de superfaturamento

Município de Buri, no interior paulista, recebeu a notícia de que o TJ-SP determinou a suspensão dos shows por uma suspeita de superfaturamento.

Publicado

em

Com todas as atrações preparadas, incluindo Israel e Rodolffo, Raça Negra e Leonardo para a Expo Mandioca em Buri, no interior paulista, surgiu a notícia de que o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) determinou a suspensão dos shows por uma suspeita de superfaturamento. O evento tem sua organização feita pela prefeitura da cidade paulista.

Leia mais: Entenda a CPI do Sertanejo e porque Gusttavo Lima está sendo atacado

A decisão partiu da juíza Gilvana Mastrandé de Souza, após uma ação vinda do Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP). Na sentença, que foi divulgada na última sexta-feira, 24 de junho, a juíza entendeu que as irregularidades expostas pelo MP contam com “indícios de superfaturamento”.

O MP alegou na ação que a Prefeitura de Buri tinha o objetivo de usar R$ 1,5 milhão das áreas de Educação, Saúde, Promoção Social e departamento de Obras, além de outros serviços prestados pelo município, para custear o evento.

Outros pontos apresentados pelo MP em relação ao evento foram os valores dos shows de Israel e Rodolffo, Raça Negra e Leonardo. “Chamou a atenção da contratação da dupla para um show no município próximo de Guapiara (SP), no dia 29 de abri de 2022, porque o preço pago foi de 187.000,00, logo, quase metade do valor do show cobrado em Buri”, consta a ação.

A banda Raça Negra também teve diferenças bastante significantes na política de cobranças pelo show. Conforme informações do MP, em uma apresentação realizada na cidade paulista de Ribeirão Grande, o grupo havia cobrado cerca de R$ 90 mil em março deste ano. Já para a prefeitura de Buri, o preço foi de R$ 259.300,00.

Por fim, com a notícia da suspensão, os artistas citados tem o prazo de cinco dias para devolverem as quantias que foram adiantadas com relação ao evento para os cofres públicos. Além do mais, a juíza ainda determinou que a Prefeitura de Buri informe aos cidadãos sobre a suspensão dos shows no prazo de dois dias, ressaltando que as outras atrações não sofrem alterações.

As assessorias dos artistas, da mesma forma que a Prefeitura de Buri, ainda não fizeram seus pronunciamentos até o presente momento.

Publicidade
Comentários

MAIS ACESSADAS