Conecte-se conosco

Moedas

Idoso de MG aceita nota falsa de R$ 420 devolve troco de R$380 a golpista

Veja dicas para você não cair no golpe da nota falsa

Publicado

em

Um golpista tentou enganar um idoso de 75 anos passando uma nota falsa de R$ 420 como o pagamento de um empréstimo em Unaí (MG). Como a dívida era de R$ 100, ele também devolveu R$ 320 de troco.

De acordo com informações da Polícia Militar, a cédula falsa tinha desenhos de um bicho-preguiça e folhas de maconha nos lugares dos símbolos tradicionais das cédulas verdadeiras em circulação no Brasil.

Leia Mais: Novo golpe no WhatsApp divulga falso prêmio de aniversário de 30 anos da Amazon

Golpista foi preso

O responsável por repassar a falsa cédula foi preso, após a PM encontrar maconha na casa onde ele morava. O golpista trabalhava em uma fazenda vizinha próxima a vítima. O idoso disse falou que nunca tinha visto a cédula, mas o autor afirmou que tinha sacado o falso dinheiro em um caixa eletrônico de um banco em Unaí.

Dicas para não cair no golpe

Evite cair em golpes como esse, saiba que em circulação pelo Banco Central possuem as seguintes cédulas produzidas em papel:

Cédula de 2 reais: com a efígie da República como figura principal; o número “2”; a marca tátil; as expressões “REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL” e “DEUS SEJA LOUVADO”; as legendas “2 REAIS” e “2010” (ano de aprovação do design da cédula); o quebra-cabeça; o número escondido e o elemento fluorescente. E no reverso consta a tartaruga marinha (Eretmochelys imbricata) como figura principal; as expressões “DOIS REAIS” e “BANCO CENTRAL DO BRASIL”; o número “2”, como principais características.

Cédula de 5 reais: A efígie da República como figura principal; o número “5”; a marca tátil; as expressões “REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL” e “DEUS SEJA LOUVADO”; as legendas “5 REAIS” e “2010” (ano de aprovação do design da cédula); o quebra-cabeça; o número escondido e o elemento fluorescente. E no reverso como principais características, a garça (Casmerodius albus egretta) como figura principal; as expressões “CINCO REAIS” e “BANCO CENTRAL DO BRASIL”; o número “5”.

Cédula de 10 reais: A efígie da República como figura principal; o número “10” (número que muda de cor), a marca tátil; as expressões “REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL” e “DEUS SEJA LOUVADO”; as legendas “10 REAIS” e “2010”, ano de aprovação do design da cédula; o quebra-cabeça; o número escondido e o elemento fluorescente. E ainda no reverso como característica a arara (Ara chloroptera) como figura principal; as expressões “DEZ REAIS” e “BANCO CENTRAL DO BRASIL”, o número “10”.

Cédula de 20 reais: A Efígie da República como figura principal; o número “20” (número que muda de cor), a marca tátil; as expressões “REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL” e “DEUS SEJA LOUVADO”; as legendas “20 REAIS” e “2010”, ano de aprovação do design da cédula; o quebra-cabeça; o número escondido e o elemento fluorescente. E ainda no reverso como característica, está o mico-leão-dourado (Leontopithecus rosalia) como figura principal; as expressões “VINTE REAIS” e “BANCO CENTRAL DO BRASIL”, o número “20”; o queb

Cédula de 50 reais: A Efígie da República como figura principal; o número “50”, a marca tátil; as expressões “REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL” e “DEUS SEJA LOUVADO”; as legendas “50 REAIS” e “2010”, ano de aprovação do design da cédula; a faixa holográfica o quebra-cabeça; o número escondido e o elemento fluorescente. E no reverso está a onça-pintada (Panthera onca) como figura principal; as expressões “CINQUENTA REAIS” e “BANCO CENTRAL DO BRASIL”, o número “50”.

Cédula de 100 reais: A Efígie da República como figura principal; o número “100”, a marca tátil; as expressões “REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL” e “DEUS SEJA LOUVADO”; as legendas “100 REAIS” e “2010”, ano de aprovação do design da cédula; a faixa holográfica o quebra-cabeça; o número escondido e o elemento fluorescente. Já no reverso conta a garoupa (Epinephelus marginatus) como figura principal; as expressões “CEM REAIS” e “BANCO CENTRAL DO BRASIL”, o número “100”.

Cédula de 200 reais: na frente da nota, a efígie da República aparece como figura principal. Entre os demais elementos gráficos estão: o número “200” (Número que Muda de Cor); a marca tátil; as legendas “REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL”, “200 REAIS”, “2020” (ano de aprovação do design da cédula) e “DEUS SEJA LOUVADO”; a faixa de flores e frutos típicos do habitat do lobo-guará; o quebra-cabeça e o número escondido. E no verso da nota, a figura principal é o lobo-guará (Chrysocyon brachyurus). Entre os demais elementos gráficos estão: as legendas “BANCO CENTRAL DO BRASIL” e “DUZENTOS REAIS”, o número “200”.

Outra dica importante é é reparar na textura do papel das notas que estão sendo recebidas, as notas falsas tendem a ser lisas, enquanto as notas verdadeiras são ásperas e possuem um alto relevo e saliência nos itens de segurança que pode ser percebido pelo tato. Sinta sempre com os dedos o papel e a impressão!

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Moedas

Dólar sobe 1,44% e encosta em R$ 5,45, maior valor desde abril

Bolsa de valores levou um tombo e voltou à casa dos 110 mil pontos.

Publicado

em

Num dia de tensões no Brasil e no exterior, o dólar voltou a encostar em R$ 5,45 e a fechar no valor mais alto desde o fim de abril. A bolsa de valores levou um tombo e voltou à casa dos 110 mil pontos.

Veja mais: Ibovespa fecha em queda de 2,22%, aos 10.393,09 pontos

O dólar comercial encerrou esta segunda-feira (4) vendido a R$ 5,447, com alta de R$ 0,077 (1,44%). A cotação chegou a operar próxima da estabilidade na primeira hora de negociação, mas passou a disparar após a abertura do mercado norte-americano.

A moeda norte-americana está no valor mais alto desde 27 de abril, quando tinha fechado vendida a R$ 5,461. Em 2021, a divisa acumula valorização de 4,97%.

O mercado de ações também teve um dia difícil. O índice Ibovespa, da B3, fechou o dia aos 110.393 pontos, com forte recuo de 2,22%. O indicador operou o dia inteiro em queda e está no menor nível desde 20 de setembro, quando tinha fechado aos 108 mil pontos.

Três fatores principais acirraram a tensão no mercado internacional. Um dos presidentes regionais do Federal Reserve (Fed, Banco Central norte-americano) disse hoje que a inflação nos Estados Unidos pode permanecer alta mais tempo que o esperado. A declaração aumenta a expectativa de que o Fed aumente os juros mais cedo que o esperado.

Na China, a incorporadora imobiliária Evergrande teve as ações suspensas na bolsa de Hong Kong. A empresa pretende vender uma subsidiária avaliada em US$ 5 bilhões para quitar débitos e evitar novos calotes. A turbulência no mercado global agravou-se durante a tarde, quando a queda dos sistemas do Facebook, do Instagram e do WhatsApp impactou as ações das empresas de tecnologia.

No Brasil, a expectativa em torno de uma possível prorrogação do auxílio emergencial pressionou as negociações. Os investidores temem o impacto da medida sobre as contas públicas. Paralelamente, o mercado analisa as repercussões da divulgação de que o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, tinham empresas em paraísos fiscais após assumirem cargos públicos.

Ontem (3), os dois informaram que as offshores foram declaradas à Receita Federal, ao Banco Central, à Comissão de Ética Pública da Presidência da República e às demais autoridades competentes LINK 1 . A existência das empresas foi revelada pelo Pandora Papers, investigação de um consórcio internacional de jornalistas com base em documentos vazados de 14 escritórios de advocacia no exterior.

* Com informações da Reuters

Continue lendo

Moedas

Dólar sobe 0,34% e fecha acima de R$ 5,30 após anúncio do Fed

Banco Central norte-americano começará a retirar os estímulos monetários ainda este ano.

Publicado

em

As indicações de que o Banco Central norte-americano começará a retirar os estímulos monetários ainda este ano fizeram o dólar subir e fechar acima de R$ 5,30. A bolsa de valores fechou em alta pelo segundo dia seguido e retomou os 112 mil pontos, ainda refletindo o alívio em relação às medidas da China para evitar uma crise no mercado imobiliário local.

Leia também: É oficial: Banco Central eleva Selic para 6,25% ao ano; Quais os impactos?

O dólar comercial encerrou esta quarta-feira (22) vendido a R$ 5,304, com alta de R$ 0,018 (+0,34%). A cotação operou em queda na maior parte do dia, mas passou a oscilar bastante após o anúncio do resultado da reunião do Federal Reserve (Fed, Banco Central norte-americano), até consolidar a alta perto do fim da sessão.

No mercado de ações, o otimismo prevaleceu. O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 112.282 pontos, com alta de 1,84%. O indicador, que chegou a subir 2,58% na máxima do dia, por volta das 15h, desacelerou após o fim da reunião do Fed, mas a recuperação do preço de diversas commodities (bens primários com cotação internacional) após a incorporadora chinesa Evergrande ter anunciado um pequeno acordo com um dos credores para evitar calote de títulos privados.

No mesmo dia em que o Comitê de Política Monetária (Copom) deve aumentar os juros básicos no Brasil, o Fed manteve os juros básicos dos Estados Unidos no menor nível da história, entre 0% e 0,25% ao ano e não alterou o programa mensal de compra de títulos. No entanto, o presidente do Fed, Jerome Powell, afirmou que a redução dos estímulos pode começar em novembro e ser concluída em meados de 2022. Paralelamente, os juros começariam a ser elevados no próximo ano.

O fim dos juros baixos nos Estados Unidos estimula a retirada de capitais financeiros de países emergentes, como o Brasil. Desde o início da pandemia de covid-19, o Fed tem mantido os juros básicos no menor nível da história e injetado dólares na economia internacional.

Em relação ao mercado chinês, os temores de que uma eventual falência da Evergrande provoque um efeito dominó que diminua as exportações do Brasil e de outros países emergentes. Caso a segunda maior economia do planeta desacelere e consuma menos commodities, como soja, petróleo e minério de ferro, o Brasil seria atingido. Desde 2009, a China é o principal destino das exportações brasileiras.

* com informações da Reuters

Continue lendo

Criptomoedas

O que é uma stablecoin e por que investir nessa criptomoeda?

Entenda como funciona as criptomoedas estáveis e quais as vantagens para os investidores. Mercado tem crescido cada dia mais.

Publicado

em

Uma das principais críticas às criptomoedas é sobre sua instabilidade. O valor da mais famosa delas, o Bitcoin, já variou mais de US$ 30 mil dólares só em 2021. Por isso, muitos investidores têm preferido apostar nas chamadas stablecoins.

Leia mais: Aprenda como investir na Bolsa de Valores com pouco dinheiro

O que é stablecoin?

O nome inglês tem tradução literal para “moeda estável”. A stablecoin é isso mesmo: uma criptomoeda que oferece estabilidade em seu valor. Não quer dizer que não existam variações, mas apenas que elas não são tão gritantes.

Como funciona?

O principal motivo que faz uma criptomoeda, como o bitcoin, variar tanto, é a falta de lastro. Em outras palavras, a falta de ancoragem em outro ativo deixa um vácuo de parâmetros. Não tem como comparar se está caro ou barato, é mais uma questão de oferta e demanda apenas. Ou seja, depende do interesse momentâneo.

Por isso, a stablecoin acaba sendo lastreada em ativos reais, como petróleo e dólar. Assim, é possível identificar parâmetros de alta e de queda. O valor só varia conforme seus ativos também variam.

Como exemplo, existe a stablecoin Tether – uma das mais famosas. Ela está lastreada em dólar, então seu valor é igual a US$ 1. Sempre que o dólar aumenta, ela aumenta e sempre que cai, ela cai. 

Qual a vantagem?

Dessa forma, qual é a vantagem em comprar um stablecoin no lugar do ativo. Porque um investidor compraria 500 Tether e não US$ 500, por exemplo?

“A vantagem de comprar uma stablecoin em vez do ativo no qual ela está lastreada (como o dólar, no caso do Tether) é conseguir combinar a estabilidade do ativo com a praticidade de uma moeda digital”. É o que explica a fintech Nubank, em seu blog.

Existem casos em que é mais barato fazer uma transação por stablecoin do que em dólar. Pois os meios para transação são mais práticos e menos burocráticos. Dessa forma, o público investidor acaba sendo um pouco específico.

Tipos

Para quem tem interesse em investir na área. Existem quatro tipos de stablecoin:

Centralizadas: geralmente lastreadas em moedas reais;

Cripto-colateralizadas: lastreadas em criptomoedas descentralizadas;

Commodity-colateralizadas: lastreadas em ativos, como ouro, imóveis, obras de arte etc.

Não-colateralizadas: baseada em algoritmos que definem quantidades de moedas em circulação.

Continue lendo

MAIS ACESSADAS