Conecte-se conosco

MEI

MEIs podem ficar devendo o governo caso não movimentem a empresa?

MEIs podem acumular dívidas caso não efetuem o pagamento mensal do DAS.

Publicado

em

MEI - Microempreendedor Individual

Quem deseja se tornar microempreendedor individual (MEI) precisa arcar com algumas despesas, incluindo o pagamento do Documento de Arrecadação Simplificada (DAS). Mas, como ficam as dívidas caso a pessoa não movimente a empresa? Entenda a seguir. 

Como já mencionamos anteriormente, os MEIs precisam efetuar o pagamento mensal do DAS. Essa condição independe do trabalhador estar ou não movimentando sua empresa. 

Em outras palavras, o MEI faz o recolhimento de seus impostos através de uma guia única, que é o próprio DAS. O vencimento desse documento acontece todos os meses entre os dias 20 e 22. 

Ou seja, em caso de não pagamento da guia, o trabalhador acumulará débitos, incluindo multa e juros:

  • Multa de 0,33% por dia de atraso, que será limitada a 20% da quantia;
  • Juros relacionados à taxa Selic mensal, que é acumulada a partir do mês seguinte ao da consolidação da dívida; 
  • Cobrança de 1% relativo ao mês do pagamento. 

Caso você realmente tenha dívidas em razão do DAS em atraso, a Receita Federal possibilita o parcelamento das pendências. As parcelas podem ser negociadas com o órgão, enquanto os débitos não forem enviados para inscrição em Dívida Ativa da União. Após esse processo, as tentativas de negócio devem ser feitas com a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. 

Ainda que o contribuinte não possa escolher o número de parcelas, o valor mínimo estabelecido é de R$ 50. A negociação engloba todos os débitos apurados e o saldo devedor é atualizado com os devidos acréscimos legais até a data do pagamento da entrada. 

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

MEI

MEI pode pegar empréstimo com nome sujo?

É de extrema importância que o seu MEI esteja em dia com os impostos para realizar a solicitação do empréstimo.

Publicado

em

Empréstimo

Você Microempreendedor Individual (MEI) está  com o “nome sujo” tem dificuldade de comprar a prazo e ter acesso ao crédito? Você sabe como solicitar empréstimo como MEI? Então, é similar a qualquer outra categoria de solicitação de empréstimo. 

Leia mais: Santander anuncia taxa zero para enviar dinheiro do cartão de crédito via app

Você pode estudar as melhores ofertas, fazer simulações e realizar comparações para que assim possa achar a melhor opção e taxa para a sua empresa. 

Documentos para fazer o empréstimo, normalmente os documentos solicitados são: 

  • Os comprovantes da sua situação como microempreendedor; 
  • o CNPJ;
  • seus documentos pessoais;
  • comprovantes de endereço.

É de máxima importância que o seu MEI esteja em dia com os impostos para realizar a solicitação do empréstimo. Outros documentos podem ser requisitados para realização da análise, variando da categoria de empréstimos e valores que deseja solicitar.  

Como funciona a Análise de crédito? 

A análise de crédito é essencial para as instituições financeiras, pois é através dela que se é avaliado o perfil de pessoas físicas e jurídicas, se existe ou não a capacidade econômica para pagar o valor solicitado. 

Também é por meio dela que é possível calcular o risco das transações financeiras, o que é determinante para a taxa de juros que será aplicada no empréstimo, ou seja, quanto maior risco você representa, maiores os juros que irá pagar. O valor derivado da análise de crédito é chamado de “nota de crédito” (ou score). O intervalo de valores é de 0 a 1.000, quanto maior o valor, melhor. 

Os bancos utilizam essa pontuação para classificar os indivíduos, eles costumam ser divididos pelos seguintes grupos: 

  • Até 300 pontos — risco alto; 
  • De 300 a 700 pontos — risco médio
  • Acima de 700 pontos — risco baixo.

Quando se fala do MEI essa análise é muito parecida à realizada para a concessão de crédito pessoal. Isso ocorre, pois, por trás do MEI sempre existe a pessoa física, e quando ela possui um score baixo, isso pode atrapalhar na nota da pessoa jurídica. 

Solicitei um empréstimo como MEI e foi negado por meu nome estar sujo, e agora? 

Existem duas soluções que podem te facilitar a conseguir a liberação do seu crédito. 

  • Para quem tem imóvel próprio e quitado. Nessa situação, bancos e financeiras podem utilizar o imóvel para garantir o empréstimo. 
  • Se você possuir veículo próprio quitado, a garantia neste caso pode ser o seu carro ou moto

Vale ressaltar que se você pretende usar sua casa ou carro como garantia do crédito, esteja atento às regras contratuais, pois no caso da inadimplência eles podem tomar o seu bem.

Leia também: Simples Nacional de MEI, micro e pequenas empresas pode ser pago via Pix

Continue lendo

MEI

MEI entra no radar das financeiras que querem oferecer crédito imobiliário

Força do consumo chamma a atenção

Publicado

em

Se antes os microempreendedores individuais (MEI) eram olhados com certa desconfiança pelo mercado, agora as financeiras abrem um sorriso de orelha com o objetivo de cativar e, assim, apresentar opções de crédito imobiliário à categoria.

Isso porque o Brasil já tem mais de 11 milhões de MEIs e a tendência é aumentar ainda mais, com mais gente deixando o mercado formal de trabalho, por opção ou circunstância, e empreendendo.

Mas o cenário mudou também por conta das obrigações que o MEI deve implementar em sua rotina, dentre as quais o acompanhamento de um contador para declarar impostos e outros serviços relacionados. Assim, esse profissional consegue comprovar faturamento e outros.

Desta maneira, fica mais fácil obter crédito de toda natureza, e o imobiliário era um serviço que faltava.

Cientes disso, agentes financeiros e fintechs criam ambientes virtuais para capturar este consumidor que, pelas regras do programa, pode faturar até R$ 81 mil por ano.

Mercado imobiliário

MEI

Levantamento do Banco Central (BC), por exemplo, informa que a carteira de crédito para compra de imóvel por MEI saiu de R$ 2,7 bilhões em março de 2016 e alcançou R$ 10,1 bilhões em março deste ano.

Esse movimento coloca o MEI como um dos públicos que mais têm avançado no financiamento habitacional para pessoas físicas nos últimos cinco anos.

Embora pareça pouco, já que a carteira convencional registra mais de R$ 730 milhões, o que atrai nos MEIs é a velocidade de crescimento, principalmente se levar em consideração o registro dos marketplaces, onde eles avançam vertiginosamente no consumo e aquisição de crédito.

Outro fator que faz brilhar os olhos das financeiras diz respeito ao Open Banking. Quando este serviço estiver totalmente implementado, a circulação de informações poderá beneficiar ainda mais os MEIs, pois estes já são um público-consumidor em potencial.

Continue lendo

MEI

BNDES oferece empréstimo de até 21 mil para MEI

Além da possibilidade de microcrédito, o banco garante ainda a oferta de um cartão de crédito com parcelamento em até 48 vezes e taxa de juros a 0,86% ao mês.

Publicado

em

Você Microempreendedor Individual (MEI) que está precisando de uma grana extra pode contar com o chamado Microcrédito Empreendedor oferecido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A linha disponibiliza limite de até R$ 21 mil para microempreendedores com taxa de juros de até 4% ao mês.

A ideia é promover ações de liberação de recursos para o  desenvolvimento da empresa. Por exemplo: compra de novos equipamentos e matéria-prima, além de investimento no capital são apenas algumas das finalidades do dinheiro. De acordo com o BNDES, podem contratar o crédito pessoas físicas e jurídicas; assim sendo, a ação é válida para atividades empreendedoras de pequeno porte.

Isso pois, o negócio deve ter receita bruta igual ou inferior a R$ 360 mil por ano. É importante mencionar que durante a solicitação, uma análise de crédito será feita para a autorização ou não dos recursos. Os interessados devem enviar o pedido pelo site MPME, voltado para micro, pequenas e médias empresas.

Além da possibilidade de microcrédito, o banco garante ainda a oferta de um cartão de crédito com parcelamento em até 48 vezes e taxa de juros a 0,86% ao mês. Para solicitar, o dono da empresa deve ter conta corrente em bancos parceiros, como Caixa Econômica Federal e Itaú. A solicitação é feita no site.

Leia também: MEI: Quem tem nome sujo consegue pedir empréstimo?

Continue lendo

MAIS ACESSADAS