Conecte-se conosco

Automobilística

Novo Jeep Renegade abandona motor a diesel em 2022: Entenda o motivo

Publicado

em

Novo Jeep Renegade abandona motor a diesel em 2022: Entenda o motivo

Desde seu lançamento em 2015, o Jeep Renegade marcou o ressurgimento da Jeep no Brasil. Para 2022, o novo modelo que chega na virada do ano deve ganhar mudanças importantes.

A economia de escala foi o fator de decisão para mudança. A opção única de motor turbo flex marca a mudança dos motores, os mesmos desde 2015.

Até 2021, o Jeep Renegade é vendido com o motor 1.8 flex (139 cv/19,3 kgfm) e 2.0 turbo-diesel (170 cv/35,7 kgfm), no entanto agora parte para novos rumos.

Com a mudança para o motor 1.3 turbo flex 180 cv a partir do começo de 2021, Jeep Renegade 2023 também chega com tração 4×2 e câmbio AT6 ou 4×4.

Mas o que todas essas mudanças significam? Os motivos por detrás das escolhas da montadora, você confere agora no Capitalist!

Qual a diferença entre os motores?

Primeiramente, a troca de motores implica na mudança do câmbio automático de 9 marchas para uma versão mais restrita 4×4 com o AT6 disponível para as versões 4×2.

Busca-se um novo Jeep Renegade mais potente em todas as versões, por consequência, a potência vem com a entrega de 180 cv com gasolina e 185 cv com etanol.

Além disso, vale ressaltar os 270 Nm de torque com qualquer combustível nesse novo modelo, o que como resultado promete maior eficiência.

Com o motor 1.3, Jeep pretende melhorar a relação peso/potência que passa de 11kg/cv para 8,2. No entanto, existe outro valor atrelado á eficiência nessa troca.

Novo Jeep Renegade visa economia

O fato é que o motor 2.0 diesel não apresentava um volume de vendas que fosse compatível com o que a montadora desejava.

Com um volume de cerca de 10% da gama, a Jeep começou a olhar para o motor a diesel como um investimento não tão rentável.

Com escala iniciada em Betim (MG) há alguns meses, a Fiat-Jeep ganha com a economia de escala, fruto da fabricação massiva de motores GSE Turbo.

Entretanto, a empresa pretende compensar investimento com os detalhes estéticos presentes nas lanternas, tampa do porta-malas sobretudo com outras peças que chamam a atenção.

O painel interno, no entanto, permanece o mesmo do atual, tendo apenas uma mudança no quadro de instrumentos que terá opção digital e volante da família Compass e Commander.

Eficiência energética e melhora na manutenção

A mudança também vem acompanhada do programa Rota 2030, que visa uma meta de eficiência para não ser multada.

A Jeep já apresentava uma aproximação da meta, no entanto essa aproximação pretende se atenuar com a mudança no Renegade que proporciona melhor eficiência energética.

Outra questão também a ser pontuada é a manutenção, pois a Jeep está investindo numa manutenção mais fácil ao invés de aperfeiçoamento em treinamentos.

Com semelhanças com modelos de quaro cilindros, não haveria uma necessidade de ensinar novas técnicas aos concessionários.

O novo Jeep Renegade já circula camuflado em alguns lugares e promete ser mais atrativo aos consumidores.

Publicidade
Comentários

MAIS ACESSADAS