Conecte-se conosco

Economia

Planos de saúde no Brasil terão o maior acréscimo desde 2000

Conforme as informações da CNN Brasil, os planos de saúde deverão ficar R$128 mais caros em todo o país. Saiba mais!

Publicado

em

Os brasileiros já estão sentindo no bolso os efeitos do aumento de preços da gasolina e dos alimentos, infelizmente, tudo indica que não irá parar por aí. Conforme as informações da CNN Brasil, os planos de saúde deverão ficar R$128 mais caros em todo o país.

Veja também: Ahfim: empresa oferece benefícios para saúde financeira

Conforme os informativos da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o cálculo levou em consideração um plano de saúde que tenha serviço hospitalar e ambulatorial que custa aproximadamente R$ 800.

As projeções feitas pela Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde) e pela Associação Brasileira de Planos de Saúde (Abramge), que estimaram um aumento de 16%, também foram levados em consideração.

Quando perguntado sobre a projeção, a ANS não confirmou nenhuma data para fazer a divulgação do reajuste, porém, informações extraoficiais dizem que o novo índice oficial entre em vigor nesse mês. Assim que renovado o valor, as empresas prestadoras do serviço começarão a aplicá-lo na hora de efetuar a renovação do plano.

Planos de saúde podem aumentar 16% este ano

Caso a projeção se confirme, o aumento se mostrará como o maior já aprovado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) dentro de um ano desde que o índice começou a ser apurado, em 2000.

Estudo publicado pela agência, mostra que a mudança irá impactar no bolso de 47,6 milhões de brasileiros que utilizam planos de saúde.

Marcos Novais, O Superintendente Executivo da Abramge, disse em entrevista ao canal de televisão CNN que o motivo central desse aumento foi o período pandêmico do covid19, pois ele encareceu inúmeros serviços no Brasil.

“No ano passado, as despesas médicas cresceram mais de 23%, enquanto as receitas cresceram apenas 9%. Somente em 2021, o prejuízo do setor foi de R$ 1 bilhão. Precisamos desse aumento para o reequilíbrio se tornar mais sustentáveis”.

Outro motivo que contribuiu para o aumento foi a inflação, que é medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que pressiona toda economia do país.

Publicidade
Comentários

MAIS ACESSADAS