Conecte-se conosco

Economia

Pode faltar combustível em dezembro? Veja o que diz a Petrobras

Na prática, contratos realizados pela estatal estabelecem o fornecimento às distribuidoras com base em uma média dos últimos três meses.

Publicado

em

As distribuidoras de combustíveis podem não receber a quantidade suficiente de gasolina e diesel prevista para o mês de dezembro. Isso porque a Petrobras informou que não vai conseguir atender toda a demanda pelo segundo mês consecutivo.

Leia mais: Autônomo: Veja como se inscrever no INSS para ter acesso a benefícios

Um dos motivos está relacionado ao aumento médio nos pedidos feitos pelas distribuidoras, que subiu 15% em comparação ao mesmo período do ano passado. Questionada sobre o assunto, a Petrobras declarou que, assim como no mês de novembro, os pedidos de combustíveis pelas empresas para dezembro também foram atípicos e acima do esperado.

Do outro lado, a Brasilcom, federação que reúne as distribuidoras de combustíveis, disse que a Petrobras tem feito cortes na gasolina e no diesel. Na prática, os contratos realizados pela estatal estabelecem o fornecimento às distribuidoras tendo como referência uma média dos últimos três meses.

“Soubemos que diversas empresas tiveram cortes em seus pedidos, tanto de gasolina como de diesel, sendo alguns cortes bastante significativos, principalmente no diesel”, apontou a Brasilcom, em nota.

Alta do consumo

A falta de atendimento pela Petrobras acontece em razão do alto consumo de combustíveis após a reabertura da economia. As vendas de gasolina e diesel cresceram cerca de 20% nos dez primeiros meses deste ano em comparação ao mesmo período de 2020.

Em nota, a Petrobras informou que, após realizada uma avaliação de disponibilidade, que leva em conta a capacidade de produção e oferta, o volume aceito ficou abaixo em comparação aos pedidos recebidos.

Além disso, a estatal voltou a afirmar que existem dezenas de empresas cadastradas na Agência Nacional do Petróleo (ANP) autorizadas a importar combustíveis. Atualmente, a Petrobras tem operado com 87% da sua capacidade de refino e aumentado gradativamente o volume de importações dos derivados.

Publicidade
Comentários

MAIS ACESSADAS