Conecte-se conosco

Economia

Preço da cenoura e tomate está muito acima do normal; entenda porque

Segundo o IBGE, no período de um ano o preço da cenoura subiu cerca de 200%, enquanto no mesmo período, o tomate teve um aumento de 117%.

Publicado

em

O preço dos alimentos estão cada vez mais altos no país, mas tem alguns em especial que estão passando dos limites. É o caso da cenoura e do tomate, que foram os alimentos que mais aumentaram de preço este ano, e que só tem previsão de baixar nos próximos meses.

Segundo o IBGE, no período de um ano o preço da cenoura subiu cerca de 200%, enquanto no mesmo período, o tomate teve um aumento de 117%.

A alta no preço da cenoura se deve ao baixo estoque de produto no país, devido ao alto volume de chuva que aconteceu no primeiro mês do ano, afetando as plantações.

Os estados mais afetados por este problema foram São Paulo, Minhas Gerais e Espírito Santo, estados estes que são grandes produtores do alimento.

A umidade causada pelas chuvas também prejudicou a qualidade do produto, causando doenças nas raízes e impossibilitando o consumo. Sendo assim, uma boa parte da produção teve que ser descartada, diminuindo ainda mais a oferta no país.

Segundo a pesquisadora do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, Marina Marangon, o produtor já encontra um menor preço em abril, e pode ocasionar em uma diminuição devido a regularização da oferta.

“O cenário de preços pagos ao produtor mostra queda, então isso pode favorecer o consumidor também. Só que tem a questão do que vai ser repassado ou não nos canais de venda. Uma estimativa não posso afirmar com certeza, mas como já está caindo o preço há umas três semanas [para o produtor] logo deve aliviar o consumidor, sim”, comenta ela.

Toshiyuki Mishima comanda uma empresa de melhoramento de cenouras, e conta que este mês encontrou uma boa melhora no preço das cenouras:

“Mês passado ainda estava sendo vendida a caixa de 29 quilos por R$ 130, R$ 140. Agora, estou achando por R$ 70 e até R$ 50. Tem melhorado para a gente, mas no mercado demora um pouco para refletir. Acredito que nos próximos meses o consumidor já encontra a variação do quilo entre R$ 5,99 e R$ 10”, especula ele.

Segundo Mishima, no inverno o preço da cenoura costuma ficar menor devido à alta procura do alimento, porém como o clima é imprevisível, temos que torcer que ele continue favorável para a produção.

As chuvas também afetaram a produção de tomate, principalmente nas regiões Sudeste e Nordeste, e não há previsão de baixa de preços para este produto.

Outra coisa que influenciou no preço do tomate, foi a diminuição da área de plantio. Devido a pandemia, muitos estabelecimentos tiveram de ser fechados, diminuindo a procura pelo produto. Sendo assim, os produtores de tomate diminuíram suas plantações, fazendo com que a oferta do produto seja menor no país.

E para piorar, o inverno do Sul e Sudeste diminuem a produção de tomate, fazendo com que os preços continuem em alta, e só deve melhorar por meados de julho, quando a safra de inverno avançar.

Publicidade
Comentários

MAIS ACESSADAS