Conecte-se conosco

Moedas

Real salta de 116º para 12º moeda em ranking das que mais se fortalecem

Gannhando fôlego

Publicado

em

Dinheiro - Real

O Real saltou da 116º posição para 12º colocação como moeda em ranking das que mais se fortalecem, conforme agência brasileira de classificação de risco Austin Rating.

O feito por si só já chama a atenção, principalmente porque o real passou quase 2020 inteiro no topo da lista das piores moedas do mundo.

Porém, conseguiu dar uma guinada e inverteu, nos últimos meses, sua tendência de perda de valor frente ao dólar.

Assim, conforme a Austin Rating, o real é atualmente a 12ª moeda, em uma lista de 120 países, que mais se valorizou desde o começo de 2021 até aqui, com uma alta acumulada de 3,2% frente ao dólar.

A empresa elencou que, no cálculo invertido que é padrão no Brasil, o dólar caiu 3,1% frente ao real desde o começo do ano.

Real

Outras moedas foram lá embaixo, assim como o real, e agora estão se fortalecendo. É o caso, por exemplo, do rublo, da Rússia, que caiu 16,5% frente ao dólar em 2020 e, neste ano, já acumula um ganho de 2,8%, na 16ª posição entre as moedas que mais estão se valorizando em 2021. O rand sul-africano é o sexto da lista e sobe 3,4% (veja a lista completa ao fim).

Segundo a Austin Rating, trata-se de um quadro bastante diferente do ano passado, quando o real encerrou o ano tendo sido a sexta moeda que mais perdeu valor no mundo, com uma depreciação de 22,4% em relação ao dólar, também de acordo com a Austin. No ano passado, a lista contou com 121 países.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Criptomoedas

O que é uma stablecoin e por que investir nessa criptomoeda?

Entenda como funciona as criptomoedas estáveis e quais as vantagens para os investidores. Mercado tem crescido cada dia mais.

Publicado

em

Uma das principais críticas às criptomoedas é sobre sua instabilidade. O valor da mais famosa delas, o Bitcoin, já variou mais de US$ 30 mil dólares só em 2021. Por isso, muitos investidores têm preferido apostar nas chamadas stablecoins.

Leia mais: Aprenda como investir na Bolsa de Valores com pouco dinheiro

O que é stablecoin?

O nome inglês tem tradução literal para “moeda estável”. A stablecoin é isso mesmo: uma criptomoeda que oferece estabilidade em seu valor. Não quer dizer que não existam variações, mas apenas que elas não são tão gritantes.

Como funciona?

O principal motivo que faz uma criptomoeda, como o bitcoin, variar tanto, é a falta de lastro. Em outras palavras, a falta de ancoragem em outro ativo deixa um vácuo de parâmetros. Não tem como comparar se está caro ou barato, é mais uma questão de oferta e demanda apenas. Ou seja, depende do interesse momentâneo.

Por isso, a stablecoin acaba sendo lastreada em ativos reais, como petróleo e dólar. Assim, é possível identificar parâmetros de alta e de queda. O valor só varia conforme seus ativos também variam.

Como exemplo, existe a stablecoin Tether – uma das mais famosas. Ela está lastreada em dólar, então seu valor é igual a US$ 1. Sempre que o dólar aumenta, ela aumenta e sempre que cai, ela cai. 

Qual a vantagem?

Dessa forma, qual é a vantagem em comprar um stablecoin no lugar do ativo. Porque um investidor compraria 500 Tether e não US$ 500, por exemplo?

“A vantagem de comprar uma stablecoin em vez do ativo no qual ela está lastreada (como o dólar, no caso do Tether) é conseguir combinar a estabilidade do ativo com a praticidade de uma moeda digital”. É o que explica a fintech Nubank, em seu blog.

Existem casos em que é mais barato fazer uma transação por stablecoin do que em dólar. Pois os meios para transação são mais práticos e menos burocráticos. Dessa forma, o público investidor acaba sendo um pouco específico.

Tipos

Para quem tem interesse em investir na área. Existem quatro tipos de stablecoin:

Centralizadas: geralmente lastreadas em moedas reais;

Cripto-colateralizadas: lastreadas em criptomoedas descentralizadas;

Commodity-colateralizadas: lastreadas em ativos, como ouro, imóveis, obras de arte etc.

Não-colateralizadas: baseada em algoritmos que definem quantidades de moedas em circulação.

Continue lendo

Bancos

Limite de transferências internacionais sobe para US$ 10 mil

Medida integra nova regulamentação do mercado de câmbio, por BC/CMN

Publicado

em

Crédito: investidorsardinha

Com a atualização das normas que regem o mercado de câmbio, a partir de 1º de outubro próximo, transferências internacionais poderão ser feitas até o limite de US$ 10 mil, conforme estabelece nova regulamentação do Banco Central (BC) e do Conselho Monetário Nacional (CMN).

‘Gastos correntes’ – Pelas novas regras, as transferências poderão ser feitas entre contas de um mesmo cliente (no país e no exterior), assim como para terceiros, sob a forma de ‘gastos correntes’. Nessa lista também entram finalidades, como manutenção de uma pessoa no exterior, aposentadorias, pensões e doações.

Segundo o BC, a medida deve impulsionar a demanda por eFx, assim batizado, pela autoridade monetária, o serviço prestado por empresas facilitadoras de pagamentos internacionais e de cartão, por exemplo, agora com teto de transferência ampliado.

Pequeno porte – Também foi facilitado o envio e recebimento de recursos internacionais, por meio do cartão de crédito, o que deve beneficiar mais diretamente o segmento de valores de pequeno porte, também conhecido como o de ‘transferências pessoais’. Neste caso, estão brasileiros no exterior que enviam dinheiro aos seus familiares, no Brasil, ou pais que o fazem a seus filhos, no exterior.

Novos operadores – Outra novidade da nova regra é permitir que instituições de pagamento peçam autorização à autoridade monetária para operar no mercado de câmbio, a partir de setembro de 2022, mediante operação apenas por meio eletrônico, sem qualquer troca física.

Remessa facilitada – Uma solução rápida, barata e simples, assim considera o chefe da subunidade do Departamento de Regulação Prudencial e Cambial do Banco Central, Lucio Holanda Oliveira, ao explicar que, a partir de agora, “uma pessoa detentora de cartão de crédito internacional poderá fazer uma remessa para ela mesma ser creditada no país”.

Competição favorecida – Oliveira acrescenta que as mudanças baixadas pelo governo, igualmente, favorecem a competição e expansão das fintechs que atuam como instituições de pagamentos, além de preservar os requerimentos referentes à Prevenção de Lavagem de Dinheiro (PLD) e àqueles referentes à prestação de informações ao BC.

Estrangeiro tem vez – As determinações do BC alcançam, ainda, os estrangeiros aqui residentes, que agora poderão abrir conta no país, antes limitada à abertura de conta de depósito, facilitando a vida de quem precisa de recursos no Brasil, assinalou o chefe do BC.

Continue lendo

Economia

Dólar: Declaração de Bolsonaro ajuda a bolsa, mas afunda a moeda norte-americana

Temer: “não está no meu horizonte”, sobre possível candidatura

Publicado

em

Presidente Jair Bolsonaro

A declaração do presidente Jair Bolsonaro, nesta quinta-feira (9), por meio de nota à nação, até ajudou o Ibovespa a virar abruptamente para o azul, fechando em alta, entretanto, fez o dólar afundar.

Diferentemente do Ibovespa, que estava indo para o negativo e fechou no positivo, o dólar estava seguindo para alta, mas fechou em baixa.

A moeda norte-americana encerrou o dia em queda de 1,86%, a R$ 5,2273, depois de oscilar entre a mínima de R$ 5,1943 e a máxima de R$ 5,3347. No fim da tarde, o DXY recuava 0,16%, o euro subia 0,06%, para US$ 1,1824, e a libra tinha alta de 0,47%, a US$ 1,3838.

A referida nota, escrita pelo ex-presidente Michel Temer, mas lida por Bolsonaro, reconhece que usou recentemente palavras “contundentes”, em referência ao discurso do 7 de Setembro.

Dólar: Declaração de Bolsonaro ajuda a bolsa, mas afunda a moeda norte-americana

O chefe do Executivo alegou que elas foram ditas “no calor do momento e dos embates que sempre visaram o bem comum”.

Também reiterou divergências com o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, mas disse que “essas questões devem ser resolvidas por medidas judiciais”.

“Nunca tive nenhuma intenção de agredir quaisquer dos Poderes. A harmonia entre eles não é vontade minha, mas determinação constitucional que todos, sem exceção, devem respeitar”, afirmou.

“Em que pesem suas qualidades como jurista e professor, existem naturais divergências em algumas decisões do Ministro Alexandre de Moraes. Sendo assim, essas questões devem ser resolvidas por medidas judiciais que serão tomadas de forma a assegurar a observância dos direitos e garantias fundamentais previsto no Art 5º da Constituição Federal”, complementou.

Bolsonaro – Temer

A nota operou um verdadeiro milagre no mercado financeiro e agitou o cenário político com a reinserção da figura do ex-presidente Temer de volta ao noticiário.

Temer confirmou à imprensa a autoria da carta e disse que passou o dia em Brasília para “produção” da declaração de Bolsonaro.

Ele disse que o próprio Bolsonaro o telefonou para “trocar ideias sobre o país”. Já Temer telefonou para o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, que, segundo ele, não tem nada pessoal com o presidente.

Questionado sobre uma possível candidatura à frente, Temer disse: “Não está no meu horizonte. Vamos deixar o tempo passar.”

Continue lendo

MAIS ACESSADAS