Conecte-se conosco

Ações, Units e ETF's

Ativos “desfavorecidos” oferecem oportunidade de ganho, diz Howard Marks

Ativos “desfavorecidos” oferecem oportunidade de ganho, diz Howard Marks

Publicado

em

Howard Marks

Os investimentos que estão “em declínio” podem oferecer grandes retornos que estão se tornando cada vez mais difíceis de encontrar no ambiente de taxas de juros baixas de hoje, de acordo com Howard Marks, um investidor bilionário amplamente seguido.

À CNBC, ele disse que não é fácil encontrar oportunidades atualmente. Marks é co-fundador e co-presidente da Oaktree Capital Management.

Howard Marks

Tesouro dos EUA

Com os rendimentos dos títulos do Tesouro dos EUA próximos de zero, outras classes de ativos parecem “muito atraentes” em comparação, mas os retornos ainda podem ser fracos, disse ele.

“Você chega a um ponto em que tudo está sendo vendido a um preço justo em relação à taxa de juros muito baixa, mas ainda com perspectivas muito baixas de retorno. E acho que é onde estamos”, disse. “Então, onde estão as oportunidades hoje? As oportunidades estão nas coisas que estão fora de moda.”

Desfavorecidos

Os ativos “desfavorecidos” incluem imóveis de varejo e escritórios, bem como ações dos setores de entretenimento e hospitalidade, disse Marks.

“Acho que desenvolvemos uma dicotomia real entre as coisas que são obviamente bem-sucedidas, mas caras, e as coisas que parecem baratas, mas são desafiadas em termos de negócios. E muito dinheiro será ganho comprando estas últimas que funcionam em meu opinião”, acrescentou.

Tecnologia

Ele observou que, até a recente liquidação nos mercados dos Estados Unidos, o setor de tecnologia era favorecido pelos investidores, pois as empresas observaram uma melhora nos negócios durante a pandemia de Covid-19.

Embora algumas das ações de tecnologia agora pareçam caras, Marks disse que elas poderiam “ainda gerar muito dinheiro para as pessoas” no longo prazo.

A chave é identificar quais empresas teriam sucesso a longo prazo para validar as expectativas dos investidores em relação a elas, acrescentou.

Recorde

Sobre a última onda de vendas nos mercados dos EUA liderada por ações de tecnologia , Marks disse que muitos investidores estão focados em flutuações de curto prazo que podem não significar muito.

Ele destacou que, embora as flutuações do mercado tenham sido “anormalmente fortes” este ano, o movimento recente de queda nos preços das ações ocorre após uma alta de cerca de 60% desde a queda em março.

“Lembre-se de que o mercado subiu cerca de 60% da baixa de 23 de março para o outro dia, e agora está devolvendo 6%, então ainda está bem longe do fundo, ainda está próximo do que foi uma alta de todos os tempos definido em fevereiro ”, disse ele.

“Talvez as coisas tenham corrido muito bem e algumas pessoas decidiram que as ações deveriam ser um pouco mais baixas, então as venderam, especialmente em tecnologia”, acrescentou.

Portanto, é importante que os investidores reconheçam que os mercados não podem lhes dizer o que está por vir, disse Marks.

“Os mercados parecem estar ficando mais voláteis … todo mundo pega um gatilho e está olhando para o desempenho de curto prazo como se isso significasse alguma coisa”, disse ele. “O que realmente significa algo é se você mantém ações para o longo prazo e se você mantém boas ações.”

Publicidade
Comentários

Ações, Units e ETF's

Itaúsa (ITSA4) paga R$ 0,02 por ação em juros sobre o capital próprio adicionais até abril

Considerando a retenção de 15% do Imposto de Renda na fonte, o valor pago por ação passará a ser de R$ 0,01768.

Publicado

em

Itaúsa

O Conselho de Administração da Itaúsa (ITSA4) comunicou na última segunda-feira, 18, em fato relevante, que foi aprovada a declaração de juros sobre o capital próprio adicionais no valor de R$ 0,0208 por ação. De acordo com o documento, os valores serão repassados aos acionistas até o dia 30 de abril de 2021.

Vale destacar que, considerando a retenção de 15% do Imposto de Renda na fonte, o valor pago por ação passará a ser de R$ 0,01768, exceto para acionistas pessoas jurídicas comprovadamente imunes ou isentos. Ademais, esse valor será pago com base na posição final acionária final de 22 de janeiro, e a partir do dia seguinte (23 de janeiro), as ações serão negociadas como “ex-JCPs” (Juros sobre Capital Próprio).

A Itaúsa é a holding que controla o Banco Itaú. Entre seus principais investimentos, além do próprio Itaú Unibanco, que representa 90% de seus ativos, estão aplicações em empresas de produção de madeira e papel, calçados, transporte de gás natural, entre outras.

Continue lendo

Ações, Units e ETF's

Conheça as 30 maiores pagadoras de dividendos em 2020

Analistas fizeram um levantamento de resultados em 2020, de acordo com números de 2019.

Publicado

em

Dividendos

Analisar dividendos é importante para os investidores que desejam aplicar pensando em viver de renda. Eles representam o percentual de lucros que a companhia distribui entre os acionistas, como uma espécie de remuneração. Assim, se tiver comprado ação de uma empresa que paga dividendos, o investidor possui direito a grana extra.

Em algumas situações, o dinheiro é pago mensalmente. Já em outras, os dividendos são disponibilizados uma vez a cada trimestre, semestre ou até mesmo por ano. Dessa forma, o período de liberação dependerá dos critérios da empresa. Mas esse não deve ser o único item a ser avaliado ao determinar as melhores e maiores pagadoras de dividendos.

“A carteira de investimentos em dividendos olha muito para o longo prazo, porque você vai buscar ganhar com o lucro que a empresa distribui, e não necessariamente com a valorização dela” destaca o analista de investimentos da Rico, Thiago Salomão.

Portanto, ao decidir por investir em dividendos, é importante selecionar empresas consolidadas, que distribuem bons dividendos e permanecem com a aplicação por longo tempo. 

Veja a lista com as 30 maiores pagadoras de dividendos de 2019:

Empresa

Setor 

Média Div Yld (inic)

5 anos em %

Div Yield (inic)

12 meses Div + JCP

em %

Retorno 12 meses

com DIV e JCP

em %

Cyrela Realt (CYRE3)

Construção civil 5,27 11,04

113,29

BBSeguridade (BBSE3)

Previdência e seguros 7,57 10,14

36,61

Petrobras BR (BRDT3)

Petróleo gás e biocombustíveis 6,97 10,01

30,09

Sid Nacional (CSNA3)

Siderurgia e metalurgia

2,71 9,37

38,30

Itausa (ITSA4)

Intermediários financeiros 6,66 9,00

7,71

Qualicorp (QUAL3)

Serviços médico-hospitalares análises e diagnósticos 6,51 8,36

225,08

MRV (MRVE3)

Construção civil 5,94 7,94

52,12

Telef Brasil (VIVT4)

Telecomunicações 5,87 7,68

30,22

Smiles (SMLS3)

Diversos 6,79 7,55

-15,55

ItauUnibanco (ITUB4)

Intermediários financeiros 5,56 7,48

-3,46

Taesa (TAEE11)

Energia elétrica 10,93 7,34

30,23

BR Malls Par (BRML3)

Exploração de imóveis 2,23 7,05

37,41

Santander BR (SANB11)

Intermediários financeiros 7,43 5,89

-12,02

CCR SA (CCRO3)

Transporte 4,44 5,45

34,84

Bradesco (BBDC3)

Intermediários financeiros 4,47 5,38

-5,12

Cemig (CMIG4)

Energia elétrica 6,24 5,25

15,02

Bradesco (BBDC4)

Intermediários financeiros 4,80 5,25

-10,90

Bradespar (BRAP4)

Mineração 5,43 4,97

44,48

Cielo (CIEL3)

Serviços financeiros diversos 3,62 4,77

-29,99

Klabin S/A (KLBN11)

Madeira e papel 3,90 4,71

20,38

Fleury (FLRY3)

Serviços médico-hospitalares análises e diagnósticos 5,52 4,71

53,39

Brasil (BBAS3)

Intermediários financeiros 5,30 4,66

-5,67

Btgp Banco (BPAC11)

Intermediários financeiros 5,87 3,93

131,79

Engie Brasil (EGIE3)

Energia elétrica 6,47 3,76

21,40

Eletrobras (ELET6)

Energia elétrica 2,40 3,59

1,96

B3 (B3SA3)

Serviços financeiros diversos 4,39 3,58

64,63

Hypera (HYPE3)

Comércio e distribuição 2,87 3,57

29,73

Petrobras (PETR4)

Petróleo gás e biocombustíveis 1,63 3,50

13,01

Tim Part S/A (TIMP3)

Telecomunicações 2,39 3,44

48,59

Irbbrasil Re (IRBR3)

Previdência e seguros 4,50 3,26

24,36

Informações com base em estudo de analistas da Rico (19/02/2020).

Continue lendo

Ações, Units e ETF's

PicPay se prepara para oferta inicial de ações na Bolsa

Fintech teve crescimento impulsionado em 2020, em razão da pandemia de Covid-19, que estimulou o uso de serviços financeiros digitais.

Publicado

em

PicPay

Diante do contexto competitivo no setor bancário, o PicPay aquece para ingressar na lista de companhias de tecnologia que devem abrir capital em 2021. A carteira digital foi difundida no Brasil por possibilitar transferências instantâneas entre contas de bancos distintos e vem constantemente atualizando as suas soluções financeiras.

Segundo o jornal O Estado de São Paulo, a fintech ainda não formalizou o contrato com o sindicato responsável pela estruturação de sua oferta. Entretanto, a empresa já deu início aos acordos.

O PicPay expandiu aceleradamente em 2020, principalmente depois do começo do isolamento social, imposto pela pandemia de Covid-19. Como consequência, foram impulsionados os serviços financeiros digitais. 

A carteira digital foi fundada em 2012 por um trio de empreendedores de Vitória, no Espírito Santo. Em 2019, a companhia foi comprada pelo Banco Original, da J&F, que também gere a JBS.

Continue lendo

MAIS ACESSADAS