Conecte-se conosco

Bancos

Cooperativas de crédito geram economia de quase R$9 bi aos cooperados

O levantamento é do Sicoob

Publicado

em

Margem do crédito consignado pode aumentar para 45%, conforme projeto

Cooperativas de crédito costumam ser a opção para quem quer sair dos bancos tradicionais e migrar para um sistema que, ao invés de cobrar tarifa ou cesta de serviços, oferece a cota capital. Trata-se de um recurso onde o dinheiro volta ao cooperado na distribuição de resultados.

Outro ponto bastante comentado é que elas geram economia de R$ 8,3 bilhões, conforme levantamento do Sicoob.

De acordo com o Sistema, esse valor é com base nas taxas de transações dos bancos tradicionais. O cálculo é realizado com base na diferença entre os preços médios das cooperativas de crédito, que integram o sistema, e demais instituições do sistema financeiro, com dados do Banco Central.

Também aponta a diferença em juros e tarifas de modalidades como cheque especial e rotativo do cartão de crédito. Conforme o estudo, ao somar as diferenças de juros e tarifas, com a distribuição de resultados, em média, cada cliente das cooperativas de crédito economizou R$ 3.100.

Sicoob

Cooperativas

Diretor de coordenação sistêmica e relações institucionais do Sicoob, Ênio Meinen disse que as cooperativas conseguem cobrar valores mais acessíveis pelo próprio modelo de negócio, que não visa lucro. Não faria sentido ter ganhos em cima dos cooperados, que são ao mesmo tempo sócios da instituição, para no fim do ano distribuir tudo de volta.

Já as tarifas de manutenção de conta para pessoas jurídicas no sistema são em média de R$ 60 mensais. Já em outros bancos, essa taxa gira em torno de R$ 155. Somente em 2020, os cooperados deixaram de gastar R$ 965,5 milhões.

Segundo ele, nas cooperativas de crédito, o cliente tem acesso aos principais serviços disponíveis nos bancos, tais como conta corrente, aplicações financeiras, cartão de crédito e empréstimos.

Meinen afirma ainda que “nossos canais digitais são similares aos dos bancos tradicionais e das fintechs. Depois da pandemia, 90% das operações dos nossos cooperados foram feitas por meio dessas plataformas”.

Continue lendo
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.