Conecte-se conosco

Ações, Units e ETF's

Covid-19 contamina Bolsa e Ibovespa cai para os 95 mil pontos

Em Nova York, o índice Dow Jones declinou 3,43%, aos 26.519 pontos e o Nasdaq recuou 3,73%, aos 11.004 pontos.

Publicado

em

A informação de que a França pode adotar um novo lockdown acendeu a luz vermelha para os investidores que passaram a analisar mais seriamente a possibilidade de uma nova contração na economia da Europa, podendo se estender para os Estados Unidos. Com isso, o Ibovespa despencou ladeia abaixo e encerrou o dia com queda de 4,22% aos 95.399 pontos, segunda menor pontuação no mês desde o dia 7, quando o índice bateu a mínima de 94.881  pontos.  Em outubro, o índice ainda acumula alta de 0,80% O giro financeiro somou R$ 27,8 bilhões.

Hoje, o governo francês anunciou que deve adotar o lockdown por algumas semanas, para tentar interromper o avanço da doença. Na Alemanha, a chanceler Angela Merkel, informou que cogita o fechamento de bares e restaurantes. Outros países da Europa já vêm adotando fortes restrições há algumas semanas.

Para contribuir com o nervosismo, os Estados Unidos informaram que o número de casos no país superou os 70 mil casos por dia. Além disso, a proximidade da eleição no país dificulta qualquer acordo entre democratas e republicamos para o pacote de ajuda ao país. O presidente Donald Trump,  afirmou que o pacote fiscal não será aprovado antes das eleições. Adiciona-se a isso, pesquisas que mostram que o democrata Joe Biden tem grandes chances de derrotar Trump nas urnas.

As blue chips Vale, Petrobras e bancos tiveram forte queda. A mineradora e a petroleira, que divulgam resultados logo mais caíram  3,34% e 4,93%, respectivamente. Entre as instituições financeiras Itaú perdeu 4,06%, Bradesco declinou 4,88%, Banco do Brasil recuou 4,51% e Santander, que divulgou resultado ontem, perdeu 3%.

O grupo Raia Drogasil , que tem entre seus ativos as redes de farmácias Droga Raia e Drogasil, informou lucro líquido de R$ 174,7 milhões no terceiro trimestre de 2020, um crescimento de 19,5% em relação ao mesmo período do ano anterior. Em termos ajustados, o crescimento do lucro da companhia foi de 13,4%, para R$ 172,9 milhões no período. As ações despencaram 6,78%.

A Localiza informou lucro líquido de R$ 325,5 milhões no terceiro trimestre, representando um aumento de 59% ante o mesmo período de 2019. A receita líquida aumentou 18,8%, para R$ 3,06 bilhões. O papel terminou com perda de 2,98%.

Logo mais, o Comitê de Política Monetária (Copom) divulga sua decisão sobre a taxa Selic. A maioria do mercado aposta em manutenção da taxa básica em 2% ao ano. No entanto, é o comunicado que concentrará a atenção dos investidores. Com o avanço da inflação, muitos analistas acreditam que a autoridade monetária pode mudar o tom do documento. A conferir.

Em Nova York, o índice Dow Jones declinou 3,43%, aos 26.519 pontos e o Nasdaq recuou 3,73%, aos 11.004 pontos.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ações, Units e ETF's

Hotmart e Ebanx preparam IPOs na Nasdaq

Empresas brasileiras registram forte crescimento e presença internacional

Publicado

em

Crédito: Folha UOL

Motivados pela temporada efervescente de lançamento de ações nos Estados Unidos, as brasileiras Hotmart e Ebanx também planejam realizar as respectivas ofertas iniciais (IPOs) na maior bolsa de tecnologia do mundo, a norte-americana Nasdaq.

Renome mundial – Desde o início do ano, a Hotmart prepara sua IPO, que deverá levantar US$ 400 milhões, sob a supervisão dos pesos-pesados JP Morgan, Morgan Stanley e Goldman Sachs, além de ser conduzida por investidores de renome mundial, como a gestora General Atlantic e o fundo soberano de Cingapura GIC.

Aporte da Advent – Já o Ebanx, que deverá fazer sua IPO somente no início do ano que vem (ainda sem estimativa de valores para a operação), recebeu, em junho último, aporte de US$ 430 milhões do fundo de private equity Advent.

Valor similar – Celebrizada por responder pelos pagamentos da empresa de streamig Spotify, a Ebanx poderá captar um valor similar ao da Hotmart. Só em 2020, a paranaense Ebanx, presente em 15 países da América Latina, processou 145 milhões de transações.

Forte crescimento – A posição de destaque de ambas as companhias brasileiras decorre do ‘forte crescimento obtido nos últimos anos, inclusive com operações importantes fora do Brasil’.

Vez do Nubank – Avaliado em torno de US$ 50 bilhões, o Nubank também está perto de listar suas ações, o que deve ocorrer entre outubro e novembro.

Nada a declarar – A Hotmart, por sua vez, informou, em nota, que a empresa “não tomou (ainda) nenhuma decisão, nem tem previsão de anunciar um movimento nesse sentido”.

Continue lendo

Ações, Units e ETF's

Ibovespa fecha em baixa de 2,07%, aos 111.439,37 pontos

O dólar encerrou em alta de 0,32%, a R$ 5,2821

Publicado

em

Crédito: Suno

O Ibovespa fechou a sessão desta sexta-feira (17) em baixa de 2,07%, aos 111.439,37 pontos, com volume de R$ 44,6 bilhões.

O dólar, por sua vez, encerrou em alta de 0,32%, R$ 5,2821, com exterior e Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), entre a mínima de R$ 5,2524 e máxima de R$ 5,3474.

Conforme o BTG Pactual, o Ibov foi influenciado pela baixa das commodities, bem como pelo desempenho negativo das bolsas lá fora e aumento de imposto no Brasil.

Em Nova York, o Dow Jones caiu 0,48%, aos 34.582,90 pontos, e o S&P 500 recuou 0,92%, aos 4.432,74. O Nasdaq caiu 0,91%, aos 15.043,97.

Segundo analistas, os mercados europeus seguiram NY de perto e, diante do mau humor de Wall Street, aprofundaram baixas.

Já na Europa, o Stoxx caiu 0,96%, aos 461.48). Em Frankfurt, a bolsa recuou 1,05%. Em Londres, caiu 0,93%. Em Paris, recuou ,79%. Madri subiu 0,40%.

Ibovespa: entre altas e baixas

Confira as 3 maiores altas do Ibovespa de hoje, segundo a Eleven Financial:
📈#VIVT3 +1,45% (R$ 42,11)
📈#MGLU3 +1,22% (R$ 16,57)
📈#NTCO3 +1,14% (R$ 48,10)

Confira as 3 maiores baixas do Ibovespa de hoje:
📉#BIDI11 -7,02% (R$ 60,01)
📉#GGBR4 -6,82% (R$ 24,60)
📉#GOAU4 -5,59% (R$ 11,48)

Crédito: Suno Research

Coronavírus

Levantamento do consórcio de imprensa mostra que o Brasil registrou na quinta-feira (16) 637 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, com o total de óbitos chegando a 589.277 desde o início da pandemia.

Assim, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias ficou em 582 –acima da marca de 500 pelo terceiro dia seguido. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -7% e aponta tendência de estabilidade pelo segundo dia, após 22 dias seguidos em queda.

Também disse que o número de casos registrados em 24 horas, de 35.128, é o maior em quase um mês, mas isso se deve à inserção de uma só vez de mais de 22 mil casos represados por parte de São Paulo, após ajuste no sistema de notificações.

Continue lendo

Ações, Units e ETF's

CSN (CSNA3): BB Investimentos recomenda Compra com preço-alvo em R$46

Resultados excelentes em cenário favorável

Publicado

em

CSN (CSNA3): BB Investimentos recomenda Compra com preço-alvo em R$46

O BB Investimentos analisou o ativo CSN (CSNA3) em seu portfólio e optou por manter a recomendação de Compra com preço-alvo em R$ 46 por ação.

De acordo com a instituição financeira, o ano de 2021 tem sido bastante positivo para a companhia, que no primeiro semestre apresentou resultados excelentes, aproveitando-se do cenário favorável para os segmentos de siderurgia, mineração e cimentos, com recordes em diversos indicadores.

Também disse que a forte geração de caixa operacional e sua disciplina financeira e de capital levaram a uma redução substancial do seu nível de alavancagem financeira, atingindo antecipadamente suas metas previstas para o final de 2021, que considerávamos ambiciosas quando de sua divulgação.

CSN (CSNA3): BBB Investimentos recomenda Compra com preço-alvo em R$46

CSN

Ainda de acordo com o BB, a empresa deu importantes passos em direção às estratégias de crescimento e geração de valor estabelecidas pelo grupo, tais como a independência dos negócios – com o IPO da CSN Mineração – e a forte expansão no segmento de cimento – com a aquisição da Elizabeth Cimentos e a recém-anunciada aquisição da LafargeHolcim, que robusteceram a tese de investimento para a abertura de capital da CSN Cimentos.

“Apesar do cenário de cautela para mineração, com as fortes quedas de preços de minério de ferro, sobretudo pela desaceleração do ritmo da atividade siderúrgica na China, entendemos que as perspectivas são de bons resultados para a CSN nos próximos trimestres, sustentados pelos preços de aço elevados no mercado interno, bem como demanda aquecida no setor de cimento e margens ainda atrativas na mineração, em função dos baixos custos de produção da empresa frente aos pares internacionais”, destacou.

Veja CSNA3 na Bolsa:

CSN (CSNA3): BBB Investimentos recomenda Compra com preço-alvo em R$46

Continue lendo

MAIS ACESSADAS