Conecte-se conosco

Criptomoedas

Exchange chinesa Bibox, 20ª maior corretora de criptomoedas, fecha com ImobCoin

Exchange chinesa Bibox, 20ª maior corretora de criptomoedas, fecha com ImobCoin

Publicado

em

Bitcoin

Lançada em agosto, a ImobCoin, primeira criptomoeda do mercado imobiliário brasileiro, será listada na Exchange chinesa Bibox, 20ª maior corretora de criptoativos do mundo e uma das mais conceituadas do mercado chinês.

A inserção garante ainda mais segurança para as transações, que são armazenadas na blockchain da rede Ethereum, uma rede de computadores descentralizada que pode gravar transações e produzir contratos inteligentes.

A parceria reforça uma tendência dos últimos anos, a de que a China está atenta ao crescimento do mercado imobiliário brasileiro.

Criptomoedas

Crescimento acima de 20%

Levantamento realizado pela BRAIN Inteligência Corporativa junto à Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) mostra que houve um crescimento acima de 20% na compra de imóveis entre junho e julho deste ano.

Por ser voltado ao mercado imobiliário, a ImobCoin pode ser usada para depósito caução de aluguel, comprar ou alugar um imóvel, distribuir ROI entre franquias imobiliárias e comprar e vender criptoproperties, além de viabilizar e dar suporte a empreendedores que querem transformar imóveis em ativos digitais.

Para resumir o funcionamento do ecossistema da ImobCoin, uma imobiliária que aluga ou vende um imóvel por meio das criptomoedas fica com todo o valor do cashback, que seria parte do dinheiro da compra recebido de volta, enquanto o inquilino teria o desconto do valor que receberia de volta no pagamento. Já o proprietário ganha se optar em ser o detentor da moeda comercializada.

“O objetivo principal da ImobCoin é desintermediar e aumentar a eficiência dos processos de compra e venda de imóveis. Com a entrada na Bibox, uma renomada exchange, garantimos ainda mais segurança para os investidores”, explica Fernando Lopes, advogado curitibano que também é blockchain/IOT developer e assessorou o processo de criação da ImobCoin.

Ciclo de lançamento

A cada ciclo de lançamento, 1.000 moedas estão disponíveis, sempre respeitando a última cotação.

Ao todo, serão 1.000 novos ciclos. No mês de setembro, a ImobCoin oferece um bônus de 10% em cashback, por exemplo, comprando 1 unidade (R$ 100), o investidor recebe R$ 10 de volta.

Além disso, a empresa garante ordens de recompra com desconto, em caso de liquidação, para sempre manter o valor da moeda.

Com a regulamentação do Pix, onde qualquer transferência pode ser estornada a qualquer momento, a ImobCoin se torna a maneira mais segura de adquirir imóveis, já que as transações são realizadas pela blockchain e não podem ser revertidas.

Publicidade
Comentários

Criptomoedas

Visa e BlockFi anunciam cartão de crédito com recompensas em Bitcoin

Ideia inovadora da startup BlockFi, em parceria com Visa, garante inclusão da criptomoeda no mercado.

Publicado

em

Bitcoin

A startup BlockFi, em parceria com a Visa, lançam um cartão de crédito que trabalha com recompensas em bitcoin (BTC). A ideia surgiu como uma novidade, visto que a BlockFi é uma empresa especializada em empréstimos garantidos por criptomoedas e contas poupanças. 

O anúncio foi feito nesta terça-feira, 1, e o intuito é trazer mais um tipo de recompensa, não só as passagens aéreas e cashback. Os clientes poderão receber até 1,5% de seus gastos de volta em bitcoins.

Os usuários que já são clientes BlockFi poderão ter acesso ao cadastro do cartão com antecedência, embora ele esteja disponível para todas as pessoas no início de 2021. Segundo o CEO e fundador da BlockFi, Zac Prince, a empresa está “entusiasmada em adicionar cartões de crédito ao nosso pacote de produtos e expandir a acessibilidade do Bitcoin a um conjunto mais amplo de consumidores”.

A Visa é pioneira em adicionar as criptomoedas no mercado. No início do ano, a empresa lançou um cartão de débito com recompensas baseadas em criptomoedas. A ideia é positiva e garante que os bitcoins cresçam no mercado de pagamento. Existem mais de 25 carteiras de criptomoedas conectadas aos sistemas da Visa.

Continue lendo

Criptomoedas

S&P anuncia lançamento de índices de criptomoeda em 2021

Iniciativa pode ajudar as criptomoedas a se tornarem um investimento mais convencional.

Publicado

em

A S&P Dow Jones Indices, braço da fornecedora de dados financeiros S&P Global, informou nesta quinta-feira que lançará índices de criptomoedas em 2021, em um movimento que a coloca na lista de grandes empresas do setor financeiro que apostam nesse tipo de ativo.

Sob a marca S&P DJI, os produtos usarão dados da empresa de moedas virtuais Lukka, de Nova York, em mais de 550 das criptomoedas mais populares, segundo informações daS&P e da Lukka em comunicado conjunto.

As empresa afirmaram ainda que os clientes da S&P poderão atuar junto ao provedor do índice para desenvolver índices personalizados e outras ferramentas de benchmarking em criptomoedas.

“Com ativos digitais como criptomoedas se tornando rapidamente uma classe de ativos emergente, é o momento certo para índices independentes, confiáveis e fáceis de usar”, disse o chefe global de inovação e estratégia Peter Roffman, da S&P Dow Jones Indices.

A iniciativa uma das fornecedoras de índices mais famosas do mundo pode apoiar as criptomoedas em seu caminho para se tornarem um investimento mais convencional.

Enquanto isso, o bitcoin segue tocando patamares recordes em relação ao dólar, apoiada no aumento da demanda de investidores que veem a moeda virtual como uma proteção contra a inflação e um ativo de segurança.

Nesta quinta-feira, o bitcoin era vendido a 19.345 dólares, com alta de aproximadamente 170% em 2020.

Continue lendo

Criptomoedas

PayPal e Square compram 100% dos bitcoins recém criados

Análise do Pantera Capital chegou à conclusão que o aumento da moeda tem a ver com a escassez provocada pela alta aquisição das empresas.

Publicado

em

Bitcoin

Durante o ano de 2020, o preço dos bitcoins tiveram uma alta considerável a partir de outubro, a explicação do valor elevado é a entrada do PayPal e da Square no mercado de criptoativos. Segundo o relatório do grupo de investimentos Pantera Capital, 70% dos bitcoins minerados nos últimos 30 dias foram para as carteiras do PayPal. 

Juntamente com a Square, as duas empresas adquiriram todos os bitcoins recém criados. “O PayPal e o Cash App (Square) já estão comprando mais de 100% de todos os bitcoins recém-emitidos”, segundo o relatório. 

A tese principal do Pantera diz sobre a escassez da moeda, devido às menores recompensas da mineração causadas pelo halving (quando a criptomoeda tem quantidade finita e a taxa de emissão cai pela metade a cada 4 anos) e, com isso, a demanda aumenta naturalmente. Os especialistas acreditam que a alta no bitcoin vai além da aquisição do Paypal e da Square, as moedas digitais do Banco Central podem ser um dos fatores fundamentais pelo aumento de interesse dos criptoativos no mercado. 

“Quando o PayPal entrou, o volume começou a explodir. O aumento no volume de negociação da itBit implica que dentro de quatro semanas de lançamento, o PayPal já está comprando quase 70% da nova oferta de bitcoins”, concluiu o Pantera Capital. As previsões indicam que as moedas podem chegar ao valor de US$ 318 mil em dezembro de 2021.

Continue lendo

MAIS ACESSADAS