Conecte-se conosco

Finanças

FGTS e PIS/Pasep: Saiba se estes benefícios podem ser sacados por herdeiros

Pra sair do vermelho

Publicado

em

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e o PIS/Pasep são recursos preciosos para o cidadão em qualquer tempo, mas principalmente quando o cinto aperta.

Leia também: Como consultar o calendário da 5ª, 6ª e 7ª parcela do auxílio emergencial

Por conta disso muitos familiares têm dúvidas se estes podem ser sacados por herdeiros, o que de acordo com a legislação acerca dos benefícios, é sim possível.

Entretanto, há prioridades que devem ser conhecidas por quem está necessitando do recurso, sendo que a primeira determina que o herdeiro esteja habilitado na Previdência Social para requisitar os valores não sacados em vida pelo trabalhador segurado do INSS que morreu.

Vale lembrar que os dependentes são aqueles que têm vínculo familiar ou econômico com o segurado e passam a receber os benefícios ou resíduos após a morte do titular.

PIS/PASEP

FGTS e PIS/Pasep

Ainda de acordo com a legislação vigente, para comprovar que é um dependente e herdeiro e, portanto, tem direito a sacar FGTS e/ou PIS/Pasep, é preciso apresentar documentos que atestem parentesco ou dependência econômica. Três categorias são enquadradas, sendo:

Cônjuge; companheiro(a) em união estável; filho não emancipado menor de 21 anos ou com deficiência;

Pais;

Irmão não emancipado menor de 21 anos ou com deficiência.

Caso não haja nenhum dependente habilitado na Previdência, outra pessoa, no caso um sucessor do titular falecido, pode ter acesso aos benefícios. Para isso, no entanto, é preciso pedir à Justiça um alvará que autorize movimentar o dinheiro, seja esse do FGTS ou do PIS/Pasep.

O saque

Já para ter acesso ao dinheiro, o dependente precisa ir a uma agência da Caixa Econômica Federal e apresentar os documentos necessários para a comprovação:

Número do PIS/Pasep/NIS do falecido;

Carteira de trabalho do falecido;

Identidade do herdeiro;

Certidão de nascimento ou RG e CPF para dependentes menores de idade; e

Declaração de dependentes habilitados.

Cumpridos esses passos na agência, o saldo poderá ser consultado por lá ou também pela internet, no site da Caixa e por meio do aplicativo FGTS.

Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Finanças

Revisão do FGTS pode ser solicitada por quem recolheu entre 1999 e 2021

Medida pode custar R$ 300 bilhões aos cofres públicos e atender milhões de trabalhadores formais brasileiros.

Publicado

em

A revisão do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é assunto de muito destaque devido ao impacto que pode trazer na vida dos trabalhadores. Outros motivos são as incertezas relacionadas ao tema, que deve ser votado em breve pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Muitos especialistas acreditam hoje que a medida pode custar cerca de R$ 300 bilhões aos cofres públicos. O julgamento sobre o tema ainda não foi remarcado, mas a revisão continua repercutindo entre os trabalhadores.

Veja também: Saque emergencial do FGTS tem chances de ser autorizado em 2021?

A discussão é uma demanda antiga pela mudança no índice utilizado para corrigir o saldo do FGTS. O objetivo é substituir a Taxa Referencial (TR), atualmente zerada, por um índice capaz de cobrir a inflação, como IPCA ou o INPC.

Essa redução na TR vem ocorrendo desde 1999, por isso esse é o ano considerado por muitos como ano de início da revisão. Muito também se fala em limitar a correção ao ano de 2013, mas não há justificativa para esse limite.

Quando considerado que essa taxa não acompanha a verdadeira inflação no país até hoje, não há motivo para estabelecer um limite para a revisão do FGTS. Sem esse meio termo, o saldo das contas dos trabalhadores que atuaram entre 1999 e os dias atuais precisaria ser corrigido.

Como fazer o cálculo

Com diferentes opiniões tornando o assunto ainda mais complicado, uma tecnologia surge para facilitar os cálculos. Com base nos extratos do FGTS, o trabalhador consegue saber quanto receberia de revisão de 1999 até a data atual. Para fazer esse cálculo, acesse o site do LOIT.

Já quem é advogado previdenciário, contador ou outro profissional da área, pode auxiliar o cliente usando a ferramenta ELI FGTS.

Continue lendo

Finanças

É MEI? Conheça 8 opções de crédito para alavancar o negócio

Crescimento na categoria de microempreendedores gerou um aumento no número de ofertas de crédito para quem deseja expandir o negócio.

Publicado

em

A pandemia da Covid-19 gerou mudanças no cenário empregatício brasileiro. O mercado de trabalhado com cada vez menos oportunidades de contratação fez com que muitas pessoas tomassem a iniciativa de abrir um pequeno negócio, garantindo as rédeas da vida financeira.

De acordo com dados da Target Data, empresa de Big Data e Analytics, foram abertas 774 mil micro e pequenas empresas no país entre a abril e junho deste ano. Uma alta de 68,1% na comparação com o mesmo período de 2020.

Leia mais: Microcrédito com juro zero poderá ser obtido por meio de aplicativo

O aumento na categoria de microempreendedores individuais (MEI) também impulsionou o aumento no número de ofertas de crédito para quem deseja expandir e ampliar o negócio.

Confira a seguir 8 opções de crédito para quem é MEI:

  1. Pronampe: trata-se do Programa Nacional de Apoio às Empresas de Pequeno Porte do governo federal. O valor dos empréstimos pode chegar a até 30% da receita bruta anual da empresa registrada em 2019. Os acordos podem ser quitados em até 48 meses, com taxas de juros que equivalem à taxa Selic (hoje a 4,25%), mais o percentual de 6% ao ano.
  2. Banco do Povo Paulista: sob comando do governo de São Paulo, a instituição libera até R$ 21 mil de crédito, com taxa de juros de 0,35% ao mês. Já o prazo de pagamento é de 36 meses mais três meses de carência.
  3. Caixa Econômica Federal: a parceria entre a estatal e o Sebrae disponibiliza até R$ 12,5 mil de crédito para o MEI. Pela modalidade, o prazo de pagamento é de até 24 meses, mais 9 meses de carência. Sobre os juros, a porcentagem é de 1,59% ao mês.
  4. BNDES: libera até R$ 20 mil, com valores que podem mudar de acordo com o a região. Além do empréstimo para MEI, o Banco Nacional do Desenvolvimento também oferece um cartão de crédito exclusivo para quem é dono de um pequeno negócio.
  5. Itaú: conta com uma opção de microcrédito para empresas com renda ou receita bruta de até R$ 360 mil ao ano. Neste caso o valor do empréstimo tem limite de R$ 20,3 mil, com possibilidade de pagamento em até 15 vezes e taxas de 3,79% ao mês. Acesse o site do banco para saber quais regiões são atendidas pela linha de crédito.
  6. Santander: por meio do microcrédito Prospera, o dono de um pequeno negócio consegue um empréstimo facilitado e com diversos benefícios. Além do valor, que deve ser negociado de forma personalizada, o banco ainda oferece ao microempreendedor orientação financeira para gestão do negócio.
  7. Bradesco: o Microcrédito Produtivo Orientado do banco tem valor de até R$ 21 mil. Tudo vai depender da capacidade do empreendimento e da Taxa de Abertura de Crédito (TAC), que vem inclusa no valor da operação.
  8. Banco do Brasil: disponibiliza uma linha de microcrédito com valor e prazo de pagamento definido com base na capacidade de pagamento do empreendedor. O prazo médio para pagar varia entre 5 e 18 parcelas.

Continue lendo

Finanças

Nubank anuncia aumento no limite do cartão de 35 milhões de clientes

Banco digital vai elevar o limite do cartão de crédito de grande parte dos seus mais de 40 milhões de clientes.

Publicado

em

Anitta e Nubank

O Nubank prometeu aumentar o limite do cartão de crédito de grande parte dos seus mais de 40 milhões de clientes. Em um anúncio feito na última quinta-feira, 29, o banco digital garantiu que 35 milhões de usuários terão o limite de crédito elevado nos próximos doze meses.

Serão cerca de R$ 26 bilhões em crédito injetados até julho de 2022. Até o fim de 2021, a expectativa é de que 10 milhões de clientes sejam beneficiados pelo aumento em massa, que tem início previsto para agosto.

Leia mais: Nubank Ultravioleta: tire suas dúvidas sobre anuidade do cartão de crédito

A liberação vem sendo analisada há dois anos pela fintech, que buscava um novo modelo de concessão de crédito. O Nubank afirmou que a pesquisa para chegar a esse modelo foi realizada por “diferentes times de ciência de dados, de engenharia e de analistas de negócios”.

“Temos agora uma capacidade ainda mais precisa de projetar os gastos dos consumidores”, explicou o diretor de ciência de dados do banco, Jacob Sisk.

Anitta entra no jogo

A recente entrada da cantora Anitta no Conselho Administrativo da empresa gerou muito burburinho no mercado, mas também mexeu com os clientes. Em suas redes sociais, a artista recebeu mensagens de centenas usuários que querem mais limite no cartão de crédito.

“Percebi logo de cara que esse era um pedido dos clientes e eu levei o assunto para discussão na reunião de Conselho. Fiquei muito feliz em saber que havia um grande projeto nesse sentido”, disse Anitta.

Segundo ela, ter mais limite significa ter mais poder de escolha, mas é importante manter a fatura em dia.

Continue lendo

MAIS ACESSADAS