Conecte-se conosco

Mercado de Trabalho

Ipiranga abre vagas para trainee com remuneração de R$ 7 mil

Além do salário, os candidatos selecionados contam com vários benefícios, como plano de saúde e envolvimento em projetos de inovação.

Publicado

em

Ipiranga

A Ipiranga está com inscrições abertas para seu programa de trainee. Os selecionados vão ter remuneração de R$ 7 mil. A iniciativa tem duração de um ano e vai ser realizada no Rio de Janeiro, embora o processo seletivo seja completamente online. A empresa busca candidatos formados entre dezembro de 2016 a dezembro de 2020, independentemente da graduação. 

O perfil buscado pela empresa é de trainees motivados por desafios, com capacidade de adaptação, proatividade, interesse por inovações e aprendizado contínuo. O candidato precisa ter disponibilidade para residir em diferentes cidades. Por conta disso, o inglês intermediário também é um requisito. 

Durante o programa, os trainees vão participar de ações de desenvolvimento, que incluem ecossistema de aprendizagem, mentoria com executivos, atuação transversal, envolvimento em projetos de inovação, entre outros. Além dessas vantagens, os selecionados vão contar com os seguintes benefícios:

  • Participação nos resultados;
  • Previdência privada;
  • Horário flexível;
  • Home office parcial; 
  • Plano de saúde.

Quem for admitido no processo vai ingressar na empresa em janeiro do ano que vem. Os setores destinados para atuação são: área comercial, planejamento e finanças, tecnologia, inovação e novos negócios, sustentabilidade e operação. 

A inscrição pode ser feita no site do programa. O prazo máximo para tal é 14 de outubro. 

Publicidade
Comentários

Mercado de Trabalho

Seguro-desemprego: quem tem direito e como dar entrada?

Programa social do governo federal é pago em cinco parcelas seguidas ou intercaladas.

Publicado

em

Seguro Desemprego

O seguro-desemprego é um programa do governo federal cujo intuito é assegurar a assistência financeira do trabalhador formal dispensado sem justa causa. O benefício é pago em até cinco parcelas seguidas ou intercaladas, com valor proporcional ao tempo de trabalho. 

Sendo assim, cada parcela é calculada em cima da média salarial dos três meses anteriores à demissão. Porém, para certas classes, como empregados domésticos e pescadores artesanais, é fixado o valor de um salário mínimo.

Quem tem direito ao seguro-desemprego?

Recebem o seguro-desemprego os trabalhadores com carteira assinada, demitidos sem justa causa e que tenham recebido salário por no mínimo um ano nos últimos 18 meses anteriores à solicitação. 

Caso seja a segunda solicitação, o trabalhador necessita ter recebido por nove meses durante os últimos 12 meses. E depois da terceira solicitação, deve ter o registro de seis meses de trabalho formal seguidos antes da demissão. 

Além disso, para fazer jus ao seguro-desemprego, o trabalhador não pode dispor de outra fonte de renda que permita o sustento da família, como é o caso dos MEIs. Também é restrito o recebimento de outro auxílio do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), sendo o exemplo do Benefício de Prestação Continuada (BPC). Mas, há algumas exceções, como abono de permanência em serviço, auxílio-acidente e auxílio-suplementar.

Como dar entrada no seguro-desemprego?

A solicitação do seguro-desemprego deve ser feita a partir do sétimo dia após a demissão até o prazo limite de 120 dias.

Existem vários canais para dar entrada no programa social, sendo de forma digital ou presencial. São eles, o portal Emprega Brasil, aplicativo Carteira de Trabalho Digital e unidades das Superintendências Regionais do Trabalho e Emprego (SRTE), que exigem o agendamento pelo contato 158.

Continue lendo

Imposto de Renda - IRPF

MEI será obrigado a declarar o Imposto de Renda 2021?

Microempreendedores individuais estão isentos de pagamento do IRPJ, mas algumas condições os tributam no IRPF.

Publicado

em

Imposto de Renda - Malha Fina

O Imposto de Renda (IR) é um tributo a ser pago pelos contribuintes para o governo federal. O seu valor dependerá dos rendimentos declarados, sendo que quanto maior a renda proporcional é o imposto devido, assim como também é com o oposto. E isso independe do tipo de atuação, sejam autônomos, empresários e profissionais formais etc.

Existem dois tipos de IR, o Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) e o Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ). O IRPF incide sobre o rendimento de pessoas que apresentem renda igual ou superior a R$ 28.559,70, de acordo com a tabela de 2020 (a tabela de 2021 ainda foi divulgada). No caso do IRPJ, os valores são sobre a renda das empresas e organizações. 

Porém, a Lei Complementar n° 128, de 19 de dezembro de 2008, estabeleceu que o MEI está isento de tributos federais. Entre eles, estão excluídos o Imposto sobre os Produtos Industrializados (IPI), Programa de Integração Social (PIS), Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e o IRPJ. Assim, o MEI fica isento da Declaração do IRPJ não do IRPF. Isso quer dizer que caso o empreendedor tenha rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 durante o calendário-base, também de acordo com a tabela de 2020, ele precisa enviar a declaração. 

Além dessa condição, o MEI tem obrigatoriedade de declarar o IRPF nos seguintes casos:

  • Tenha posse ou propriedade de bens ou direitos com valor total superior a R$ 300 mil;
  • Possua receita bruta de atividade rural igual ou acima de R$ 142.798,58;
  • Seja residente no Brasil a partir de qualquer mês do ano e que tenha permanecido até 31 de dezembro de 2020;
  • Detenha rendimentos tributados direto na fonte ou isentos superiores a R$ 40 mil;
  • Dispôs de recebimento de capital ou operações em mercados futuros, alienação de bens, na Bolsa de Valores, entre outros, em qualquer período do ano. 

Continue lendo

MEI

Prazo para declaração anual de rendimentos do MEI já começou; confira o passo a passo

Documento com valor do fechamento bruto do microempreendedor deverá ser enviado até 31 de maio de 2021.

Publicado

em

Finanças MEI

O microempreendedor individual (MEI) deve fazer a sua declaração de faturamento  todos os anos. Nela, é necessário informar o valor do fechamento bruto, que indica o percentual das vendas de mercadorias e prestação de serviços ao longo do ano passado. 

O prazo limite para entrega é 31 de maio de 2021. Todos os MEIs formalizados até 31 de dezembro de 2020, ainda que sem faturamento ao decorrer do ano, precisam enviar o documento. 

“Caso o MEI não faça a declaração no período regular, ficará sujeito a uma multa por atraso no envio da declaração, que será expedida pela Receita Federal“, alerta a analista do Sebrae Rio, Juliana Lohmann.

“O MEI deverá informar o número do CNPJ, sinalizar o tipo da declaração – se é original ou retificadora, ou mesmo se é uma situação especial – informar o valor da receita bruta total no ano calendário 2020 e se possuiu empregados durante o período abrangido na declaração”, diz Lohmann.

Confira o passo a passo para envio da Declaração Anual do MEI:

  1. Entre no Portal do Empreendedor e vá até a opção “Já sou MEI”;
  2. Selecione a opção “Declaração Anual (DASN)”, preencha com o seu Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ) e clique em “Continuar”;
  3. Em “Original”, opte pelo ano de declaração e siga para “Continuar”;
  4. Complete com os valores de receita bruta acumulada durante o ano e vá até “Continuar”;
  5. Na sequência, aparecerá um resumo da declaração. Confira as informações e selecione “Transmitir”;
  6. Feito isso, os dados serão salvos e um número do recibo é criado.

Continue lendo

MAIS ACESSADAS