Conecte-se conosco

Automobilística

Motorista pode exigir teste de combustível na hora do abastecimento

Esta é uma das formas previstas em lei que permite evitar uma série de prejuízos e dores de cabeça. Confira os detalhes abaixo.

Publicado

em

Combustível

Carro falhando, estouros no escapamento, motor fraco e mais idas ao mecânico. Todos estes são sinais de que o combustível do seu carro pode estar adulterado.

Por isso, quando desconfiar da qualidade do combustível, peça um teste para o estabelecimento. Por lei, os postos são obrigados a realizar testagem a fim de comprovar a qualidade da gasolina, etanol ou diesel.

Teste obrigatório

Instituto Combustível Legal (ICL) adverte para essa procedência e incentiva os consumidores a exigi-la. Saber qual é a qualidade do combustível é importante para a manutenção do veículo. Produtos de procedência duvidosa podem danificar o motor do automóvel ao longo do tempo.

Problemas comuns após abastecer com combustível de má qualidade:

  • Aumento do consumo;
  • Acúmulo de depósitos no motor;
  • Carbonização das velas de ignição e entre outros.

Em outras palavras, o peso no bolso pode ser bem grande por algo que poderia ser evitado. Afinal, o próprio motorista é a pessoa que mais tem a perder nessa história.

Testes

Para evitar esse tipo de situação, basta o consumidor solicitar a testagem com combustível. “Art. 8º O Revendedor Varejista fica obrigado a realizar as análises mencionadas no item 3 do Regulamento Técnico sempre que solicitado pelo consumidor”. Este é um trecho do que determina a lei.

Confira alguns testes que podem ser realizados:

1 – Aparência do combustível

O primeiro teste a ser solicitado é também o mais simples. Pelo aspecto do combustível é possível identificar sinais de impurezas e adulterações. Neste caso, o combustível precisa ser límpido, livre de material em suspensão e não apresentar turbidez. A coloração é incolor, mas algumas gasolinas podem ser amareladas.

2 – Teste de volume

Um golpe frequente é o da “bomba baixa”. A bomba de combustíveis injeta menos líquido do que o marcador digital apresenta. Para pedir o teste, basta o frentista encher um galão e ver se o volume bate com o mostrado na bomba.

“A diferença máxima permitida é de 100 ml para mais, ou 60 ml para menos, conforme Portaria Inmetro número 294, de 29/06/2018”.

Denúncias

Além destes testes existem vários outros mais técnicos que podem medir com precisão a qualidade do combustível. Denúncias podem ser feitas pelo telefone 0800-970-0267 ou pelo site da ANP. Também é aconselhável acionar aa Polícia Militar pelo 190.

Publicidade
Comentários

MAIS ACESSADAS