Conecte-se conosco

Commodities

União terá 1 bilhão de barris de petróleo do pré-sal até 2030, prevê PPSA

Tesouro poderia captar cerca de 75,3 bilhões de dólares só com a venda dessa produção.

Publicado

em

Ao longo da próxima década, o Brasil deve ter direito a um total acumulado de 1 bilhão de barris de petróleo advindos da participação da União em contratos de partilha da produção fechados para áreas no pré-sal, estimou nesta terça-feira o diretor-presidente da estatal Pré-Sal Petróleo SA (PPSA), Eduardo Gerk.

Segundo Gerk, o Tesouro poderia captar cerca de 75,3 bilhões de dólares somente com a venda dessa produção.

As perspectivas da PPSA foram divulgadas enquanto o ministro da Economia, Paulo Guedes, tem afirmado que o governo vai trabalhar para a privatização da companha. Mais cedo neste mês, Guedes disse que a PPSA será incluída em um grupo de companhias a serem desestatizadas até o final do ano que vem.

A PPSA tem como função promover a venda dos barris atribuídos à União nos contratos de partilha, sendo que atualmente a estatal tem sob sua gestão um total de 17 contratos.

Mas os cofres públicos devem ter ainda mais vantagens com esses barris, já que eles poderão levantar 204,4 bilhões de dólares entre 2021 e 2030 se considerada também a arrecadação com royalties e tributos.

O estudo divulgado pela PPSA durante evento online da agência EPBR também traz projeções sobre uma possível arrecadação de 72,4 bilhões de dólares com royalties e 56,7 bilhões de dólares em tributos, fora a receita de comercialização dos barris.

“O estudo demonstra que a produção média diária dos 17 contratos será crescente, com ascensão significativa a partir de 2025. Em 2030, deverá atingir 3,6 milhões de barris por dia”, explicou a PPSA.

Junto aos contratos de partilha, assinados por vencedores de leilões de áreas no polígono do pré-sal, a produção deve representar cerca de dois terços do total no Brasil em 2030, estima a PPSA, com base em dados da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) que estima a oferta total do Brasil em 5,26 milhões de barris por dia em 2030 .

Para que o desenvolvimento da produção nas áreas contratadas ocorra, serão necessários investimentos de 122,7 bilhões de dólares entre 2021 e 2030, com o pico dos aportes em 2028, completou a PPSA.

As projeções da estatal apontam que nesse período será necessária a contratação de 24 navios-plataforma (FPSOs), com perfuração de 387 poços.

Continue lendo
Publicidade
Comentários