Conecte-se conosco

Automobilística

Conversão para GNV pode economizar mais de 52% em combustível

Nunca foi tão vantajoso fazer a conversão para gás natural no veículo particular. Porém, alguns cuidados devem ser tomados; confira:

Publicado

em

O número de conversões de veículos para adicionar kit de gás praticamente dobrou no Brasil. Em agosto, por exemplo, foram 18.027 conversões realizadas contra 9.364 no mesmo mês de 2020. Os dados são da Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran). Essa procura por Gás Natural Veicular (GNV) não é à toa, ela está compensando cada vez mais.

Leia mais: Mudança na cobrança de ICMS sobre combustíveis é aprovada; Valor pode cair em 2022

As conversões aumentaram consideravelmente após o aumento vertiginoso dos combustíveis comuns. A gasolina chegou a custar R$ 7,21 em alguns postos pelo Brasil. O etanol, por sua vez, bateu o preço de R$ 6,99. Por isso, utilizar o Gás Natural Veicular (GNV) se tornou uma das opções para economizar.

Comparação

Há cinco anos, o metro cúbico do GNV custava R$ 2, ou seja, o valor dobrou e chegou a R$ 4,13. Porém, ainda assim, a opção pode ser mais econômica para muitos casos.

Para saber se vale a pena ou não, o consumidor deve calcular o custo por quilômetro rodado. A Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) mostram como funciona a conta.

Se um carro no Rio de Janeiro faz 10,7 km/l e 13,2 km/m³, por exemplo, a comparação é a seguinte:

O consumidor vai gastar R$ 0,63 de gasolina e R$ 0,31 por m³ de GNV a cada quilômetro. Ou seja, o GNV se torna 52% mais econômico do que a gasolina.

Economia

Claro que essa economia varia de acordo com os preços do GNV e dos combustíveis. Porém, no geral, a conversão costuma ser uma boa saída para economizar.

Um kit para conversão a gás custa em média R$ 3.500, mas pode ser ainda mais barato. Com isso, alguém que roda mil km por semana consegue repor o investimento do kit em menos de um ano.

Atenção

Ao realizar a adaptação do veículo para o sistema GNV é importante atentar-se para alguns pontos. Um deles é a taxa de compressão do motor do seu carro antes de fazer a conversão.

A taxa mínima de compressão para obter bom desempenho é de 13:1. Alguns automóveis podem demonstrar taxas de 8:1 e 10:1, que são insuficientes. É preciso, portanto, analisar qual é a melhor saída e entender se o kit gás vai resolver seus problemas.

Outro ponto a ser levado em consideração diz respeito aos veículos movidos à gasolina. Apesar da economia, o desempenho desses carros quando adaptados não costuma ser dos melhores. O problema está na baixa taxa de conversão. Veículos flex ou movidos a etanol apresentam uma melhor adaptação ao sistema.

Publicidade
Comentários

Automobilística

Detran divulga lista de motoristas com a CNH suspensa, cancelada ou cassada

Ao acessar documento, motorista poderá consultar o tipo de penalidade aplicada, número do processo e o prazo para a apresentação de recurso.

Publicado

em

Perder CNH

Condutores notificados devem apresentar recurso ou entregar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Foi o que divulgou o Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul (Detran-MS) na última segunda-feira, 22.

Leia mais: Comissão aprova 14º salário para segurados do INSS até 2023

Segundo o edital, a apresentação do recurso ou entrega da carteira deve acontecer no prazo de até 30 dias a partir da data de publicação da lista de nomes.

Os motoristas foram notificados em razão de penalidades do trânsito relacionadas à suspensão, cancelamento ou cassação do direito de dirigir.

Ao consultar o documento, o interessado encontrará informações básicas, como o nome do condutor, o tipo de penalidade aplicada, o fundamento legal com base no Código de Trânsito Brasileiro, número de processo e o prazo para apresentação de recurso ou entrega da CNH.

Para fazer o download do edital, acesse aqui e vá direto para a página 54 do arquivo.

Continue lendo

Automobilística

Faça as contas: Quanto custa um ano de combustível dos carros econômicos?

Pesquisa realizada pela KBB considerou apenas veículos econômicos, que podem ser abastecidos tanto com gasolina como etanol.

Publicado

em

Carros Econômicos

A Kelley Blue Book (KBB) é uma empresa referência quando o assunto são preços de carros. Recentemente, a companhia fez um levantamento que mostra o quanto o brasileiro gasta por ano para abastecer o veículo: cerca de R$ 5 mil.

Leia mais: 6 práticas rotineiras que fazem você gastar mais gasolina sem saber

Para chegar nesse resultado, a KBB usou dados da ultima tabela do Programa brasileiro de Etiquetagem Veicular do Inmetro (PBEV) associado à quilometragem média feita por um carro no prazo de um ano, que é de 12 mil km.

A pesquisa considerou apenas veículos econômicos, que podem ser abastecidos tanto com gasolina como etanol. Saiba o custo para manter rodando alguns dos automóveis mais econômicos do país!

Valor de combustível gasto por ano pelos carros mais econômicos

Conheça a seguir o quanto alguns veículos econômicos fazem o condutor gastar por ano em combustíveis. Vale lembrar que a média de preços considerada no levantamento é a de R$ 6,26 para o litro da gasolina e de R$ 4,82 para o etanol.

1. Hyundai HB20 1.0 Manual

  • Consumo: 9,5 km/l na cidade e 10,5 km/l na estrada com etanol e 13,3 km/l na cidade e 14,9 km/l na estrada com gasolina.
  • Custo para encher o tanque: R$ 241 com etanol ou R$ 313,00 com gasolina.
  • Valor gasto por ano: R$ 5.813 com etanol ou R$ 5.358,00 com gasolina.

2. Chevrolet Onix 1.0 Turbo manual

  • Consumo: 10,2 km/l na cidade e 11,2 km/l na estrada com etanol e 13,5 km/l na cidade e 16 km/l na estrada com gasolina.
  • Custo para encher o tanque: R$ 212,00 ou R$ 275,00 com gasolina.
  • Valor gasto por ano: R$ 5.665 com etanol ou R$ 5.136 com gasolina.

3. Fiat Mobi 1.0 manual

  • Consumo: 9,7  km/l na cidade e 10,7 km/l na estrada com etanol e 13,7 km/l na cidade e 15,3 km/l na estrada com gasolina.
  • Custo para encher o tanque: R$ 226 com etanol ou R$ 294 com gasolina.
  • Valor gasto por ano: R$ 5.698 com etanol ou R$ 5.209 com gasolina.

4. Chevrolet Onix Plus 1.0 Turbo manual

Ônix plus

  • Consumo: 9,6 km/l na cidade e 12,2 km/l na estrada com etanol e 13,7 km/l na cidade e 17 km/l na estrada com gasolina.
  • Custo para encher o tanque: R$ 212 com etanol e R$ 275 com gasolina.
  • Valor gasto por ano: R$ 5.370 com etanol e R$ 4.947 com gasolina.

5. Renault Kwid 1.0 manual

  • Consumo: 10,3 km/l na cidade e 10,8 km/l na estrada com etanol e 14,9 km/l na cidade e 15,6 km/l na estrada com gasolina.
  • Custo para encher o tanque: R$ 183 com etanol ou R$ 237 com gasolina.
  • Valor gasto por ano: R$ 5.495 com etanol ou R$ 4.937 com gasolina.

Leia mais: 5 tipos de mensagem que você não deve enviar no WhatsApp

Continue lendo

Automobilística

6 práticas rotineiras que fazem você gastar mais gasolina sem saber

Atitudes comuns tomadas por grande parte dos motoristas pode aumentar o consumo de combustível e pesar no bolso.

Publicado

em

Os preços dos combustíveis não param de subir, e quem mais sofre com isso é o consumidor final. Embora o governo venha tentando adotar medidas para reduzir os valores, o custo da gasolina nas bombas continua registrando altas e assustando os donos de veículos.

Leia mais: 5 tipos de mensagem que você não deve enviar no WhatsApp

Nesse cenário, vale a pena adotar estratégias para reduzir o consumo de combustíveis. Muitas delas estão ligadas a práticas do dia a dia que fazem você gastar mais sem perceber. Veja mais detalhes a seguir.

6 práticas que aumentam o consumo de gasolina

1 – Carregar muito peso

Cada veículo tem uma capacidade de peso diferente, e essa informação é muito importante. Carregar mais do que o manual do carro indica aumenta o consumo de combustível, por isso, não deixe de conhecer e respeitar os limites do seu.

2 – Rodar na reserva

Esquecer de encher o tanque é muito comum, mas andar sempre na reserva não é indicado para quem quer economizar. Quanto menos gasolina no tanque, mais espaço fica disponível e mais o combustível evapora.

3 – Calibrar pneus quentes

Andar em um carro calibrado exige menos do motor, mantendo seu consumo de combustível no nível normal. Contudo, calibrar os pneus quando eles ainda estão quentes pode deixar a calibragem abaixo do ideal pouco tempo depois, já que o ar quente se expande. Por isso, sempre espere eles enfriarem antes do processo.

4 – Abastecer com preço muito abaixo do mercado

Todo mundo está de olho nos preços da gasolina para encontra promoções e abastecer o tanque gastando menos. Mas algumas ofertas “milagrosas” costumam envolver combustíveis adulterados que danificam o motor e são consumidos com mais rapidez.

5 – Dirigir em ponto morto

Ao contrário do que muitos acreditam, colocar o carro na “banguela” em uma descida não economiza gasolina, e inclusive pode aumentar o consumo. Dirigir em ponto morte estraga a transmissão do carro e pode até causar acidentes.

6 – Desligar o ar-condicionado na estrada

É um fato que o ar-condicionado aumenta o gasto com combustível, mas desligar o aparelho nem sempre é a melhor solução. Em uma estada, por exemplo, rodar com os vidros abertos empurra o veículo para trás e faz com que ele precise de mais força para se locomover. Sendo assim, prefira ligar o ar quando estiver dirigindo na rodovia.

Continue lendo

MAIS ACESSADAS