Conecte-se conosco

Commodities

Sauditas e russos batalham pela primeira posição entre fornecedores de petróleo para China

China é um das poucas nações que aumentou as compras de petróleo este ano.

Publicado

em

A Arábia Saudita e a Rússia estão disputando páreo a páreo o posto de principal fornecedor de petróleo para a China neste ano, com os dois países elevando os embarques para os chineses, mesmo com a pandemia de Covid-19 prejudicando a demanda global em 2020.

De janeiro a novembro deste ano, Arábia Saudita, que foi o principal fornecedor à China em 2019, exportou entre 1,6 milhão e 1,7 milhão de barris por dia (bpd) de petróleo bruto, à medida que grandes reduções de preços impulsionaram os embarques de petróleo saudita em novembro, segundo Refinitiv, Vortexa e Kpler.

Já a Rússia exportou cerca de 1,7 milhão de bpd de petróleo para a China até o momento neste ano, com o Iraque ficando em terceiro lugar, com aproximadamente 1,2 milhão de bpd.

Em meio ao impacto da pandemia do coronavírus na atividade comercial e na indústria de viagens, a indústria do petróleo também foi duramente atingida este ano.

A China, o maior importador de petróleo do mundo, é um das poucas nações que aumentou as importações em 2020, já que os compradores se beneficiaram ao máximo dos preços baixos no início deste ano, ao passo que a demanda por combustível se recuperou a partir do segundo trimestre na esteira da economia em geral.

“Parece que a Rússia substituiu a Arábia Saudita e conquistou o primeiro lugar neste ano. É uma corrida pescoço a pescoço e resta saber quem será o vencedor final”, disse a analista Serena Huang, da Vortexa.

A quantidade de petróleo saudita chegando à China em novembro deve chegar entre 2,13 milhões e 2,24 milhões de barris por dia, ante um recorde de 2,1 milhões a 2,14 milhões de bpd em maio, de acordo com as projeções das três empresas. O volume representaria quase o dobro de suas estimativas de volume para o mês passado.

Em outubro, a gigante estatal do petróleo Saudi Aramco cortou profundamente os preços do petróleo para clientes asiáticos, disseram fontes comerciais. Leva aproximadamente um mês para que as cargas sejam enviadas.

Continue lendo
Publicidade
Comentários